Batida (música)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em música, batida (português brasileiro) ou batimento (português europeu) refere-se a uma pulsação de breve intensidade e uniforme que é resultado da interferência entre duas ondas sonoras de freqüências levemente diferentes. A freqüência das batidas será igual a diferença entre as freqüências das ondas sonoras. Assim como as batidas desaparecerão se as duas frequências tornam-se idênticas, o fenômeno resulta de uma grande utilidade na afinação dos instrumentos musicais. A batida pode se produzir através da nota fundamental e o harmônico superior da outra, assim como também como das duas notas fundamentais. A batida é portanto útil para afinar intervalos diferentes do uníssono. Se, por exemplo, você afinar uma corda para que ela não produza uma batida com a terça harmônica de outra corda cuja fundamental é uma quinta mais grave, a quinta será acusticamente mais pura e não uma quinta temperada.[1]

A manifestação de um intervalo desafinado é demonstrado por pulsos ou batidas que podem ser ouvidas juntas com o tom do intervalo. Estas batidas são o resultado de ondas sonoras fora de fase que são transmitidas no ar até os nossos ouvidos.

Uma batida é intrinsecamente relacionada com entonação sonora. A batida é produzida em bater, chacoalhar, sacudir, bater uma das partes integrantes do instrumento uma na outra (Bater Palmas) ou esfregando dispositivos.

As notas de qualquer intervalo vão ter parciais comuns, ou coincidentes. Se as notas fundamentais do intervalo não interagem, as parciais coincidentes irão, e será possível ouvir batidas nos pontos das parciais coincidentes (os harmônicos). Eliminação das batidas vai ajustar o intervalo em sua afinação. isto é possível se ajustando as notas do intervalo para que as parciais coincidentes combinem em tom e se tornem harmoniosos. Um intervalo afinado não vai ter batidas presente sobre o som das notas do intervalo.

Uso popular[editar | editar código-fonte]

Batida refere-se, popularmente, onde as notas percussivas ou rítmicas marcam o andamento métrico dentro do tempo de uma música. A batida pode ser sinônimo de tempo, quando elas seguem o mesmo andamento métrico. Mas quando as notas estão em contratempo, ou em síncope, a batida é referida como em contratempo, ou síncope com uma freqüência regular ou irregular de repetições.

Exemplo da terminologia: "O Tempo é dois por dois, mas a batida vai ser dobrada e sincopada."
Tempo disarmônico está fora do alcance médio de 60 a 120 batidas por minuto.[2]

Batida forte e fraca[editar | editar código-fonte]

Batida como pulso métrico da música

Ênfases regulares ocorrendo durante uma peça musical inteira ou parte dela. Em um tempo padrão, regular, sem síncope ou contratempo, basicamente a primeira batida de um compasso é a batida mais forte, acentuada, enquanto as outras batidas são as mais fracas---menos acentuada. Numa fórmula de compasso 3/4, o leitor comumente interpreta a unidade do tempo uma semínima (total de 3 semínimas em cada compasso). O pulso forte então está na primeira semínima enquanto a segunda e terceira batidas são mais fracas. É importante notar, no entanto, que numa fórmula de compasso 6/8, a unidade do tempo não é a colcheia, mas sim a semínima pontuada, sendo que, neste tempo composto, as batidas fortes caem na primeira colcheia e na quarta colcheia. Não é raro também identificar músicas mais complexas com a batida forte atuando no tempo fraco do andamento musical.

Referências

  1. Randel, Don Michael (ed). "Diccionario Harvard de Música". Versión Espagnola de Luis Carlos Gago. alianza Editorial. Título original: "The New Harvard Dictionary of Music", Harvard University Press, Cambridge, Massachusetts, 1986, Madrid, 1997.
  2. Clarke, E. F. . Rhythm and timing in music. In D. Deutsch (ed.), The psychology of music (2nd ed.) (pp. 473-500). San Diego: Academic Press. 1999.
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.