Black Rider

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Black Rider
Placeholder male superhero c.png

Dados da publicação
Publicado por Marvel Comics
Primeira aparição All-Western Winners #2 (Inverno de 1948) Timely Comics
Criado por Syd Shores (arte)
Características do personagem
Alter ego Matthew "Doc" Masters ou Nathan Garrett
Parentesco Dane Whitman, sobrinho (que depois sucedeu o lugar de seu tio)
Codinomes conhecidos The Cactus Kid, Black Mask
Habilidades Cavaleiro e atirador
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Black Rider, era um cowboy fictício, dos quadrinhos da Marvel, surgido em 1948, na revista All-Western Winners #2. Ficou conhecido no Brasil como Cavaleiro Negro. Nos anos 70, seu nome em inglês foi mudado para Black Mask.

Sua identidade secreta era Matthew Masters, apelidado de Cactus Kid, um fora-da-lei que acabou sendo perdoado pelo governo, com a condição de que deixasse as armas e passasse a estudar e trabalhar como médico (inspirado em "Doc" Holliday?).

Anos depois, o "Doc" Masters (Doutor Heron Robledo, no Brasil) aparece na cidade de Leadville, Texas (Laredo ou Roseiral, no Brasil). Sua recusa em usar armas o tornam conhecido como um notório covarde, fazendo com que ninguém desconfie quando aparece como Black Rider (ou Black Mask) para fazer justiça.

Quando se disfarça de herói, Masters usa um lenço para encobrir o rosto, da mesma cor que o chapéu e a roupa, toda negra. Essa indumentária era idêntica à de outro cowboy famoso dos anos 40, Durango Kid. Mas, diferenciava-se deste na medida em que, nas costas, colocava uma grande capa, parecida com a do Superman. O nome do cavalo do herói era Satan (quando estava com o Doutor Robledo era chamado de Moleza no Brasil, Ichabod no original em inglês). Outros personagens que apareceram em determinada fase das histórias foram o interesse amoroso do herói Mary Lathrop e seu irmão adolescente Bobby.

Black Rider no Brasil[editar | editar código-fonte]

Com o nome de Cavaleiro Negro, o personagem obteve imenso sucesso no Brasil, desde a primeira vez em que foi publicado no país (1949). Ele apareceu na revista "Gibi Mensal" e em título próprio publicado pela Rio Gráfica lançado em setembro de 1952 e que chegou a 245 edições [1] . Muitos reputam grande parte desse êxito aos clássicos desenhos do artista estadunidense Sid Shores.

Conta-se que, quando a Marvel parou com as histórias inéditas nos anos 60, a (RGE) decidiu continuar com a revista assim mesmo. Para tanto, pegou os quadrinhos de um personagem espanhol, o Gringo, e deu-os a artistas brasileiros para que estes os redesenhassem e os adaptassem às aventuras do Cavaleiro Negro.[2] Outra curiosidade é o fato de que algumas aventuras do Durango Kid (nome registrado pela Ebal) foram publicadas como sendo do Cavaleiro Negro[3]

Com a onda dos super-heróis que tomou conta dos quadrinhos no final da década de 1960, aos poucos o antigo cowboy foi sendo esquecido e a revista, cancelada. Tanto que os diversos super-heróis Black Knight's, traduzidos também como Cavaleiro Negro, mas com armaduras e espadas(como a Espada Ébano, que tudo corta,e a Espada da luz, destrutora psíquica), hoje são bem mais conhecidos pelo nome em português do que o Cavaleiro Negro do Velho Oeste.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Banda desenhada da Marvel Comics é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.