Vivaldo Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.

Vivaldo Palma Lima (Salvador, 10 de abril de 187723 de novembro de 1949) foi um médico, advogado, jornalista e político brasileiro. Faleceu no exercício do mandato de deputado federal pelo estado do Amazonas, aos 72 anos de idade.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vivaldo Palma Lima se tornou doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Bahia em 10 de abril de 1899. Também se tornou cirurgião-dentista e farmacêutico pela Faculdade de Medicina e Farmácia da Bahia. Vivaldo Palma Lima exerceu a medicina em diversas entidades inclusive na área militar.

Paralelamente à medicina, Vivaldo Palma Lima foi professor de Geografia, História, Física, Química e Eletricidade em diversas escolas nos estados da Bahia e do Amazonas.

Vivaldo Palma Lima casou na Bahia com Elvira Augusta Barahuna, que passou a se chamar Elvira Augusta Barahuna de Lima.

Por volta de 1902, Vivaldo Palma Lima chegou em Manaus como médico da Companhia do Lloyd Brasileiro e fixou residência com a esposa Elvira. O casal teve uma filha de nome Elvira e sete filhos homens, Oswaldo (chegou a General do Exército), Waldemar (médico), Luiz (engenheiro), Carlos (advogado), José (advogado), Augusto(advogado), Mário (engenheiro) e Vivaldo Palma Lima Filho,(médico e Presidente da Cruz Vermelha Brasileira) e senador por Amazonas de 1951 a 1967.

Em 1911 tornou-se bacharel em Direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Amazonas, tornando-se posteriormente professor catedrático de Medicina Legal desta faculdade. Foi membro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seção Amazonas.

Imprensa[editar | editar código-fonte]

Vivaldo Palma Lima foi sócio da Academia Brasileira de Imprensa (ABI) sendo redator-chefe do jornal A Tribuna Popular (Manaus, Amazonas) e colaborador de diversos jornais em:

Entidades culturais e filantrópicas[editar | editar código-fonte]

Pertenceu a inúmeras entidades culturais e filantrópicas do estado do Amazonas como:

Professor do Ginásio Amazonense; Professor de árabe; Professor de japonês.

Na Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas (ALCEAR) criada em 5 de Setembro de 2003, Vivaldo Palma Lima é o patrono da cadeira número 12 (Grupo de Prosadores) em reconhecimento a sua importância na história intelectual do Amazonas.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Na área esportiva, Vivaldo Palma Lima foi:

Vivaldo Palma Lima foi uma das maiores figuras das atividades esportivas, particularmente do futebol, no estado de Amazonas. Em homenagem à memória do velho entusiasta do esporte amazonense, o nome de Vivaldo Palma Lima foi atribuído ao estádio de futebol que começou a ser construído no ano de 1958 em Manaus(lançamento da pedra fundamental). O projeto do Estádio Vivaldo Lima foi do arquiteto Severiano Mário Porto e ganhou o Prêmio Nacional de Arquitetura de 1966. O Estádio Vivaldo Lima, também chamado de Vivaldão, começou a funcionar em 1970.

Política[editar | editar código-fonte]

Vivaldo Palma Lima foi:

  • Superintendente municipal de Manaus em 1923 (após 1926 o cargo superintendente passou a ser prefeito)
  • Deputado à Assembléia Constituinte do Amazonas (1934) e à Assembléia Legislativa do Amazonas.
  • Deputado federal pelo estado do Amazonas em 1947 e faleceu no cumprimento do mandato em 23 de novembro de 1949 com 72 anos de idade.

Ver também[editar | editar código-fonte]