Afrotheria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaAfrotheria
1.Orycteropus afer 2.Dugong dugon 3.Rhynchocyon petersi  4.Trichechus sp. 5.Chrysochloridae sp. 6.Procavia capensis 7.Loxodonta africana 8.Tenrec ecaudatus

1.Orycteropus afer 2.Dugong dugon 3.Rhynchocyon petersi 4.Trichechus sp. 5.Chrysochloridae sp. 6.Procavia capensis 7.Loxodonta africana 8.Tenrec ecaudatus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Placentalia
Superordem: Afrotheria
Stanhope, 1998

A Afrotheria é um clado, podendo receber a denominação de coorte ou superordem, de mamíferos placentários, identificado recentemente por meio de análises genéticas, e que inclui os elefantes, o peixes-boi, o oricteropo, os hiráces, as toupeiras-douradas e os tenrecos.

Relações evolucionárias[editar | editar código-fonte]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Outros arranjos incluem as ordens extintas Bibymalagasia e Ptolemaiida. A este grupo, alguns paleontólogos e taxonomistas acrescentam ainda alguns condilartros próximos às famílias Phenacodontidae e Apheliscidae, assim como os placentários primitivos Leptictida, tradicionalmente incluídos nos Insectivora ou Proteutheria. A ligação dos musaranhos-elefantes (Macroscelidea) com os Apheliscidae parece cada vez mais segura (Tabuce et al., 2007), enquanto a alegada relação dos Phenacodonta com os Hyracoidea parece dever-se mais a convergência do que a uma relação de parentesco.

Problemas classificatórios[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que a Afrotheria tenha se originado na África no período que estava isolada dos outros continentes. Sua única característica externa comum é o focinho móvel (probóscide), embora há evidência convincente que esta estrutura é de fato homóloga dentre todos os membros deste grupo. O grande problema em considerar os Afrotérios como sendo originalmente um clado africano é seu registro fóssil. As mais antigas evidências fósseis dos ungulados africanos e musaranhos-elefantes foram encontradas fora da África.

A monofilia da Afrotheria não é universalmente aceita. Evidências morfológicas colocam os elefantes e seus aparentados como verdadeiros ungulados (Ungulata); os musaranhos-elefantes juntamente com os Glires; e os tenrecos e toupeiras-douradas na Lipotyphla.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Tabuce, R., Delmer, C., & Gheerbrant, E. (2007). Evolution of the tooth enamel microstructure in the earliest proboscideans (Mammalia). Zoological Journal of the Linnean Society 149 (4), 611–628.
  • William J. Murphy, Eduardo Eizirik, Mark S. Springer et al.. (14 December 2001). "Resolution of the Early Placental Mammal Radiation Using Bayesian Phylogenetics". Science 294 (5550): 2348-2351 pp..
  • Kriegs, Jan Ole, Gennady Churakov, Martin Kiefmann, Ursula Jordan, Juergen Brosius, Juergen Schmitz. (2006). "Retroposed Elements as Archives for the Evolutionary History of Placental Mammals". PLoS Biol 4 (4): e91 pp.. (pdf version)
  • Pardini AT, O'Brien PC, Fu B, Bonde RK, Elder FF, Ferguson-Smith MA, Yang F, Robinson TJ. (2007). Chromosome painting among Proboscidea, Hyracoidea and Sirenia: support for Paenungulata (Afrotheria, Mammalia) but not Tethytheria. Proc. Biol. Sci. 2007 May 22;274(1615):1333-40.
  • Tabuce, R., Marivaux, L., Adaci, M., Bensalah, M., Hartenberger, J.-L., Mahboubi, M., Mebrouk, F., Tafforeau, P. & Jaeger, J.-J. (2007). Early tertiary mammals from north Africa reinforce the molecular afrotheria clade. Proceedings of the Royal Society B - Biological Sciences, 274 (1614) : 1159-1166. 7 Maio 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]