Antropometria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde outubro de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Antropometria (do grego άνθρωπος, transl. anthropos, "homem", e μέτρον, transl. metron, "medida") é o conjunto de técnicas utilizadas para medir o corpo humano ou suas partes.[1]

Origem[editar | editar código-fonte]

A origem da antropometria remonta-se à Antiguidade, pois egípcios e gregos já observavam e estudavam a relação das diversas partes do corpo. O reconhecimento dos biótipos remonta-se aos tempos bíblicos e o nome de muitas unidades de medida, utilizadas hoje em dia são derivados de segmentos do corpo.[1]

A importância das medidas ganhou especial interesse na década de 40 provocada de um lado pela necessidade da produção em massa, pois um produto mal dimensionado pode provocar a elevação dos custos e por outro lado, devido ao surgimento dos sistemas de trabalho complexos onde o desempenho humano é crítico e o desenvolvimento desses sistemas dependem das dimensões antropométricas dos seus operadores.[1]

Medidas diretas e relações[editar | editar código-fonte]

A partir de medições diretas, podem ser gerados índices.[1]

Índice cintura quadril[editar | editar código-fonte]

Relaciona a circunferência abdominal com o perímetro do quadril. É um indicativo indireto da quantidade de gordura visceral, a gordura que envolve os órgão intra-abdominais. A quantidade de gordura visceral está relacionada com um risco crescente de Aterosclerose e suas consequências, como o infarto agudo do miocárdio e o derrame cerebral.[1]

Índice de massa corpórea[editar | editar código-fonte]

Correlaciona peso e altura e é um indicativo de desnutrição ou obesidade.[1]

Aplicações[editar | editar código-fonte]

As medidas antropométricas são fundamentais no acompanhamento do desenvolvimento infantil, área coberta pela Puericultura, ramo da Pediatria. A Ortopedia utiliza técnicas antropométricas várias no diagnóstico e tratamento de doenças desta área e nas fraturas. Qualquer doença que mude a forma ou o tamanho do organismo como um todo ou parte dele tem como parte do seu manejo o uso da Antropometria.[1]

Usos controversos[editar | editar código-fonte]

A frenologia utiliza técnicas antropométricas visando prever padrões de inteligência e comportamento, baseando-se em premissas discutíveis.

Já na África do Sul, dados antropométricos foram utilizados para fomentar o apartheid, ao definir, por meio de características físicas externas — tipo e cor dos cabelos, cor da pele e dos olhos, formato das feições, entre outras —, quem era ou não caucasiano. À época era comum o teste do lápis, o qual era utilizado para definir se um Coloured (mestiço) seria classificado como branco ou negro.[2]

Referências

  1. a b c d e f g Ciro Romelio Rodriguez Añez (2001). Antropometria e ergonomia Revista Ergon, UFSC. Visitado em 12/06/2013.
  2. Nosimilo Ndlovu (24/05/2008). The 21-st century pencil test Mail & Guardian. Visitado em 12/06/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]