Cruzador pesado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
HMS Raleigh um cruzador da classe Hawkins em torno de que os limites de tratado para cruzadores pesados foram escritos.

O cruzador pesado era um tipo de cruzador; um navio de guerra naval. Os primeiros cruzadores pesados foram construídos em 1915, embora a definição oficial não estêve finalizada até que muito mais tarde (ver abaixo). O cruzador pesado e leve são descendentes dos cruzadores protegidos (mas não dos cruzadores blindados que evoluíram em couraçados) da parte mais adiante do século XX. O cruzador pesado era geralmente mais pesado e armado com canhões de grande calibre do que o cruzador leve.

Evolução & definição[editar | editar código-fonte]

Tratado de Washington[editar | editar código-fonte]

HMS Camberra da Classe County "Cruzador do Tratado"

O tratado naval de Washington de 1921 restringiu a construção dos navios de guerra de mais de 10.000 toneladas de deslocamento padrão ou com armamento de um calibre maior do que oito polegadas (203 milímetros). Estes limites foram definidos pela existência das 9.750 toneladas da marinha real britânica, classe de Hawkins de canhão de 7.5 polegadas (190 milímetros) de 1915. Estes navios são descendetes diretamente do grupo precedente do Grupo Birmingham da Classe Town cruzadores leves de 5.440 toneladas e naquele tempo definidos como “cruzadores leves melhorados”. Os maioria da marinhas do mundo começaram construir cruzadores até estes limites.

Tratado de Londres[editar | editar código-fonte]

Em 1930, o Tratado Naval de Washington foi estendido pelo Tratado naval de Londres, que dividem a definição de cruzador em cruzadores pesados - aqueles com canhões maiores de 6.1 polegadas (155 milímetros) - e nos cruzadores leves - aqueles com canhões de pequeno-calibre. O limite superior de 10.000 toneladas de deslocamento aplicou-se ainda a ambos. Este tratado finalizou a definição destes tipos do navio de guerra.

Pela metade dos anos de 1930, Grã-Bretanha, França e Itália tinham parado de construir cruzadores pesados, se concentrando na construção de cruzadores leves que julgou servir mais a suas necessidades. O armamento baseado em canhões de oito-polegada (203 milímetros) foi considerado no total bem inferior aos canhões de 6 polegadas(152 milímetros), que poderiam ser atirados mais rapidamente e pesando menos do que as oito polegadas. A blindagem mais pesada das oito polegadas era de pouca vantagem, como a maioria dos navios que poderiam suportar uns acertos de canhões de seis polegadas (152 milímetros) protegidos também para suportar acertos de oito polegadas. Isto conduziu à construção de cruzadores leves grandes até as 10.000 toneladas do limite, com doze a quinze canhões de seis-polegada.

Marinha dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Na marinha dos Estados Unidos, o termo veio primeiramente no uso oficial em 1930, com o símbolo CA da classificação do casco de que fez parte sobre o cruzador blindado. Uns cruzadores pesados mais recentes tinham sido dados a designação do CL (para cruzadores leves), e foram então reclassificados.

O tratado naval de Londres de 1930 aboliou essencialmente o termo cruzador blindado, e adotou os termos cruzador pesado e cruzador leve. Após este, o símbolo "CA" foi usado para designar o cruzador pesado. Embora os cruzadores pesados tiveram frequentemente calibres similares aos canhões dos cruzadores blindados, muito embora os cruzadores pesados se distanciaram deste e aproximaram sua linhagem aos projetos dos cruzadores leves.