ATS-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde julho de 2013). Ajude e colabore com a tradução.


ATS-1
O ATS-1
Missão
Operação Estados Unidos NASA
Contratantes principais Hughes Aircraft Company Goddard Space Flight Center
Plataforma ATS
Tipo de missão Observação da Terra
Planeta orbitado Terra
Lançamento 07 de dezembro de 1966 às 01:31:00 UTC
Veículo de Lançamento Atlas-Agena D
Local do Lançamento Estados Unidos Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, Flórida
Duração da missão 17 anos
Fim da missão Setembro de 1983
NSSDC ID 1966-110A
Massa 352 kg
Resultado Sucesso
Elementos Orbitais
Tipo GEO
Inclinação 14º
Apogeu 35.793 km
Perigeu 35.782 km
Período orbital 1.436,1 minutos
Excentricidade 0,00013

O ATS-1 (da série Applications Technology Satellite) foi um satélite de comunicação lançado pela NASA em 7 de Dezembro de 1966 a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral por intermédio de um foguete Atlas-Agena D.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

O objetivo primário do ATS-1 como satélite de comunicação, era testar técnicas de órbitas geoestacionárias a 37.000 km de altitude, transmitia dados e imagens para estações em terra, assim como transmissões de vídeos para programas de TV. Ele foi o primeiro satélite a usar o método de acesso FDMA (Frequency Division Multiple Access), que aceitava sinais múltiplos independentes e os retransmitia numa única via.[1]

Esse satélite foi projetado e lançado com os seguintes objetivos:[2]

  • testar novos conceitos em desenho de espaçonaves, propulsão e estabilização
  • coletar fotos de alta qualidade da cobertura de nuvens e transmitir dados meteorológicos a partir de um satélite geossíncrono
  • obter dados sobre o ambiente aeroespacial "in loco"
  • testar sistemas de comunicação melhorados

Características[editar | editar código-fonte]

Esse satélite tinha o formato cilíndrico, com 142 cm de diâmetro e 135 cm de altura (cerca de 270 cm de altura se considerar a cobertura do motor) com a superfície recoberta por painéis solares, e estabilizado por rotação.[2]

Instrumentos[editar | editar código-fonte]

Um total de quinze experimentos foram conduzidos durante a missão:[3]

  • Suprathermal Ion Detector
  • Biaxial Fluxgate Magnetometer
  • Omnidirectional Spectrometer
  • Electron Spectrometer
  • Particle Telescope
  • Solar Cell Radiation Damage
  • Thermal Coating Degradation
  • Range Rate Beacon (NASA-GSFC)
  • Spin-Scan Cloudcover Camera (SSCC)
  • Communication Microwave Transponder (Hughes Co)
  • Communication VHF Transponder (Hughes Co)
  • Nutation Sensor
  • Resisto-Jet Thruster
  • Faraday Rotation
  • Meteorological Data Relay System

Missão[editar | editar código-fonte]

O satélite ATS-1 foi colocado inicialmente numa órbita geossíncrona a 151,16º Oeste sobre o Oceano Pacífico. No geral, a maioria dos experimentos foi bem sucedido. A cobertura de dados foi normal até 1970, depois do que começou a haver uma certa limitação na aquisição de dados em tempo real até Maio de 1974. A partir de então, o satélite serviu como satélite de comunicação para um grande número organizações públicas estatais e federais. Foi planejada a continuidade das operações numa longitude de 164º Leste até Setembro de 1983 para então ser retirado da órbita geoestacionária.[2]

Ele foi um dos satélites usados durante a transmissão do programa internacional Our World, em 1967, fornecendo um link entre Estados Unidos e Austrália durante o programa.

Referências

  1. Missions - ATS - NASA Science. NASA. Página visitada em 21/07/2013.
  2. a b c ATS 1 - NSSDC/COSPAR ID: 1966-110A. NASA. Página visitada em 21/07/2013.
  3. Experiment Search Results. NASA. Página visitada em 21/07/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre ATS-1
Ícone de esboço Este artigo sobre satélites é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.