Victor Hugo Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Victor Hugo Mendes
Nome completo Victor Hugo André Mendes
Nascimento 4 de novembro de 1982 (37 anos)
Malanje,  Angola
Residência Luanda
Nacionalidade Angolana
Progenitores Mãe: Maria André João
Pai: João Mendes Júnior
Ocupação Jornalista, apresentador de televisão, palestrante e Escritor
Principais trabalhos - O Meu Livro de Pensamentos
- Face 69
- Tchiwekinha o menino vencedor
Prémios Angola 35 graus
Moda Luanda, como melhor apresentador de tv em 2013 e 14
Religião Católico
Página oficial
www.victorhugomendes.com

Victor Hugo André Mendes, conhecido popularmente como Victor Hugo Mendes (Malanje, 4 de novembro de 1982) é um jornalista e escritor[1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] angolano, natural de Malanje.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O jornalista[6] [7] e escritor[5] nasceu em Malanje, aos 4 de Novembro de 1982, e é filho de pai camionista e mãe escriturária. Viveu todo conflito armado em Malanje, na rua Tomás Vieira da Cruz, no bairro da Maxinde até 2002. É Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Privada de Angola.

Determinado e convicto desde novo, foi sempre muito dado ao seu avô paterno, João Mendes, com quem desenvolveu a sua capacidade de polivalente em tudo que se dedica.

Infância[editar | editar código-fonte]

Mendes foi vendedor de limões e outros frutos do pomar do seu avó, e passou de vendedor a mecânico de bicicletas.

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Enquanto jornalista, é apresentador de televisão[6]. Começou a sua aventura na Rádio[1] aos 14 anos de idade, na sua terra natal, e num programa infantil denominado Recreio Infantil. Passou pela Rádio Ecclésia – Emissora católica de Angola, Rádio Luanda e foi colaborador na Rádio Namíbia enquanto estudante de Inglês naquele país no ano de 2007.

Em 2009 foi convidado por Ana Maurício para trabalhar como apresentador no Canal 2 da TPA. Entre 2011 e 2014 foi apresentador do programa Janela aberta[1] [6] no Canal 1 da TPA. Em 2016 passou a ser colaborador na TV Zimbo, com uma rúbrica semanal sobre livros no programa A Tarde é Nossa.

Actualmente é colaborador da Zap como apresentador de programas especiais, e é um dos maiores cronistas radiofónicos da sua geração. Semanalmente faz sair temas de grande intervenção social e política que se tornam altamente virais nas redes sociais.

Livros[editar | editar código-fonte]

Enquanto escritor, Mendes é autor das seguintes obras:

  • O Meu Livro de Pensamentos, lançado em 2013; [8] [9] [6][5] [10]
  • Face 69, apresentado em 2015; [1] [5] [10] e
  • Tchiwekinha o menino vencedor, editado em 2016.[10]

Vendeu até 2017 mais de 90 mil exemplares do conjunto das suas obras. É co-autor de um projecto musical denominado Relíquias Negras, e redactor exclusivo de 14 documentários sobre os sectores da educação, petróleos, governos provinciais, transportes, portos e músicos, e também é palestrante[10] [4] e orador internacional.

Por amar a leitura[11], foi o único apresentador de televisão que sugeria diariamente um livro no seu programa em directo e por força desse hábito de ler e convidar a ler, criou em Março de 2013 a VHM Livraria em Viana.[12] A sua frase mais conhecida e muito usada na televisão é: quem lê um livro nunca mais é a mesma pessoa![6]

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Moda Luanda 2013, como melhor apresentador de entretenimento;[13]
  • Angola 35º, na categoria de Comunicação Social [14] e considerado entre 42 o 5º melhor autor de 2014.

Foi também considerado como a figura masculina do ano 2016 pelo Angoportal com 68% dos votos online.

Filantropia[editar | editar código-fonte]

Uma outra característica do Victor é o seu amor ao próximo.[15] É padrinho de 43 meninas com idades entre 2 e 25 anos ao cuidado das Irmãs Mercedárias da Caridade. Todos os meses junta amigos ou faz campanhas na internet para ajudar as crianças, tendo inclusive realizado uma campanha que envolveu o famoso jogador Pedro Mantorras, que terá prestado o seu apoio ao lar. Em Moçambique 100% das receitas do seu livro, ficaram com o Centro Hakumana.[15], que em Maputo apoiou famílias carenciadas, pobres e doentes de HIV.

Victor Hugo Mendes, é porta voz da Livegum, Liga da Velha Guarda de Malanje, uma associação filantrópica que há 29 anos desenvolve um trabalho respeitado e aplaudido pelas autoridades da província.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d «Victo Hugo Mnedes e o sucesso de suas obras». bwevip.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  2. «Victor Hugo Mendes em encontro literário». jornaldeangola.sapo.ao. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  3. «Victor Hugo Mendes considerado um dos melhores da literatura angolana» 
  4. a b «Obras literárias de Victor Hugo Mendes chegam à Italia». angorussia.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  5. a b c d «Victor Hugo Mendes promove literatura». jornaldeangola.sapo.ao. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  6. a b c d e f «Obra de Victor Hugo Mendes nas mão dos amantes da literatura». portalangop.co.ao. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  7. a b «Angola Fala So: Victor Hugo Mendes: João Lourenço não vai fazer diferença se cada um não fizer sua parte». www.voaportugues.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  8. «Victor Hugo Mendes lança obra "O meu livro de pensamentos». https://www.jet7angola.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  9. «O meu livro de pensamentos». www.wook.pt. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  10. a b c d «Victor Hugo Mendes reedita os livros Face 69, Tchiwekinha e O meu livro de pensamentos». platinaline.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  11. «Victor Hugo Mendes: O país não será o mesmo depois de 23 de agosto, o conhecimento vai dominar angola». platinaline.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018 
  12. «Victor Hugo Mendes diversifica renda com um Novo Negócio». platinaline.com. 13 de Maio de 2013. Consultado em 19 de Outubro de 2018 
  13. «Veja a Lista de indicações dos Troféus Moda Luanda 2014». platinaline.com. 21 de Fevereiro de 2014. Consultado em 21 de Outubro de 2018 
  14. «Prémios Angola 35 Graus». redeangola.info. 16 de Maio de 2014. Consultado em 21 de Outubro de 2018 
  15. a b «Victor Hugo mostra seu lado solidário em terras moçambicanas». angorussia.com. Consultado em 18 de Outubro de 2018