Vou Dar de Beber à Dor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vou Dar de Beber à Dor
Álbum de estúdio de Amália Rodrigues
Lançamento 1969
Gênero(s) fado
Idioma(s) português
Gravadora(s) EMI-Valentim de Carvalho

Vou dar de beber à dor é um álbum de Amália Rodrigues, lançado em 1969.

É a primeira de uma série de compilações reunindo material publicado anteriormente em singles e EP avulsos.

A canção "Vou dar de beber à dor", da autoria de Alberto Janes, também conhecida por "Casa Das Mariquinhas", foi editada em EP em 1968 tendo sido um grande sucesso. [1]

Os temas tinham sido editado noutros discos como os EP's SLEM 2245[2] (2, 9, 11 e 12), SLEM 2315[3] (1, 3 e 10), SLEM 2326[4] (5, 6 e 7) ou o single [5]com os temas 4 e 8.

Amália foi acompanhada à guitarra portuguesa por Domingos Camarinha e pelo conjunto de guitarras de Raúl Nery e à viola por Castro Mota.

As músicas foram gravadas nos estúdios Valentim de Carvalho de Paço d'Arcos.

A fotografia da capa é de Augusto Cabrita.

Alinhamento[editar | editar código-fonte]

[6]

# Título Poesia / Música
1. "Vou Dar de Beber à Dor" Alberto Janes
2. "Barro Divino" Álvaro Duarte Simões
3. "Meia-Noite e uma Guitarra" Álvaro Duarte Simões
4. "Canzone per Te" Endrigo / Bordotti
5. "Ai Esta Pena de Mim" Amália Rodrigues / José António Sabrosa
6. "Timpanas" Frederico de Freitas / {{Júlio Dantas]]
7. "Caracóis" (popular)
8. "La La La" R. Arcusa / M. de la Calva
9. "Não Peças Demais à Vida" Álvaro Duarte Simões
10. "Disse-te Adeus e Morri" Vasco de Lima Couto / José António Sabrosa
11. "Antigamente" Joaquim Proença / Frederico de Brito
12. "Fado Nocturno" Feijó Teixeira / "Fado José Negro"

Posições[editar | editar código-fonte]


Referências