Casa de Saboia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casa de Saboia
Casa di Savoia

Brasão de armas da casa de Saboia.
Estado Flag of Albania (1939-1943).svg Albânia
Flag of Independent State of Croatia.svg Croácia
Flag of Italy (1861-1946).svg Etiópia
Royal Standard of the King of France.svg França
Flag of Italy (1861-1946).svg Itália
 Espanha
Título Conde de Saboia
Imperador da Etiópia
Rei da Albânia
Rei do Chipre
Rei de Jerusalém
Rei da Croácia
Rei da Itália
Rei da Sardenha
Rei de Espanha
Origem
Fundador Humberto I de Saboia
Ano de fundação 1003
Liderança
Pretendente Vítor Emanuel¹
Pretendente Amedeo de Saboia-Aosta¹
Ramos
Saboia-Carignano
Ducado de Aosta
Ducado de Genoa
¹ Ambos disputam a liderança da casa.

A Casa de Saboia (português europeu) ou Casa de Savoia (português brasileiro), em italiano: Casa di Savoia, é uma família nobre europeia e foi a dinastia soberana do Ducado de Saboia - uma região que englobava partes do atual Nice e Piemonte, na Itália, e da atual Saboia, na França (da qual fazia parte a zona costeira do lago Lemano do actual Cantão de Vaud, na Suíça), e posteriormente, a família real do reino da Sardenha e do Reino da Itália.

Os Saboia inicialmente foram soberanos de um condado, a partir do século X, e detinham o título nobiliárquico de conde, sendo elevados a duques de Saboia em 1416, mas continuaram a governar o mesmo território.

História[editar | editar código-fonte]

Estados italianos em 1494

Em 1720, Vítor Amadeu II de Saboia, tornou-se rei da Sardenha assim como a sua descendência. O seu descendente Vítor Emanuel II tornou-se o primeiro rei da Itália [1] unificada em 1861.

O reinado da Casa de Saboia em Itália terminou em 13 de junho de 1946, com um referendo no qual os italianos escolheram a república como a sua forma de Estado. Segundo a constituição da República Italiana, os descendentes titulares da Casa de Saboia do sexo masculino ficavam proibidos de entrar em Itália. Só em 2002 essa disposição foi alterada e os membros titulares da família foram autorizados a entrar e permanecer no país.

A família Saboia foi a proprietária do Santo Sudário entre 1453 e 1983. Habitaram vários palácios, que foram denominados como as antigas residências da Casa de Saboia.

Brasões[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Ligações externos[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Os primeiros a usar o título de rei da Itália foram os soberanos lombardos dos quais deriva a a tradição de coroação em Pávia, então capital do reino Lombardo, com a Coroa de Ferro. A estes seguiram-se os soberanos carolíngios Berengário e Arduíno d'Ivrea. Depois o título foi incorporado pelos soberanos do Sacro Império Romano-Germânico que o associaram ao título imperial. A coração continuou a ser em Pávia. Caído depois em desuso, o título foi novamente usado por Napoleão Bonaparte, que foi coroado com a Corroa de Ferro na Catedral de Milão, em 26 de maio de 1805.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alessandro Barbero, o Ducado de Saboia, o tribunal de um Estado da Administração franco-italiana , Roma-Bari 2002, ISBN 88-420-6708-3
  • Henry Ricchiardi, bandeiras e emblemas do Piemonte , Turim, Pearson, 1996.
  • Joseph Hills, História de Turim , 2002, Turim, a ponto de publicação.
  • Cibrario Louis, História de Turim de 1846, de Turim.
  • Guido Amoretti, O Ducado de Saboia 1559-1713 , Torino, Daniela Piazza Publisher, 1984 .
  • Vários autores, A História do Piemonte e Florença e Bonechi e 2006 . (5 volumes)
  • Giovanni Andrea Pauletti, História de Turim com uma breve descrição de todos os membros da Casa de Saboia , 1676.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Casa de Saboia