Vicente de la Mata (filho)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura Vicente de la Mata, veja Vicente de la Mata.

Vicente de la Mata (3 de julho de 1944) é um ex-futebolista argentino.

Seu pai, igualmente chamado Vicente de la Mata, foi um histórico nome do Independiente e da Seleção Argentina.[1][2] O De la Mata filho, ao contrário do pai (um atacante), atuou mais recuado, como volante. Mas, assim como ele, debutou bastante jovem, ainda com 17 anos, em 1961, e também se tornou grande figura do Rojo. Começou a carreira já ali e repetiu o feito paterno, conquistando três títulos argentinos e em menos tempo de clube: foram nove anos defendendo o lado vermelho de Avellaneda,[3] contra os treze do pai.[1]

Seu momento de maior brilho deu-se em 1965. Recuperou-se de uma lesão nos ligamentos do joelho direito que o privaram de atuações regulares no ano anterior e foi campeão também da Taça Libertadores da América de 1965,[3] derrotando o favorito Peñarol (então o maior vencedor do torneio) na decisão com um 4 x 1 na finalíssima,[4] depois de uma vitória para cada lado - ele chegou a marcar um gol na derrota em Montevidéu.[5] A conquista o Independiente igualar-se justamente com os aurinegros e o Santos de Pelé como os maiores vencedores da competição - cada um havia conquistado dois títulos nos seis disputados até então.[6]

Naquele mesmo ano, De la Mata foi chamado pela Seleção Argentina, jogando seis vezes, no que foi o primeiro caso em que a Albiceleste chamou o filho de alguém que já havia atuado por ela.[2] Duas destas partidas foram válidas pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1966,[7] mas De la Mata, também a exemplo do pai, acabou não disputando um mundial.[3]

O problema no joelho se tornaria crônico e comprometeria sua carreira. De la Mata filho deixou o Independiente em 1970, após conquistar seu terceiro título argentino e 106 partidas pelo clube, com 8 gols marcados. Foi jogar no México. Posteriormente, passou pelo Chile e encerrou a carreira no Argentino de Quilmes, em 1978.[3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Independiente

Referências

  1. a b POMATO, Alberto (abril de 2011). Vicente de la Mata. El Gráfico Especial n. 29 - "100 Ídolos de Independiente". Revistas Deportivas, pp. 30-31
  2. a b PERUGINO, Elías (junho de 2011). Vicente de la Mata. El Gráfico Especial n. 27 - "100 Ídolos de la Selección". Revistas Deportivas, p. 69
  3. a b c d POMATO, Alberto (abril de 2011). Vicente de la Mata (h). El Gráfico Especial n. 29 - "100 Ídolos de Independiente". Revistas Deportivas, p. 104
  4. ANÍBAL, Alexandre (3 de janeiro de 2011). «Argentina e Copa América: uma relação de muitas vitórias (Parte I)». Futebol Portenho. Consultado em 23 de agosto de 2011 
  5. PIERREND, José Luis; BEUKER, John; GORGAZZI, Osvaldo José; STOKKERMANS, Karel (6 de setembro de 2004). «Copa Libertadores de América 1965». RSSSF. Consultado em 3 de setembro de 2011 
  6. STOKKERMANS, Karel (15 de julho de 2011). «Copa Libertadores de América». RSSSF. Consultado em 23 de agosto de 2011 
  7. GASPARINI, Guillermo. «Argentina en las eliminatorias mundialistas» (em espanhol). Goles Argentinos. Consultado em 24 de agosto de 2011. Arquivado do original em 21 de agosto de 2013