Wander Piroli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wander Piroli
Nascimento 1931
Belo Horizonte
Morte 3 de junho de 2006 (75 anos)
Belo Horizonte
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal de Minas Gerais
Ocupação escritor, jornalista

Wander Piroli (Belo Horizonte, 1931 — Belo Horizonte, 3 de junho de 2006) foi um escritor e jornalista brasileiro. [1][2] Escreveu contos, crônicas e livros infanto-juvenis.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pirolli nasceu e cresceu no bairro da Lagoinha, local frequente em sua obra. [3]Cursou direito pela Universidade Federal de Minas Gerais e chegou a trabalhar como advogado, abandonando a profissão pelo jornalismo. Trabalhou como repórter para veículos como Binômio, O Estado de Minas, Suplemento Literário, Última Hora e O Sol. Foi um dos fundadores do jornal Hoje em Dia.[4]

Pirolli participava de concursos literários em Belo Horizonte, ganhando fama ao vencer um deles em 1951 com o conto "O Troco". Publicou seu primeiro livro, A Mãe e o Filho da Mãe em 1966. Em seus contos Pirolli trata de pessoas comuns, marginalizadas de Belo Horizonte, como operários, prostitutas e malandros; temática pela qual foi comparado com João Antônio . Também ficou conhecido por seus livros infantis, como O menino e o pinto do menino, de 1975 e Os rios morrem de sede, de 1976.

Publicou sete livros em vida, deixando dezoito livros inéditos após sua morte, em 2006.[5]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • 1966- A mãe e o filho da mãe
  • 1975 - O menino e o pinto do menino
  • 1976-Os rios morrem de sede
  • 1977- Macacos me mordam
  • 1980 -A máquina de fazer amor
  • 1984- Minha bela putana
  • 1998- Nem filho educa pai
  • 2004- Lagoinha ( Coleção BH- A cidade de cada um)
  • 2006- É proibido comer a grama
  • 2006 -Eles estão aí fora
  • 2007-Para pegar bagre de dia é preciso sujar a água
  • 2008- O Matador
  • 2009- Os dois irmãos
  • 2014- Três menos um é igual a sete

Referências

  1. Oliveira, André de (22 de julho de 2018). «Wander Piroli, o Hemingway esquecido das Minas Gerais». EL PAÍS 
  2. «Lirismo áspero de Wander Piroli ganha novo fôlego». Gazeta do Povo 
  3. Santos, Flávia Batista da Silva (2 de junho de 2018). «Conversa de escritor: a autoimagem de Wander Piroli». Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea. 4 (7). ISSN 1984-7556 
  4. «Obra completa de Wander Piroli volta às livrarias com inéditos». Home. Consultado em 23 de julho de 2018 
  5. «Morre em Minas o escritor Wander Piroli - Cultura - Estadão». Estadão