Casa de Saboia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Casa de Saboia
Casa di Savoia

Brasão de armas da Casa de Saboia.
País:
Títulos:
Fundador: Humberto I
Último soberano: Humberto II
Atual soberano: Vítor Emanuel
Príncipe Amedeo
Ano de fundação: 1003
Ano de dissolução: 12 de junho de 1946
Linhagem secundária: Saboia-Carignano
Ducado de Aosta
Ducado de Genoa

A Casa de Saboia (português europeu) ou Casa de Savoia (português brasileiro), em italiano: Casa di Savoia, é uma família nobre europeia e foi a dinastia soberana do Ducado de Saboia - uma região que englobava partes do atual Nice e Piemonte, na Itália, e da atual Saboia, na França (da qual fazia parte a zona costeira do lago Lemano do actual Cantão de Vaud, na Suíça), e posteriormente, a família real do reino da Sardenha e do Reino da Itália.

Os Saboia inicialmente foram soberanos de um condado, a partir do século X, e detinham o título nobiliárquico de conde, sendo elevados a duques de Saboia em 1416, mas continuaram a governar o mesmo território.

História[editar | editar código-fonte]

Estados italianos em 1494

Em 1720, Vítor Amadeu II de Saboia, tornou-se rei da Sardenha assim como a sua descendência. O seu descendente Vítor Emanuel II tornou-se o primeiro rei da Itália [1] unificada em 1861.

O reinado da Casa de Saboia em Itália terminou em 13 de junho de 1946, com um referendo no qual os italianos escolheram a república como a sua forma de Estado. Segundo a constituição da República Italiana, os descendentes titulares da Casa de Saboia do sexo masculino ficavam proibidos de entrar em Itália. Só em 2002 essa disposição foi alterada e os membros titulares da família foram autorizados a entrar e permanecer no país.

A família Saboia foi a proprietária do Santo Sudário entre 1453 e 1983. Habitaram vários palácios, que foram denominados como as antigas residências da Casa de Saboia.

Brasões[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Ligações externos[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Os primeiros a usar o título de rei da Itália foram os soberanos lombardos dos quais deriva a a tradição de coroação em Pávia, então capital do reino Lombardo, com a Coroa de Ferro. A estes seguiram-se os soberanos carolíngios Berengário e Arduíno d'Ivrea. Depois o título foi incorporado pelos soberanos do Sacro Império Romano-Germânico que o associaram ao título imperial. A coração continuou a ser em Pávia. Caído depois em desuso, o título foi novamente usado por Napoleão Bonaparte, que foi coroado com a Corroa de Ferro na Catedral de Milão, em 26 de maio de 1805.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alessandro Barbero, o Ducado de Saboia, o tribunal de um Estado da Administração franco-italiana , Roma-Bari 2002, ISBN 88-420-6708-3
  • Henry Ricchiardi, bandeiras e emblemas do Piemonte , Turim, Pearson, 1996.
  • Joseph Hills, História de Turim , 2002, Turim, a ponto de publicação.
  • Cibrario Louis, História de Turim de 1846, de Turim.
  • Guido Amoretti, O Ducado de Saboia 1559-1713 , Torino, Daniela Piazza Publisher, 1984 .
  • Vários autores, A História do Piemonte e Florença e Bonechi e 2006 . (5 volumes)
  • Giovanni Andrea Pauletti, História de Turim com uma breve descrição de todos os membros da Casa de Saboia , 1676.