Alfabeto aramaico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O sistema de escrita aramaico foi um abjad[1] [2] muito difundido na região da Mesopotâmia a partir do século VII a.C., sendo então adotado pelos persas.

Diferente do Latim que caiu em desuso por volta de 1300, o Aramaico ainda hoje é uma língua ativa nas aldeias do interior da Síria.

O aramaico é um idioma muito esclarecedor para a história da humanidade e sua importância reside no fato de ser o elo de reversão ao aramaico para conhecer a pronunciação dos nomes e dos sons das consoantes que formam o alfabeto hebraico; língua em desuso, muito antiga que até meados do século XX era impronunciável devido a ausência das vogais.

Diferente do hebraico, um alfabeto meramente decorativo somente visto em obras de arte e tapeçarias; o aramaico, ao contrário, sempre foi usado no interior da Síria e sua preservação se deve ao fato de ser escrito e falado pelos aldeões cristãos que durante milênios habitavam as diversas cidades ao norte de Damasco, entre elas reconhecidamente em Ma'lula e Yabrud "onde Jesus Cristo morou por 3 dias" e outras aldeias da Mesopotâmia reconhecidamente católicas por onde Cristo passou, como Tur'Abdin e Mardin ao sul da Turquia fizeram com que o Aramaico chegasse intacto até os dias de hoje.

No início do século passado, devido a perseguições políticas e religiosas fizeram com que milhares desses cristãos imigrassem para o ocidente onde hoje restam poucas centenas deles,

Escrita[editar | editar código-fonte]

A escrita Aramaica é abjad, ou seja, usa somente consoantes. O sentido de escrita é da direita para a esquerda em linhas horizontais, como ocorre, por exemplo, com as escritas hebraica e árabe.

O primitivo alfabeto aramaico contava com 22 símbolos para consoantes, as quais sofreram modificações por volta do século V a.C. e passaram a apresentar duas formas, uma cursiva e outra dita "quadrada", com traços mais retilíneos.

Alfabeto aramaico imperial[editar | editar código-fonte]

A tabela abaixo [3] apresenta formas do Alfabeto Aramaico usadas no Egito no século V a.C. As denominações estão conforme o aramaico bíblico. São apresentados os equivalentes hebraico, árabe e siríaco.

Nome da letra Forma da letra Letra Hebraico Árabe Siríaco Fonologia
Ālaph Aleph.svg 𐡀 א أ ܐ /ʔ/; /aː/, /eː/
Bēth Beth.svg 𐡁 ב ب‎ ܒ /b/, /v/
Gāmal Gimel.svg 𐡂 ג ج ܓ /ɡ/, /ɣ/
Dālath Daleth.svg 𐡃 ד د‎ ܕ /d/, /ð/
He0.svg 𐡄 ה ﻫ‎ ܗ /h/
Waw Waw.svg 𐡅 ו و‎ ܘ /w/; /oː/, /uː/
Zain Zayin.svg 𐡆 ז ز‎ ܙ /z/
Ḥēth Heth.svg 𐡇 ח خ,ح ܚ /ħ/
Ṭēth Teth.svg 𐡈 ט ط ܛ /tˤ/ enfático
Yudh Yod.svg 𐡉 י ي ܝ /j/; /iː/, /eː/
Kāph Kaph.svg 𐡊 כ ך ك ܟܟ /k/, /x/
Lāmadh Lamed.svg 𐡋 ל ل ܠ /l/
Mim Mem.svg 𐡌 מ ם م‎ ܡܡ /m/
Nun Nun.svg 𐡍 נ ן ن ܢܢ ܢ /n/
Semkath Samekh.svg 𐡎 ס س ܣ /s/
Ayin -‘Ē Ayin.svg 𐡏 ע غ,ع ܥ /ʕ/
Pe0.svg 𐡐 פ ף ف ܦ /p/, /f/
Ṣādhē Sade 1.svg, Sade 2.svg 𐡑 צ ץ ص‎ ܨ /sˤ/ enfático
Qoph Qoph.svg 𐡒 ק ق‎ ܩ /q/
Rēsh Resh.svg 𐡓 ר ر ܪ /r/
Shin Shin.svg 𐡔 ש ش,س ܫ /ʃ/
Tau Taw.svg 𐡕 ת ت‎,ث ܬ /t/, /θ/

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Abjads. Omniglot. Página visitada em 19 de Janeiro de 2012.
  2. Bringhurst, Robert. A Forma Sólida da Linguagem. São Paulo: Rosari, 2006. 71-72 p. ISBN 85-88343-44-4
  3. A Grammar of Biblical Aramaic de Franz Rosenthal

Referências externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.