União das Coroas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uniões pessoais e legislativas das
Nações constituintes do Reino Unido
Devolução
Soberania

A União das Coroas (Março de 1603) decorre na sequência da subida ao trono da Inglaterra de Jaime VI, Rei da Escócia, que, assim, une a Escócia e a Inglaterra. Isto seguiu-se à morte da sua prima solteira e sem filhos, Isabel I de Inglaterra, a última monarca da dinastia Tudor.

"A Inglaterra ea Escócia com Minerva e amor" pintura alegórica de Peter Paul Rubens representando a União das Coroas.

O termo em si, mas agora geralmente aceite, é enganoso, pois, mais correctamente, esta foi apenas uma união pessoal ou dinástica, sendo que as Coroas permaneciam separadas, apesar dos esforços de Jaime para criar um novo trono "imperial" da "Grã-Bretanha". Inglaterra e Escócia continuaram como Estados soberanos, apesar de partilharem o mesmo monarca, até que o Ato de União, em 1707, durante o reinado do último monarca da dinastia Stuart, Ana da Grã-Bretanha.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História do Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.