Catarina Parr

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catarina Parr
Rainha Consorte da Inglaterra e Irlanda
Reinado 12 de julho de 1543
a 28 de janeiro de 1547
Predecessora Catarina Howard
Sucessora Ana da Dinamarca
Maridos Sir Edward Burgh
João Neville, 3.º Barão Latimer
Henrique VIII de Inglaterra
Tomás Seymour, 1.º Barão Seymour de Sudeley
Descendência
Maria Seymour
Casa Tudor (por casamento)
Pai Sir Thomas Parr
Mãe Maud Green
Nascimento 1512
Londres, Inglaterra
Morte 5 de setembro de 1548 (36 anos)
Winchcombe, Gloucestershire, Inglaterra
Enterro Capela de St. Mary, Castelo de Sudeley, Gloucestershire, Inglaterra
Assinatura

Catarina Parr (1512[1] – 5 de setembro de 1548) foi rainha consorte da Inglaterra e da Irlanda e a sexta e última esposa do rei Henrique VIII de Inglaterra. Casou-se com Henrique VIII em 12 de julho de 1543 e foi a quarta esposa plebeia que o rei tomou como consorte. Catarina também é a rainha inglesa que se casou mais vezes, tendo um total de quatro maridos.

Tinha um bom relacionamento com os três filhos de Henrique VIII e contribuiu de perto para a educação de Isabel e Eduardo – ambos, mais tarde, acabaram tornando-se monarcas da Inglaterra. Teve, ainda, bastante influência sobre o marido na questão do Terceiro Ato de Sucessão, de 1543, que colocou as princesas Maria e Isabel de volta à linha de sucessão ao trono.[2]

De julho a setembro de 1544, enquanto Henrique estava em uma campanha militar na França, Catarina foi nomeada regente. Em caso de morte do rei, ela permaneceria como regente até que o príncipe Eduardo atingisse a maioridade. Apesar disso, em seu testamento, Henrique não deixou nenhuma função no governo para a rainha. Por conta de sua simpatia por causas protestantes, Catarina despertou a inimizade de poderosas autoridades católicas, que, em 1546, numa tentativa de colocar o rei contra Catarina, chegaram a elaborar um mandado de prisão contra ela; no entanto, logo o rei e ela se reconciliaram. Catarina publicou um livro, Prayers or Meditations – tornando-se a primeira rainha inglesa a publicar uma obra usando o verdadeiro nome. Após a morte de Henrique, ela publicou The Lamentations of a Sinner e também assumiu o papel de guardiã de Isabel.

Seis meses depois da morte de Henrique VIII, Catarina casou-se, pela quarta e última vez, com Tomás Seymour, 1º Barão Seymour de Sudeley. O casamento foi breve, uma vez que Catarina morreu em setembro de 1548, provavelmente devido a complicações resultantes do parto.

Vida[editar | editar código-fonte]

Catarina nasceu em 1512, provavelmente em agosto, embora a data exata seja desconhecida.[1] Ela era a filha mais velha de Sir Thomas Parr, Lorde do Castelo de Kendal em Westmorland (hoje Cumbria), descendente de Rei Eduardo III, e Maud Green, filha e co-herdeira de Sir Thomas Green, Lorde de Greens Norton, Northamptonshire, e da sua mulher Maud Green. Os Parr eram uma importante família do norte que contava com vários membros condecorados. Catarina tinha um irmão mais novo, William, que mais tarde tornou-se o 1º Marques de Northampton, e uma irmã, Anne, que mais tarde tornou-se Condessa de Pembroke. Sir Thomas Parr era bastante próximo do rei Henrique VIII. Sua esposa, Lady Parr, era amiga e dama de companhia da rainha Catarina de Aragão (primeira esposa do rei Henrique VIII). Presume-se que Catarina tenha sido batizada com esse nome em homenagem à rainha, que também era sua madrinha.[1]

Com apenas 15 anos, casou com Edward, Lord Borough, que morreu poucos anos depois. No princípio da década de 1530, Catarina casou de novo com John Neville, Lord Latimer. Após a morte de Latimer, Catarina tornou-se numa viúva de enorme fortuna e atraíu as atenções de Tomás Seymour, irmão de Jane Seymour, que retribuiu. Catarina e Seymour fizeram planos de matrimónio, mas o rei Henrique VIII apaixonou-se por ela e propôs-lhe casamento. Sem força política para recusar os avanços do rei, Catarina cedeu e tornou-se na sua sexta mulher a 12 de Julho de 1543.

Enquanto rainha, Catarina procurou reconciliar o rei com as suas duas filhas, as princesas Maria e Isabel, então despromovidas como bastardas. A sua relação com Henrique VIII não foi propriamente tranquila, sendo frequentes as discussões entre os dois. No entanto, dado que o foco da discórdia era teologia, Catarina nunca perdeu o favor político e Henrique apreciava a sua cultura e tenacidade intelectual. As suas convicções religiosas, que lhe valeram a censura de Henrique por ser demasiado Protestante, eram uma das características e influenciaram a sua enteada Isabel, de quem era especialmente amiga.

Após a morte de Henrique VIII, Catarina conseguiu casar com o seu antigo apaixonado, Tomás Seymour. O casamento não foi provavelmente o que ela esperava, uma vez que Seymour se mostrava mais interessado no dinheiro dela e na Princesa Isabel, então a viver com o casal. Apesar disso, Catarina ficou grávida pela primeira vez, após quatro casamentos, e morreu de complicações relacionadas com o parto da sua filha Maria, que não sobreviveu por muito tempo.

Na mídia popular[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c A data exata de seu nascimento é desconhecida. O Dicionário Oxford de Biografia Nacional diz “nascida em 1512, provavelmente em agosto". Susan E. James, Katherine [Katherine Parr] (1512–1548), Oxford Dictionary of National Biography, Oxford University Press, 2004; edição online: accessada em 29 de novembro de 2012
  2. Jones, Phillipa. Elizabeth: Virgin Queen (em inglês). [S.l.]: New Holland Publishers Ltd, 2010. ISBN 1-84773-515-0.


Catarina Parr
1512 – 5 de setembro de 1548
Precedida por
Catarina Howard
Coat of Arms of Catherine Parr.svg
Rainha Consorte da Inglaterra e Irlanda
12 de julho de 1543 – 28 de janeiro de 1547
Sucedida por
Ana da Dinamarca



O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina Parr