Viminol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrutura química de Viminol
Nome IUPAC (sistemática)
1-[1-(2-chlorobenzyl)- 1H-pyrrol-2-yl]- 2-(di-sec-butylamino) ethanol
Identificadores
CAS 21363-18-8
ATC N02BG05
PubChem 65697
Informação química
Fórmula molecular C21H31N2ClO 
Massa molar 362,94 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade ?
Metabolismo ?
Meia-vida ?
Excreção ?
Considerações terapêuticas
Administração per os
DL50 ?

Viminol (Dividol®) é um fármaco utilizado para analgesia de ação no sistema nervoso central. Sua estrutura química é incomum e portanto não é classificado como opióide ou anti-inflamatório não esteroide (AINE).[1][2] O medicamento também tem efeito antitussígeno (suprime a tosse), além de analgésico (reduz a dor). Viminol não é um narcótico, porém, sua ação é superior aos fármacos pirazolônicos e salicílicos e tem grau de semelhança com os analgésicos hipnóticos clássicos. Este medicamento rarissimamente gera vício, nem dependência física, todavia, pode potencializar a ação de barbitúricos ou outros depressores do sistema nervoso central.[3]

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

A ação do viminol consiste na ação no corno posterior da medula - aonde se localiza o trato espino-talâmico que é responsável pela transmissão do estímulo doloroso da terminação nervosa periférica até o cérebro.[3]

Doses usuais[editar | editar código-fonte]

A dose comum administrada na clínica médica do fármaco é de 100 mg a cada 6 horas.[4]

Reações adversas[editar | editar código-fonte]

Precauções[editar | editar código-fonte]

Os médicos observam pacientes com histórico de problemas pulmonares e de sistema respiratório. Portanto, o medicamento é administrado com cuidado em pessoas com asma brônquica, bronquite obstrutiva e enfisema pulmonar.[4]

Notas e referências

  1. Contri AM. Chromatographic separation of diastereoisomers of aminoalcohol salts and their densitometric determination. (Italian). Il Farmaco. 1981 Apr;36(4):215-22.
  2. Neto JM, Murad JE, Monteiro SS. Psychopharmacological properties of the viminol-p-hydroxybenzoate. Revista Brasileira de Pesquisas Medicas e Biologicas. 1977 Dec;10(6):361-8.
  3. a b Della Bella, Davide (1975). «Viminol stereoisomers and lamina V interneurons activity: preliminary results.». Life Sci. 1975 Jul 1;17(1):73-4. Consultado em 27 de outubro de 2017. 
  4. a b P.R. Vade-mécum ABIMIP 2006/2007