Abade Suger de Saint-Denis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abade Suger (de uma janela medieval)
Basílica de Saint-Denis

Abade Suger (1081-1151) foi abade de Saint-Denis (França), desde 1122 até sua morte. Hábil diplomata, foi conselheiro de Luís VI e de Luís VII e Regente durante a Segunda Cruzada. Foi chamado, segundo Panofsky, de "o pai da monarquia francesa".

Em sua monografia sobre Suger, Panofsky defende a tese de que este tenha sido muito influenciado pela leitura das obras de Pseudo-Dionísio, o Areopagita. Suger teria encontrado naquelas obras “uma justificação filosófica para toda a sua atitude com respeito à vida e à arte” e conseqüentemente, para as intervenções arquitetônicas que realizou, ao conceber o monumento como obra teológica.

O Abade Suger, informa-nos Panofsky, ainda, "professava como téologo, proclamava como poeta, e praticava como patrono das artes e organizador de espetáculos litúrgicos", a abordagem anagógica, (o método que leva para cima) no sentido empregado pelo Pseudo-Areopagita, posteriormente revigorado por Duns Scot.

É considerado o primeiro mestre-de-obras da arquitetura gótica, pelas inovações promovidas na Basílica de Saint-Denis.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • DUBY, Georges, O Tempo das Catedrais. A Arte e a Sociedade.
  • PANOFSKY, Erwin. Arquitetura Gótica e Escolástica.
  • ______. O Abade Suger de S. Denis. In Significado das Artes Visuais, 3.