Palmira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Sítio de Palmira *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Roman City Palmyra with Bel Temple.jpeg
A cidade romana de Palmira, com o Templo de Bel em evidência
País  Síria
Critérios (i)(ii)(iv)
Referência 23
Coordenadas 34° 33' 15" N 38° 16' E
Histórico de inscrição
Inscrição 1980  (4ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Palmira (hoje, chamada de Tadmor) era uma antiga cidade na Síria central, localizada num oásis a cerca de 210 km a nordeste de Damasco.

A localização estratégica da cidade, aproximadamente a meio da distância que vai do mar Mediterrâneo até ao rio Eufrates, tornou-a num ponto de paragem obrigatório para muitas das caravanas que seguiam aí a sua rota comercial.

O nome "Palmira" refere-se, tal como o prenome feminino, às palmeiras — árvore que supostamente existiria aí em grande quantidade.

História[editar | editar código-fonte]

Palmira tornou-se parte da província romana da Síria durante o reinado de Tibério (r. 14–37 d.C.). A cidade continuou a desenvolver-se e a ganhar importância até que se tornou uma cidade livre, sob o império de Adriano, em 129.

No século III, a sua rainha, Septímia Zenóbia criou alguns embaraços ao Império Romano ao autoproclamar-se rainha do Império de Palmira mas, em 272, o imperador romano Aureliano venceu-a em combate e encerrou sua independência. Ele levou-a para Roma e, depois de a expor numa parada triunfal acorrentada por correntes de ouro, manteve-a presa na vila de Tibur (hoje, Tivoli, Itália), de onde Zenóbia continuou a ter um papel na política romana por anos.

Templo do Sol em Palmira
Alvorada em Palmira
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palmira