Zelândia (continente)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização da Zelândia.[1]

A Zelândia, também conhecida como Continente da Nova Zelândia ou Tasmantis,[2] é um fragmento continental quase submerso que afundou depois de ter separado-se da Austrália há cerca de 60-85 milhões de anos, e da Antártida entre 85 e 130 milhões de anos atrás.[3] Pode ter sido completamente submerso há cerca de 23 milhões de anos atrás,[4][5] e a maior parte (em torno de 93%) permanece submersa sob o Oceano Pacífico.[6]

Zelândia é uma extensão contínua de crosta continental. Abrange cerca de 4,9 milhões de quilômetros quadrados, é maior do que a Groenlândia ou a Índia, e quase a metade do tamanho da Austrália. É excepcionalmente longa e estreita, desde Nova Caledônia ao norte, até mais além da Ilhas subantárticas da Nova Zelândia ao sul. A Nova Zelândia é a maior parte da Zelândia que está acima do nível do mar, seguida pela Nova Caledônia. Cerca de 94 por cento da Zelândia se esconde debaixo do oceano.[7]

Referências

  1. «Figure 8.1: New Zealand in relation to the Indo-Australian and Pacific Plates». The State of New Zealand’s Environment 1997. 1997. Consultado em 20 de abril de 2007 
  2. Danver, Steven L. (22 de dezembro de 2010). Popular Controversies in World History: Investigating History's Intriguing Questions. [S.l.]: ABC-CLIO. p. 187. ISBN 978-1-598-84078-0. Zealandia or Tasmantis, with its 3.5 million square km territory being larger than Greenland,... 
  3. Keith Lewis; Scott D. Nodder; Lionel Carter (11 de janeiro de 2007). «Zealandia: the New Zealand continent». Te Ara Encyclopedia of New Zealand. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  4. «Searching for the lost continent of Zealandia». The Dominion Post. 29 de setembro de 2007. Consultado em 11 de setembro de 2016. We cannot categorically say that there has always been land here. The geological evidence at present is too weak, so we are logically forced to consider the possibility that the whole of Zealandia may have sunk. 
  5. Campbell, Hamish; Gerard Hutching (2007). In Search of Ancient New Zealand. North Shore, New Zealand: Penguin Books. pp. 166–167. ISBN 978-0-14-302088-2 
  6. Wood, Ray; Stagpoole, Vaughan; Wright, Ian; Davy, Bryan; Barnes, Phil (2003). New Zealand's Continental Shelf and UNCLOS Article 76 (PDF). Col: Institute of Geological and Nuclear Sciences series 56; NIWA technical report 123. Wellington, New Zealand: Institute of Geological and Nuclear Sciences Limited; National Institute of Water and Atmospheric Research. 16 páginas. Consultado em 22 de fevereiro de 2007. The continuous rifted basement structure, thickness of the crust, and lack of seafloor spreading anomalies are evidence of prolongation of the New Zealand land mass to Gilbert Seamount. 
  7. Is Zealandia a continent? Landmass lies mostly beneath the Pacific Ocean por Thomas Summer (2017)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]