Dinastia carolíngia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde setembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dinastia carolíngia
Pipinida
Arnulfida
Carolíngia
Após o Tratado de Verdun (843)

Carolíngia ou carlovíngia é o nome da dinastia franca que sucedeu aos merovíngios (751), com Pepino, o Breve, e restabeleceu o Império Romano do Ocidente de 800 a 887 (principalmente sob Carlos Magno). Seus últimos representantes reinaram na Alemanha até 911 e na França até 987.

Considera-se que a família merovíngia extinguiu-se com a morte do rei Dagoberto II, que foi substituída por seus antigos "Prefeitos do Palácio" (no singular, Majordomus), que pertenciam à linhagem carolíngia. Esses monarcas, incluindo Carlos Magno, casaram-se com princesas merovíngias, para legitimar cada vez mais a dinastia carolíngia.

Da mesma forma, no início do reinado da dinastia, foi divulgada uma genealogia que mostrava os carolíngios como descendentes da dinastia merovíngia.

Dinastia carolíngia: 751 - 987[editar | editar código-fonte]

As datas referentes a esta dinastia devem ser interpretadas com cautela, uma vez que a cronologia da época permanece confusa para os historiadores.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.