Zeta Tucanae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ζ Tucanae
Dados observacionais (J2000)
Constelação Tucana
Asc. reta 00h 20m 04,3s[1]
Declinação -64° 52′ 29,2″[1]
Magnitude aparente 4,23
Características
Tipo espectral F9.5[1]
Variabilidade Nenhuma[2]
Astrometria
Velocidade radial 8,8 ± 0,02 km/s[3]
Mov. próprio (AR) 1707,35 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) 1165,60 mas/a[1]
Paralaxe 116,38 ± 0,64[1]
Distância 28 ± 0,2 anos-luz
8,59 ± 0,05 pc
Magnitude absoluta 4,56
Detalhes
Massa 0,99 ± 0,02[4] M
Raio 0,90 ± 0,08[5] R
Gravidade superficial 4,48 g
Luminosidade 1,3 L
Temperatura 5 970[6] K
Metalicidade [Fe/H] = -0,07[6]
Rotação vsini = 3.0 km/s[7]
Idade 2,1-3,02 × 109[8][9] anos
Outras denominações
Gliese 17, HR 77, HD 1581, LHS 5, LTT 167, GCTP 54, SAO 248163, CP(D)-65°13, FK5 10, GC 401, LPM 16, LFT 36, HIP 1599.
Zeta Tucanae
Tucana constellation map.png

Zeta Tucanae (ζ Tuc / ζ Tucanae) é uma estrela na constelação de Tucana. É uma estrela de classe espectral F9.5 da sequência principal com uma magnitude aparente de 4,23. Apesar de ter uma massa menor que a do Sol, essa estrela é mais luminosa do que ele.[4] Com base em medições de paralaxe feitas pela sonda Hipparcos, ela está a 28 anos-luz da Terra.[1] Ela é uma das estrelas menos variáveis observadas durante a missão Hipparcos.[2][10]

A composição e massa de Zeta Tucanae são similares à do Sol. Ser parecido com o Sol faz com que a estrela seja um alvo interessante para investigações e que ela tenha a possível existência de um planeta que abriga vida.[10]

Baseado em um excesso de radiação infravermelha a 70 micrômetros, acredita-se que o sistema possui um disco de detritos. O disco está orbitando a estrela em um raio mínimo de 2,3 UA e tem temperatura máxima de 218 K (-55 °C).[8]

Zeta Tucanae é um mebro do grupo Ursa Major de estrelas, um grupo de estrelas que compartilham um movimento comum através do espaço.[6] Os componentes da velocidade espacial da estrela são U = −60, V = −4 e W = −38 km/s. Isso corresponde à velocidade na direção do centro da galáxia, à velocidade em relação à direção da rotação da galáxia, e à velocidade em direção ao pólo norte da galáxia, respectivamente.[11] Ela está orbitando o centro da galáxia a uma distância média de 8 400 pc, com uma excentricidade orbital de 0,16.[10]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g Perryman, M. A. C.; et al. (1997). «The HIPPARCOS Catalogue». Astronomy & Astrophysics. 323. pp. L49–L52. Bibcode:1997A&A...323L..49P 
  2. a b Adelman, S. J. (2001). «Research Note Hipparcos photometry: The least variable stars». Astronomy and Astrophysics. 367. pp. 297–298. doi:10.1051/0004-6361:20000567 
  3. Evans, D. S. (20-24 Junho de 1966). «The Revision of the General Catalogue of Radial Velocities». In: Batten, Alan Henry; Heard, John Frederick. Determination of Radial Velocities and their Applications, Proceedings from IAU Symposium no. 30. University of Toronto: International Astronomical Union. pp. 57–63. Bibcode:1967IAUS...30...57E  Verifique data em: |ano= / |data= mismatch (ajuda)
  4. a b Santos, N. C.; Israelian, G.; Mayor, M. (2001). «The metal-rich nature of stars with planets». Astronomy and Astrophysics. 373. pp. 1019–1031. doi:10.1051/0004-6361:20010648 
  5. Perrin, M.-N.; Karoji, H. (1987). «Stellar radius determination from IRAS 12-micron fluxes». Astronomy and Astrophysics. 172. pp. 235–240. Consultado em 5 de maio de 2008 
  6. a b c Castro, S.; Porto de Mello, G. F.; da Silva, L. (1999). «Copper and barium abundances in the Ursa Major Moving Group». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 305 (3). pp. 693–700. doi:10.1046/j.1365-8711.1999.02455.x 
  7. O'Toole, S. J.; et al. «The Frequency of Low-mass Exoplanets». arXiv. Consultado em 2 de setembro de 2009 
  8. a b Trilling, D. E.; Bryden, G.; Beichman, C. A.; Rieke, G. H.; Su, K. Y. L.; Stansberry, J. A.; Blaylock, M.; Stapelfeldt, K. R.; et al. (2008). «Debris Disks around Sun-like Stars». The Astrophysical Journal. 674 (2). pp. 1086–1105. doi:10.1086/525514 
  9. Mamajek, Eric E.; Hillenbrand, Lynne A. (2008). «Improved Age Estimation for Solar-Type Dwarfs Using Activity-Rotation Diagnostics». The Astrophysical Journal. 687 (2). pp. 1264–1293. Bibcode:2008ApJ...687.1264M. doi:10.1086/591785 
  10. a b c Porto de Mello, Gustavo; del Peloso, Eduardo F.; Ghezzi, Luan (2006). «Astrobiologically Interesting Stars Within 10 Parsecs of the Sun». Astrobiology. 6 (2). pp. 308–331. doi:10.1089/ast.2006.6.308. PMID 16689649 
  11. Woolley, Richard van der Riet (1970). «Catalogue of Stars within 25 Parsecs of the Sun». Royal Observatory Annals. 5. Herstmonceux, Royal Greenwich Observatory. Consultado em 2 de setembro de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.