A Idade da Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Idade da Terra
 Brasil
1980 •  cor •  140 min 
Direção Glauber Rocha
Roteiro Glauber Rocha
Elenco Maurício do Valle
Jece Valadão
Antonio Pitanga
Tarcísio Meira
Geraldo Del Rey
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

A Idade da Terra é um filme brasileiro de 1980, do gênero drama, dirigido por Glauber Rocha, o longa causou grande impacto , dividiu a crítica e arrancou elogios de intelectuais e cineastas, como o escritor Alberto Moravia e o cineasta Michelangelo Antonioni, que considerou "Uma lição de cinema moderno" . Foi o último filme de Glauber Rocha e aquele que mais gerou polêmica em sua carreira.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

" O filme mostra um Cristo-pescador, interpretado pelo Jece Valadão, um Cristo - negro interpretado por Antonio Pitanga; mostra o Cristo que um conquistador português Dom Sebastião interpretado por Tarcísio Meira e mostra o Cristo Guerreiro- Ogum de Lampião, interpretado por Geraldo Del Rey. Quer dizer os quatro Cavaleiros do apocalipse que ressuscitam o Cristo do terceiro mundo, recontando o mito através de dos quatro evangelistas : Mateus, Marcos, Lucas e João, cuja identidade e revelada no filme quase como se fosse um terceiro testamento . E o filme assume um tom profético, realmente bíblico e religioso".

Glauber Rocha

Elenco[editar | editar código-fonte]

Direção, Argumento e Roteiro: Glauber Rocha. Montagem: Carlos Cox, Raul e Ricardo Miranda. Fotografia: Roberto Pires e Pedro de Moraes. Câmera: John Howard Szerman. Cenografia e Figurino: Paula Moscovici. Som direto: Sylvia Alencar. Diretor de Produção: Walter Schilke. Música: Rogério Duarte. Produtor Executivo: Carlos A. Diniz.

Referências

  1. Terra Magazine, Glauber, o artista como filósofo, acesso em 8 de abril de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.