Adrianus Turnebus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adrianus Turnebus
Nascimento 1512
Les Andelys
Morte 12 de junho de 1565 (53 anos)
Paris
Nacionalidade Royal Standard of the King of France.svg francesa
Ocupação Humanista e filólogo

Adrianus Turnebus (Adrien Turnèbe ou Tournèbe) (Les Andelys, 1512 - Paris, 12 de junho de 1565) foi um humanista e filólogo francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Turnebus nasceu em Les Andelys, na Alta-Normandia. Aos doze anos de idade foi enviado a Paris para estudar, e chamou grande atenção pelo seu talento notável. Depois de ter o cargo de professor de belles-lettres na Universidade de Toulouse, em 1547, retornou a Paris como professor (ou leitor real) de Literatura grega no Colégio Real. Em 1562, trocou este posto pelo de professor de Filosofia grega.[1]

Em 1552 foi responsável pela impressão dos livros gregos na Imprensa Régia, em cuja tarefa foi ajudado por seu amigo, Guillaume Morel. Joseph Justus Scaliger foi seu aluno. Morreu de tuberculose em 12 de junho de 1565. Foi pai de Odet de Turnèbe.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Suas obras consistem principalmente de dissertações filológicas, comentários (sobre Ésquilo, Sófocles, Teofrasto, Fílon e Cícero), e de traduções de autores gregos para o latim e francês. Seu filho, Étienne publicou sua obra completa em três volumes (Estrasburgo, 1600), e seu filho Adrien publicou seu Adversaria, contendo explicações e emendas de numerosas passagens de autores clássicos.[2]

Referências

  1. Robert Appleton Company (1913). Adrianus Turnebus Enciclopédia Católica. Página visitada em 10 de maio de 2010.
  2. Michael Fontaine. Gaia Clementi, La filologia plautina negli Adversaria di Adrien Turnèbe. Studi e ricerche 76 Bryn Mawr Classical Review. Página visitada em 10 de maio de 2010.

Leituras adicionais[editar | editar código-fonte]

  • Oratio funebris por Léger du Chesne (Leodegarius a Quercu) prefixado à edição de Estrasburgo.
  • L. Clement, De Adriani Turnebi praefationibus et poematis (1899).
  • John Edwin Sandys, A History of Classical Scholarship (Cambridge, 1908) iii.
  • Michael Mattaire, Historia Typographorum Aliquot Parisiensium (Londres, 1817)