Ashita no Joe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ashita no Joe


Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Ashita no Joe (あしたのジョー, Ashita no Jō?), conhecido nos Estados Unidos como Tomorrow's Joe, é um manga de boxe criado por Tetsuya Chiba e Asao Takamori em 1968 sendo publicado pela Weekly Shonen Magazine.

Ganhou duas adaptaçoes para anime, a primeira versão intitulada Ashita no Joe estreou em 1970 e durou 79 episodios, a segunda versão intitulada Ashita no Joe 2 estreou em 1980 e foi uma continuaçao da primeira série, dessa vez com apenas 47 episodios. Ambas dirigidas pelo famoso diretor Osamu Dezaki.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Até onde você iria em busca de um sonho?

Danpei Tange é um boxeador frustrado. Largou os ringues quando perdeu a visão de um dos olhos, e desistiu de ser treinador quando foi traído por seu discípulo. Desde então, vive uma vida de miséria, andando com mendigos e enchendo a cara o dia inteiro.

Um dia, chega à cidade onde Tange mora um jovem. Violento, orgulhoso, aproveitador e mentiroso, Joe Yabuki arranja brigas, trapaceia, rouba e mente. No entanto, sua força e agilidade em suas brigas de rua despertam a atenção de Danpei, que vê em Joe o potencial para se tornar um grande boxeador, talvez até mesmo um campeão.

É aí que começa Ashita no Joe, a saga de Joe Yabuki para deixar de ser um simples marginal e se tornar um grande campeão do boxe. De início a contragosto, Joe se recusa a treinar com Danpei, mas tudo muda quando entram em sua vida a bela Yoko Shiraki e o valente Rikiishi Tohru, aquele que se tornaria o grande rival de Joe até o fim da série.

Ashita no Joe marcou época no Japão. Quando do fim do mangá, milhares de jovens japoneses se mobilizaram numa passeata em homenagem à história. Além disso, o personagem foi utilizado em diversas campanhas políticas do povo, ilustrando a força de vencer de um jovem da periferia rumo a um destino, embora glorioso, cheio de obstáculos e preços a serem pagos.

Ele também insipirou Masami Kurumada,famoso mangaká,a criar "Ring ni Kakero",que também se tornou um sucesso.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mangá e anime é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.