Amório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Amório está localizado em: Turquia
Amório
Localização de Amório no que é atualmente a Turquia

Amório (em latim: Amorium; em grego: Ἀμόριον; transl.: Amorion; em árabe: Ammuriyya; em siríaco: Amurin) foi uma cidade da Frígia, fundada no século I a.C., que se situava a sudeste de Dorileia (atual Eskişehir) e a sudoeste de Ancira (atual Ancara). Foi fortificada cerca de 480 pelo imperador Zenão I.

História[editar | editar código-fonte]

No ano 644 (ou 646 segundo outras fontes) sofreu o primeiro ataque árabe conhecido. Posteriormente, Abd al-Rahman ben Khalid ben al-Walid voltou a atacá-la e ocupou-a temporariamente em 666. Em 669 voltou a ser oucpada durante a expedição de Yazid a Constantinopla, mas foi reconquistada pelo general bizantino Andreas.

Muhammad ibn Marwan e Maslama Ibn-Marwan voltaram a ocupá-la temporariamente numa expedição em 708, quando derrotaram o exército bizantino em frente às portas da cidades. Em 716, volta a ser ocupada por Maslama aquando do seu ataque a Constantinopla. O imperador Leão III, o Isáurio expulsou os árabes um par de anos depois e fortificou a cidade.

Constantino V refugiou-se em Amório em 741, durante a revolta de Artabasdo. Em 779 e 797 resistiu a ataques árabes que foram rechaçados. O segundo deles foi comandado por Al-Hasan ibn Qahtaba.

Cerco de Amórioiluminura do manuscrito conhecido como Escilitzes de Madrid (século XI/XII)

A dinastia amoriana deve o seu nome a Amório. O primeiro imperador dessa dinastia, Miguel II, o Amoriano, era alcunhado do "o Amoriano". Em 838, os arménios e os árabes vingam-se do ataque bizantino à Arménia um ano antes e entram pelo território bizantino, assediando durante 12 dias Amório, que acabaria ocupada e saqueada a 16 de agosto. Esta expedição foi comandada pessoalmente pelo califa abássida Al-Mu'tasim. A 16 de março de 845, 42 prisioneiros de Amório foram executados em Samarra, então a capital abássida, sendo considerados mártires pelos bizantinos. Al-Mu'tasim mandou reconstruir a cidade.

Em 931, o emir de Tars Thamal atacou Amório, provocando muitos estragos. Em 978, o general Bardas Esclero foi derrotado perto da cidade por Bardas Focas, enviado para o deter. Em 1068 sofreu as consequências do primeiro ataque turcos, que saquearam Amório e Neocesareia. O imperador bizantino entrou na Capadócia e expulsou os turcos um ano depois, mas estes voltaram em 1071, depois de terem derrotado os bizantinos na Batalha de Manziquerta.

Em 1116 Amório encontrava-se em poder dos seljúcidas, que a tinham ocupado em data desconhecida. Depois desaparece e converte-se numa pequena cidade sob o domínio otomano mencionada como Hirsacik em 1516. Em 1892 foi fundada nos arredores a vila de Hisarkoy.

As ruínas da antiga Amório foram descobertas pelo inglês Hamilton 12 km a leste de Ermidag (Aziziyya), perto das localidades de Hamza Hacil e Hisar, num local que os locais denominavam Hergan Kale. Atualmente são conhecidas como as ruínas de Asar ou Kale.

42 mártires de Amório[editar | editar código-fonte]

Após o saque de 838, 42 oficiais e cidadãos notáveis da cidade foram levados prisioneiros para Samarra como reféns. Quando ficou claro que não haveria pagamento de resgate, eles foram forçados a se converterem ao islã, se recusaram e foram executados em 845 por isso. A Igreja Ortodoxa os comemora como os "42 mártires de Amório"[1] .

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. René Grousset. Les Croisades (em francês). col: Que sais-je?, [S.l.: s.n.], 1947.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.