Çatalhüyük

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Pix.gif Çatalhüyük *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

CatalHoyukSouthArea.JPG
Escavações na área sul de Çatalhöyük
País Turquia
Critérios (ii)(iv)
Referência 1405
Coordenadas 37° 40' N 32° 49' 41" E
 Turquia
Histórico de inscrição
Inscrição 2012  (36ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
Interior de uma típica casa de Çatalhöyük.

Çatalhüyük (pronuncia - se ʧɑtɑl højyk), ou Çatal Hüyük, ou Çatalhöyük, ou ainda Çatalhoyüuk, foi um assentamento neolítico muito grande na Anatólia, datada de cerca de 6700 a.C. Mostra um estágio cultural refinado, com casas de tijolos crus nas quais se entrava pelo teto, possivelmente por uma escada de madeira. O trânsito entre as casas se fazia por cima destas, já que não havia ruas entre elas.

As casas tinham plataformas para dormir, sentar ou trabalhar, e um fogão. As áreas eram divididas em plataformas, separando as partes limpas (que parecem ter sido usadas para dormir, sentar, armazenar e preparar alimentos) das partes sujas.

Os mortos eram enterrados dentro da própria casa em posição fetal, sob plataformas que talvez fossem usadas como cama. Há indicações do culto a algum deus com características do touro.

Além da cerâmica, há várias camadas de murais superpostas dentro das casas, alguns deles figurativos e outros em forma de padrões repetidos. Há muitas esculturas, em osso ou modeladas, algumas representando uma figura feminina cujo significado é discutido pelos arqueólogos: seria talvez uma deusa, ou uma imagem para propiciar a fecundidade.

Religião[editar | editar código-fonte]

Um aspecto muito marcante de Çatalhöyük são as estatuetas femininas. O arqueólogo Mellaart, que primeiro iniciou as escavações, argumenta que estas estatuetas confeccionadas de maneira cuidadosa, cravadas do mármore, rocha azul e marrom, xisto, calcita, basalto, alabastro e argila representam a idealização de uma divindade feminina ou a Deusa mãe. Embora houvesse divindade masculina, estatuetas femininas são em número muitas vezes maior do que as masculinas, as quais sequer parecem ter alguma importância.[1] Até hoje 18 níveis foram identificados. Estas estatuetas achadas nas áreas de Mellaart parecem ser santuários. Um destes, que ficou conhecido como Cibele da Anatólia, uma suntuosa deusa sentada num trono e ladeada por duas leoas, foi encontrada num compartimento de estocagem de grãos, o qual para Mellaart sugere uma maneira de proteger a colheita ou o suprimento de alimentos.[2]

Referências

  1. Mellaart (1967), p. 181
  2. Mellaart (1967), p. 180

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mellaart, James. Catal Huyuk: A Neolithic Town in Anatolia. [S.l.]: McGraw-Hill, 1967.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Çatalhüyük