Casa de Tudor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casa de Tudor
House of Tudor
A Rosa de Tudor, uma junção da rosa vermelha e branca das casas reais Lencastre e Iorque respectivamente.
Status Extinta em 1603
Estado  Inglaterra
 Reino da Irlanda
Título Rei da Inglaterra
Rei da França¹
Lord da Irlanda
Rei da Irlanda
Origem
Fundador Owen Tudor
Fundação 1485
Casa originária Lencastre
Iorque
Etnia País de Gales Galesa
Soberania
Ultimo soberano Soberano Isabel I da Inglaterra
Linhagem secundária
Grey
¹ Título reivindicado

A casa de Tudor foi uma família nobre na qual teve uma dinastia homônima, que foram monarcas ingleses que reinou na Inglaterra entre o fim da Guerra das Rosas (1485) e 1603. A família Tudor se origina no século XII, com Ednyfed Fychan de Tregarnedd (1179-1246), senescal do Príncipe de Gwynedd, Llewelyn ap Iorwerth. O primogênito de seus 12 filhos, Gorowny, teve um filho, Tudur Hem, conhecido posteriormente como O Velho, que viveu de 1245 a 1311. Dele descendem os Tudor.

No total, cinco monarcas Tudors governaram seus domínios por pouco mais de um século.Henrique VIII da Inglaterra era o único herdeiro do sexo masculino Henrique VII que viveu até a idade adulta. Questões em torno da sucessão real (incluindo o casamento e os direitos de sucessão de mulheres) se tornaram grandes temas políticos durante a era Tudor. A casa de Stuart chegou ao poder em 1603, quando a linha Tudor foi extinta, quando Isabel I morreu sem filhos.

Origem[editar | editar código-fonte]

Brasão de armas da Inglaterra durante o período Tudor

No início do século XV viveu Owen Tudor (1400-1461), filho de Meredith Tudor, que se casou com Catarina de Valois, princesa de França, viúva de Henrique V de Inglaterra.

Da união nasceu Edmund Tudor, Conde de Richmond, que casou com Margareth Beaufort, neta de John de Gant, que foram os país de Henrique VII. As pretensões de Henrique VII à coroa baseavam-se no fato de ser tataraneto do rei Eduardo III, embora por duvidosas vias feminina e ilegítima. Para cimentar a sua posição, o primeiro soberano Tudor decidiu casar com Elizabeth de York, herdeira da Casa de York.

A Casa de Tudor governou a Inglaterra num período relativamente pacífico, depois da sucessão de guerras com a Escócia, da Guerra dos Cem Anos e da Guerra das Rosas. A economia e o comércio prosperaram apesar dos conflitos internos que marcaram o período, resultantes do repúdio da autoridade papal da Igreja Católica Romana e da fundação da Igreja Anglicana chefiada pelo próprio rei. Era o início dos movimentos protestantes na Europa. Por altura do fim do reinado de Isabel I, a última monarca Tudor,a Inglaterra se tornou uma das principais potências europeias.

Os Tudor foram sucedidos pela casa de Stuart, a dinastia reinante de monarcas escoceses, depois que Isabel I morreu em 1603 sem deixar descendentes diretos. A partir de então e até os dias de hoje, Inglaterra e Escócia formam uma união pessoal, o que emerge para a Grã-Bretanha.

Árvore genealógica com os principais membros[editar | editar código-fonte]


 
 
 
Casa de Plantageneta
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Casa de Lencastre
 
Casa de Iorque
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Henrique VII da Inglaterra
 
Isabel de Iorque
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Margarida Tudor
 
 
 
 
 
 
 
 
Henrique VIII da Inglaterra
 
 
 
 
 
 
Maria Tudor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Margarida Douglas
 
Jaime V da Escócia
 
Isabel I da Inglaterra
 
Maria I da Inglaterra
 
Eduardo VI da Inglaterra
 
 
Frances Brandon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Henrique Stuart
 
Maria da Escócia
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Joana Grey
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Jaime VI da Escócia
e I da Inglaterra
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis da Inglaterra e
Reis da Escócia
 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Casa de Tudor