Diego Garcia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diego Garcia
Diegogarcia.jpg
A Ilha de Diego Garcia no arquipélago de Chagos.
7° 18′ 48″ S, 72° 24′ 40″ E
Geografia física
País Reino Unido Reino Unido
Localização Mar Indíco
Arquipélago Arquipélago de Chagos
Geografia humana
População 4 000
Rockwell-B-1-Bombadeiros em Diego Garcia

Diego Garcia é o maior atol do arquipélago de Chagos, que é a última parte restante do Território Britânico do Oceano Índico. A ilha principal tem o mesmo nome do atol é a única ilha do arquipélago.

Navegantes portugueses descobriram o atol e terão batizado assim a ilha na época os descobrimentos, mas alguns relatos escritos poderão ter sido distorcidos involuntariamente tornando Deo Gracias em Diego Garcia. O administrador colonial português Pedro de Mascarenhas pode ter descoberto a ilha durante a sua viagem de 1512-1513, mas há pouca evidência que comprove isso; a análise cartográfica aponta para 1532 ou mais tarde.

Situada na região meridional sul do território, possui uma posição super estratégica e é utilizada com muita frequência pelos Estados Unidos da América e Reino Unido para fins militares.

Uma das estações de controlo do sistema de posicionamento global (GPS) está situada na ilha.

Todos os nativos das ilhas foram removidos à força no início de 1970 pelos britânicos como parte de um acordo com os Estados Unidos. A maioria deles foi enviada para Maurício e Seychelles, localizadas a mais de mil quilómetros de distância.

Durante as últimas quatro décadas, os ex-habitantes de Diego Garcia e os seus descendentes têm lutado pelo direito de voltar.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Forcibly Exiled Nearly 40 Years Ago, Diego Garcia Natives Fight to Return to Island Home Now Used as Key US Military Outpost, democracynow.org, 9 de outubro 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]