Arnulfo II da Flandres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arnulfo II da Flandres
Conde da Flandres
Arnulfo II da Flandres "o Jovem"
Nome completo
Arnulfo II da Flandres
Pai Balduíno III da Flandres
Mãe Matilde de Saxe
Nascimento c. 960 ou 961
Morte 30 de março de 987)
Ghent


Arnulfo II da Flandres[1] (c. 960 ou 961 - Ghent, 30 de março de 987), "o Jovem", foi conde da Flandres de 965 a 987.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era ainda uma criança a quando da morte de seu pai, Balduíno III da Flandres, corrida em 962, pelo que o seu avô Arnulfo I da Flandres, assume as rédias do governo do condado, cargo que assume até à sua morte em 965.

Enquanto Arnulfo, muito jovem estava desfrutando da sua juventude, e reivindicando a regência como suserano, o rei Lotário I de França invadiu Flandres, apoderando-se dos municípios Thérouanne, de Saint-Pol-sur-Ternoise, de Douai e Arras (Artois e Ostrevant). Perante estes acontecimentos, o bispo de Cambrai e Arras solicita ao Imperador Otão I, Sacro Imperador Romano-Germânico o resgate de forma a repor a situação. O imperador intervem obrigando à retirada de Lotário, que no entanto deixa país devastado.

Com a morte de Luís V de França em 21 de maio de 987, e em solidariedade coma família carolíngia, Arnulfo, apoia Carlos da Baixa Lotaríngia e seu filho Otto da Baixa Lotaríngia, façe a Hugo Capeto[2] , e não reconhece o rei eleito.

Este acontecimento levou a que Hugo Capeto invadisse a Flandres ocupando a Lys e Arras, levando Arnulfo a refugiar-se junto do o Duque Ricardo I da Normandia[3] , que intervém: Hugo Capeto, acaba por retirar-se dos territórios ocupados, mas o conde de Flandres é obrigado a reconhece-lo como rei.

Arnulfo morre um mês depois deste acontecimento, sofrendo de febres. O seu corpo foi enterrado na Abadia de Gand de Saint-Pierre.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Balduíno III da Flandres e Matilde de Saxe (? - 1008). Desta esta filiação foi filho-neto e sucessor de Arnulfo I da Flandres. Casou com Rosália de Ivrea, (ca. 937 - 7 de Fevereiro de 1003), que foi condessa da Flandres e depois rainha consorte de França, pelo seu 2º casamento com Roberto II de França[4] . Era filha de Berengário II de Itália (ca. 900Bamberg, 6 de julho de 966[5] ), rei da Itália, e de Willa III Toscânia-Arles (912 - 970), sendo portanto descendente de Carlos Magno. Deste casamento nasceram:

  1. Balduíno IV da Flandres [6] (980 - 30 de maio de 1035)[7] [8] . Casou por 2 vezes e teve pelo menos uma amante, o 1º casamento foi com Otgiva de Luxemburgo filha de Frederico do Luxemburgo (9656 de outubro de 1019) e de Irmentrude Konradiner, condessa de Gleiberg. O 2º casamento, foi depois de viúvo, e com Eleanor da Normandia (c. 1010 - 1071), filha de Ricardo II da Normandia[9] , duque da Normandia e de Judite da Bretanha
  2. Odo de Cambrai
  3. Matilde da Flandres (m. 995)

Como os seus filhos ainda não tinham atingido a maioridade à data da morte de Arnulfo, Rosália assumiu a sua tutela e a regência do condado.

Referências

  1. Arnoul de Flandre sur le site Foundation for Medieval Genealogy
  2. Histoire générale de la province d'Artois, page 171 (books.google.fr)
  3. Royal.gov.uk]
  4. Genealogia de Roberto II no site FMG (em francês)
  5. Stewart Baldwin: Berengario II in: Henry Project
  6. Inghels, Adhémar : Histoire des comtes de Flandre jusqu'à l'avènement de la Maison de Bourgogne 863-1384, P. Verbeke-Loys, 1843
  7. BAUDOUIN de Flandre ([980]-30 May 1035)
  8. Balduíno IV da Flandres "o Barbudo"
  9. Burke, John Bernard. The Royal Families of England, Scotland, and Wales, with Their Descendants, Sovereigns and Subjects. [S.l.: s.n.], 1852. ii–iii, Section V p. ISBN 1115404474 Página visitada em 2010-11-08.