A Idade da Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Idade da Terra
1980 • cor • 140 min 
Direção Glauber Rocha
Roteiro Glauber Rocha
Elenco Maurício do Valle
Jece Valadão
Antonio Pitanga
Tarcísio Meira
Geraldo Del Rey
Género drama
País  Brasil
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

A Idade da Terra é um filme brasileiro de 1980, do gênero drama, dirigido por Glauber Rocha, o longa causou grande impacto , dividiu a crítica e arrancou elogios de intelectuais e cineastas, como o escritor Alberto Moravia e o cineasta Michelangelo Antonioni, que considerou "Uma lição de cinema moderno" . Foi o último filme de Glauber Rocha e aquele que mais gerou polêmica em sua carreira.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

" O filme mostra um Cristo-pescador, interpretado pelo Jece Valadão, um Cristo - negro interpretado por Antonio Pitanga; mostra o Cristo que um conquistador português Dom Sebastião interpretado por Tarcísio Meira e mostra o Cristo Guerreiro- Ogum de Lampião, interpretado por Geraldo Del Rey. Quer dizer os quatro Cavaleiros do apocalipse que ressuscitam o Cristo do terceiro mundo, recontando o mito através de dos quatro evangelistas : Mateus, Marcos, Lucas e João, cuja identidade e revelada no filme quase como se fosse um terceiro testamento . E o filme assume um tom profético, realmente bíblico e religioso".

Glauber Rocha

Elenco[editar | editar código-fonte]

Direção, Argumento e Roteiro: Glauber Rocha. Montagem: Carlos Cox, Raul e Ricardo Miranda. Fotografia: Roberto Pires e Pedro de Moraes. Câmera: John Howard Szerman. Cenografia e Figurino: Paula Moscovici. Som direto: Sylvia Alencar. Diretor de Produção: Walter Schilke. Música: Rogério Duarte. Produtor Executivo: Carlos A. Diniz.

Referências

  1. Terra Magazine, Glauber, o artista como filósofo, acesso em 8 de abril de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.