Alberto de Áustria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O Cardeal Alberto de Áustria, por Peter Paul Rubens.

O Cardeal Alberto Ernesto de Habsburgo, simplesmente conhecido como Alberto de Áustria (Wiener Neustadt, 15 de Novembro de 1559 - Bruxelas, 13 de Julho de 1621), dito o Pio, foi cardeal, arquiduque de Áustria, Governador dos Países Baixos Espanhóis e Vice-Rei de Portugal.

Era filho de Maximiliano II, Imperador do Sacro Império (sendo filho de Fernando I e sobrinho de Carlos V), e da sua mulher Maria de Espanha (filha de Carlos V e irmã de Filipe II de Espanha).

Último filho varão de Maximiliano, foi destinado à vida religiosa, tendo sido feito cardeal da Igreja Católica em 3 de Março de 1577. O seu tio, Filipe II nomeou-o Vice-Rei de Portugal em 11 de Fevereiro de 1583 (cargo que exerceu durante dez anos), para substituir o Duque de Alba, que falecera em Dezembro do ano anterior e, de seguida, Arcebispo de Toledo (1584-1598).

Em 1595, foi nomeado Governador dos Países Baixos Espanhóis; em 1598, renunciou ao celibato para poder contrair matrimónio, após dispensa papal, com a sua prima co-irmã Isabel Clara Eugénia, filha do seu tio Filipe II, tendo-se tornado ambos soberanos nominais dos Países Baixos Espanhóis (congregando os títulos de Duques de Brabante, Guéldria, Limburgo, Luxemburgo, e Condes de Artois, Borgonha, Flandres, Hainaut e Namur).

Deste enlace nasceram três filhos, todos mortos em tenra idade, muito provavelmente devido à consaguinidade dos seus pais:

  • Filipe (1605)
  • Alberto (1607)
  • Ana Maurício

Alberto e Isabel fixaram a sua corte em Bruxelas, tendo acolhido sob a sua protecção alguns dos artistas mais importantes do seu tempo, como Rubens (designado pintor oficial da sua corte em 1609), o qual pintou vários retratos dos soberanos, e Brueghel.

Ao nível do conflito com os Países Baixos (a Guerra dos Oitenta Anos), saiu derrotado na batalha de Nieuwpoort (1600), mas conseguiu assediar com sucesso a cidade de Ostend, após um cerco de três anos (1601-1604). Em face disso, Alberto firmou com Maurício de Nassau uma trégua de doze anos (1609-1621).

Ao falecer em 1621, sem herdeiros legítimos, os Países Baixos retornaram ao controle da Coroa Espanhola.

Precedido por
Fernando Álvarez de Toledo y Pimentel,
3.º Duque de Alba
{{{título}}}
11 de Fevereiro de 1583 - 5 de Julho de 1593
Sucedido por
Conselho de Regência
Precedido por
Gaspar de Quiroga y Vela
Brasão cardinalício
Arcebispo de Toledo

1584 - 1598
Sucedido por
García Loaysa y Girón
Precedido por
Pedro Henriquez de Acevedo
Governador dos Países Baixos Espanhóis
1598 - 1621
(com Isabel Clara Eugénia)
Sucedido por
Isabel Clara Eugénia


Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.