Henrique VII de Inglaterra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Henrique VII
Rei da Inglaterra e França
Lorde da Irlanda
Rei da Inglaterra
Reinado 22 de agosto de 1485
a 21 de abril de 1509
Coroação 30 de outubro de 1485
Predecessor Ricardo III
Sucessor Henrique VIII
Esposa Isabel de Iorque
Descendência
Artur, Príncipe de Gales
Margarida Tudor, Rainha da Escócia
Henrique VIII de Inglaterra
Isabel Tudor
Maria Tudor, Rainha da França
Edmundo Tudor, Duque de Somerset
Catarina Tudor
Casa Tudor
Pai Edmundo Tudor, Conde de Richmond
Mãe Margarida Beaufort
Nascimento 28 de janeiro de 1457
Castelo de Pembroke, Pembroke, Pembrokeshire, Principado de Gales
Morte 21 de abril de 1509 (52 anos)
Palácio de Richmond, Londres, Inglaterra
Enterro Abadia de Westminster, Londres, Inglaterra
Assinatura

Henrique VII (28 de Janeiro de 1457 - 21 de Abril de 1509) foi o primeiro Rei de Inglaterra da casa de Tudor, reinando entre 1485 e 1509. A sua subida ao poder e o seu casamento com Isabel de Iorque colocaram um fim na Guerra das Rosas e consequente instabilidade política.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Henrique nasceu em Pembroke, no País de Gales, filho de Edmundo Tudor, Conde de Richmond, de quem herdou o título, e de Margarida Beaufort, trineta de Eduardo III de Inglaterra por via de João de Gant. Seu pai morreu dois meses depois de seu nascimento. Henrique passou parte de sua vida com o tio, Jasper Tudor. Quando Eduardo IV retornou ao trono em 1471, Henrique foi obrigado a fugir para a Bretanha, onde permaneceu durante 14 anos. Através da sua mãe, Henrique podia ser considerado como candidato ao trono na confusão política da Guerra das Rosas. Por isso mesmo cresceu no exílio na Bretanha, a salvo da Casa de Iorque, que o via como ameaça.

Chegada ao poder[editar | editar código-fonte]

Durante o reinado do popular Eduardo IV, a facção de Lancaster à qual Henrique pertencia pouco pode fazer para reaver o trono. No entanto, a sua morte repentina em 1483 e o golpe que levou o seu irmão o Duque de Gloucester ao trono como Ricardo III, fez renascer o conflito.

No mesmo ano, Henrique abandonou a Bretanha para unir-se à rebelião de seu primo Henrique Stafford, Duque de Buckingham contra Ricardo III; entretanto, a vitória deste último forçou Henrique a fugir precipitadamente para a Bretanha, buscando de novo o amparo do Duque da Bretanha, Francisco II. Em 1485, depois de receber apoio financeiro do duque, e assegurando um certo apoio galês, Henrique lançou uma nova rebelião ao desembarcar de novo em Gales; Ricardo III saiu ao encontro de Henrique, mas, devido à traição de certos nobres, seu exército foi incapaz de ganhar a batalha de Bosworth, na qual o próprio Ricardo III lutou com valentia e morreu em 22 de agosto de 1485.

Com Ricardo III morto no conflito, Henrique foi aclamado rei sem nenhum opositor direto. Sua luta pelo direito ao trono se baseou no fato de seu avô paterno ter se casado com Catarina de Valois viúva de Henrique V, além do que o lado da mãe (Beauforts) dizia ter o sangue real pela parte ilegítima de João de Gante, terceiro filho de Eduardo III.

Início do reinado[editar | editar código-fonte]

A sua primeira medida foi declarar-se rei desde o dia da batalha, o que tecnicamente lhe permitia acusar e condenar todos os que lutaram contra ele por traição. Curiosamente, Henrique VII não exerceu este direito na plenitude e deixou viver alguns opositores. Para sarar as feridas entre a nobreza de Inglaterra, prometeu ainda casar com Isabel de Iorque, filha de Eduardo IV sendo portanto a herdeira da família inimiga, o que aconteceu em 18 de janeiro de 1486. Isso marcou a união das casas de Iorque e Lancaster e a Dinastia Tudor foi representada por uma rosa que unia as rosas das duas casas. Henrique VII não era no entanto um rei permissivo e grande parte do sucesso do seu reinado, relativamente pacífico, deve-se ao facto de ter mantido os seus nobres sob apertada vigilância.

Economia e medidas diplomáticas[editar | editar código-fonte]

Com a coroa segura, Henrique dedicou-se à reconstrução do reino, devastado pela guerra civil. Não fez nenhuma tentativa de reaver as possesões inglesas em França (como o Ducado da Aquitânia), perdidas nos episódios finais da guerra dos cem anos. Em vez disso investiu o seu tempo na reestruturação dos impostos, aumentando a carga fiscal da nobreza, e da economia em geral. Uma das medidas neste campo foi subsidiar a construção de uma frota comercial para desenvolver o comércio com o continente. A marinha inglesa provou ser uma boa aposta, como se verificou no reinado da sua neta Isabel.

Do ponto de vista diplomático, Henrique procurou restaurar as relações com França, e Escócia. Com a Espanha dos Reis Católicos, Henrique negociou o casamento de Catarina de Aragão com o seu herdeiro Artur, Príncipe de Gales. Depois da morte deste, Catarina tornou-se na mulher do seu segundo filho Henrique, então Duque de Iorque. Esta união, em particular o divórcio com que terminou, iria trazer consequências dramáticas para a história da Europa.

Henrique VII também formou uma aliança com o Sacro Império Romano, sob o reinado do imperador Maximiliano I (1493–1519) e convenceu o Papa Inocêncio VIII a editar a Bula da Excomunhão contra todos os pretendentes ao trono de Henrique VII.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Os filhos de Henrique e Isabel de Iorque:

Nome Nascimento Morte Observações
Artur, Príncipe de Gales 20 de setembro de 1486 2 de abril de 1502 Casou com Catarina de Aragão (1485 - 1536) em 1501. Sem descendência.
Margarida Tudor, princesa de Inglaterra 28 de novembro de 1489 18 de outubro de 1541 (1) Jaime IV, rei de Escócia (1473 - 1513) em 1503. Teve descendência. Casou com (2) Archibald Douglas, 6º Conde de Angus (1489 - 1557) em 1514. Teve descendência. Casou com (3) Henry Stewart, lorde Methven (c. 1495 - 1552). Teve descendência.
Henrique VIII, rei de Inglaterra 28 de junho de 1491 28 de janeiro de 1547 Casou com (1) Catarina de Aragão (1485 - 1536) em 1509. Teve descendência. Casou com (2) Ana Bolena (1501 - 1536) em 1533. Teve descendência. Casou com (3) Joana Seymour (1503 - 1537) em 1536. Teve descendência. Casou com (4) Ana de Cleves (1515 - 1557) em 1540. Sem descendência. Casou com (5) Catarina Howard (1520 - 1542) em 1540. Sem descendência. Casou com (6) Catarina Parr (1512 - 1548) em 1543. Sem descendência.
Isabel Tudor, princesa de Inglaterra 2 de julho de 1492 14 de setembro de 1495 Morreu jovem. Sem descendência.
Maria Tudor, princesa de Inglaterra 18 de março de 1496 27 de junho de 1523 Casou com (1) Luís XII, rei de França (1462 - 1515) em 1514. Sem descendência. Casou com (2) Charles Brandon, 1.º duque de Suffolk (1484 - 1545) em 1516. Teve descendência.
Edmundo Tudor, Duque de Somerset 21 de fevereiro de 1499 19 de junho de 1500 Morreu jovem. Sem descendência.
Catarina Tudor, princesa de Inglaterra 2 de fevereiro de 1503 2 de fevereiro de 1503 Morreu jovem. Sem descendência. A mãe, Isabel de Iorque, morreu em consequência do nascimento de Catarina.

Morte[editar | editar código-fonte]

Henrique VII morreu em 1509 e está sepultado na Abadia de Westminster, em Londres.


Henrique VII de Inglaterra
Casa de Tudor
28 de janeiro de 1457 – 21 de abril de 1509
Precedido por
Ricardo III
Coat of Arms of Henry VII of England (1485-1509).svg
Rei da Inglaterra e Lorde da Irlanda
22 de agosto de 1485 – 21 de abril de 1509
Sucedido por
Henrique VIII