Marinha Real Britânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marinha do Reino Unido
Naval Ensign of the United Kingdom.svg
Ensígnia Naval do Reino Unido
País  Reino Unido
Corporação Marinha
Subordinação Ministério da Defesa
Denominação Royal Navy
Sigla RN
Criação Século 16
Marcha "Heart of Oak"
História
Guerras/batalhas Guerra dos Cem Anos
Primeira Guerra Anglo-Holandesa
Segunda Guerra Anglo-Holandesa
Batalha de Quatro Dias
Terceira Guerra Anglo-Holandesa
Guerra dos Nove Anos
Guerra da Sucessão Espanhola
Guerra da orelha de Jenkins
Guerra da Sucessão Austríaca
Guerra dos Sete Anos
Guerra da Independência dos Estados Unidos
Guerras Napoleônicas
Glorioso primeiro de junho
Batalha do Nilo
Batalha de Copenhaga
Guerra de 1812
Primeira Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Guerra das Malvinas
Guerra do Golfo
Guerra do Kosovo
Guerra do Afeganistão
Invasão do Iraque
Comando
Comandante Supremo Rainha Elizabeth II do Reino Unido
Sede
Quartel General Whitehall
Dois navios da classe Daring da marinha britânica.

A Marinha Real Britânica (em inglês: Royal Navy) é o ramo naval das Forças Armadas do Reino Unido. Fundada no Século XVI, é o ramo mais antigo de serviços e por isso é conhecida como o Serviço Sênior. Desde o final do Século XVII até meados do Século XX, era a marinha mais poderosa do mundo, desempenhando um papel fundamental no estabelecimento do Império Britânico como a potência mundial dominante.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Marinha Real foi substituída pela Marinha dos Estados Unidos como a principal potência naval do mundo. Durante a Guerra Fria, transformou-se em uma força principalmente anti-submarino, caçando os submarinos soviéticos, mais ativos na brecha GIUK. Com a dissolução da União Soviética, o seu papel para o Século 21 voltou a se concentrar em operações expedicionárias globais.

A Marinha Real é uma marinha de águas azuis, e a sua capacidade de projetar poder globalmente é considerada como a segunda, atrás apenas da Marinha dos Estados Unidos.

Como uma proeminente marinha de águas azuis, ela opera uma série de navios tecnologicamente sofisticados, incluindo porta-aviões, navios de assalto anfíbio, submarinos nucleares lançadores de mísseis balísticos, submarinos nucleares, contratorpedeiros, fragatas, caça-minas e navios de patrulha. A Marinha Real mantém as armas nucleares do Reino Unido através de seus mísseis balísticos lançados de submarinos.

O Marinha Real conta com sua própria aviação naval, a Fleet Air Arm, que opera helicópteros a partir de embarcações, e no passado operou aeronaves de asa fixa incluindo caças como Sea Harrier, F4U Corsair e Supermarine Spitfire.

Está presente em todos os oceanos do planeta, e entre as dezenas de conflitos em que atuou nas últimas décadas, destacou-se a sua atuação na Guerra das Malvinas, em 1982.

História[editar | editar código-fonte]

Operação Ellamy[editar | editar código-fonte]

Durante a Guerra Civil Líbia em 2011, e para que a Resolução 1973 do Conselho de Segurança das Nações Unidas fosse cumprida, o Reino Unido enviou próximo ao território líbio alguns navios da Marinha Real Britânica, tais como as fragatas HMS Westminster (F237) e HMS Cumberland (F85), os submarinos nucleares HMS Triumph (S93) e HMS Turbulent (S87), o contratorpedeiro HMS Liverpool (D92) e o navio caça-minas HMS Brocklesby (M33). [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Marinha Real Britânica
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.