Asclepíades de Samos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Asclepíades
Ασκληπιάδης ο Σάμιος
Nascimento ca. 320 a.C.
Samos
Morte
Nacionalidade grego
Ocupação epigramatista, poeta lírico

Asclepíades de Samos (Sicelidas[1] [2] ; em grego antigo: Ασκληπιάδης ο Σάμιος) (ca. 320 a.C.)[1] [3] foi um epigramatista e poeta lírico grego, que floresceu aproximadamente em 270 a.C. Era amigo de Hédilo e, possivelmente, de Teócrito.[4] Recebeu a cidadania honorária em Delfos cerca de 275 a.C.[5]

Asclepíades foi o primeiro e o mais importante dos epigramatistas sociais e eróticos. Apenas algumas de suas composições foram concebidas como "epígrafes" funerárias, se é que existiram.[6] Outros poemas cantam louvores àqueles poetas a quem ele mais admirava, mas a maioria de sua obra que sobreviveu são canções de amor. É de se duvidar que ele seja o autor de todos os epigramas (cerca de quarenta no total) que levam o seu nome na Antologia grega. A ele foi creditada a criação da métrica que leva seu nome, asclepiadeu (verso lírico, composto de um espondeu, dois coriambos e um iambo).[7]

A única fonte para os conhecidos epigramas de Asclepíades é a Antologia grega.[8] A maioria dos epigramas de Asclepíades aparecem nas duas principais coleções de epigramas bizantinos que constituem a Antologia grega: a Antologia palatina e a Antologia planudesiana. Epigramas xxxix e xliii só aparecem na Antologia planudesiana, que é a menos completa das duas no que diz respeito aos epigramas de Asclepíades, todas as restantes estão na Antologia palatina.[8] Some papiros que foram restaurados contêm porções de epigramas conhecidos e porções de outros epigramas desconhecidos atribuídos a Asclepíades.[9]

Edições[editar | editar código-fonte]

  • In: Gow, A. S. F. e Page, Denys. The Greek Anthology: Hellenistic Epigrams. [S.l.: s.n.], 1965. 44–56 pp. vol. i. com comentário em ii pp. 114–151.
  • In: Sens, Alexander. Asclepiades of Samos: Epigrams and Fragments. Oxford, Inglaterra: Oxford University Press, 2011. ISBN 978-0-19-925319-7 Traduzido para o inglês por Alexander Sens

Notas

  1. a b DeMaria, Robert, Jr. e Brown, Robert D.. Classical Literature and its Reception: An Anthology. Malden, Massachusetts: Blackwell, 2007. p. 299. ISBN 978-1-4051-1293-2
  2. Clack, Jerry. Asclepiades of Samos and Leonidas of Tarentum: The Poems. Wauconda, Illinois: Bolchazy-Carducci Publishers, 1999. Capítulo: Introduction. , p. 3–4. ISBN 978-0-86516-456-7
  3. Green, Peter. Alexander to Actium: The Historical Evolution of the Hellenistic Age. 2ª ed. Berkeley, Califórnia: University of California Press, 1993. p. 175. ISBN 978-0-520-08349-3
  4. Além da clara indicação de que o seu trabalho era conhecido por poetas como Calímaco e Teócrito que trabalharam em Alexandria, nunca ficou estabelecido com toda a certeza que Asclepíades visitou a cidade. Recentemente, A. Cameron tem procurado confirmar sua permanência lá tomando por referência vários epigramas ... Clack 1999
  5. Clack 1999
  6. Sens, Alexander. In: Sens, Alexander. Asclepiades of Samos: Epigrams and Fragments. Oxford, England: Oxford University Press, 2011. Capítulo: Introduction: III. Asclepiades and Inscribed Epigram. , xxxvii–xlii pp. ISBN 978-0-19-925319-7 Traduzido para o inglês por Alexander Sens
  7. Wright, F. A.. (1921). "Asclepiades of Samos". The Edinburgh Review 233: 329&ndah;342, página 331.
  8. a b Sens 2011
  9. Sens 2011

Referências

Wikisource  "Asclepiades (of Samos)". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]