CT Piauí (D-31)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
CT Piauí (D-31) embandeirado em uma Parada Naval.

O CT Piauí (D-31) foi um contratorpedeiro da Classe Pará, da Marinha do Brasil. Foi o terceiro navio da Armada Brasileira a ostentar esse nome, uma homenagem ao estado do Piauí.

História[editar | editar código-fonte]

Foi construído pelo estaleiro Federal SB & DD Co., em Kearny, New Jersey, nos Estados Unidos da América, onde foi batizado como USS Lewis Hancock (DD-675). O seu nome é uma homenagem ao militar norte-americano Lewis Hancock, Jr (1889–1925).

Serviu a Marinha dos Estados Unidos da América, durante a Segunda Guerra Mundial na região do Pacífico. Participou da Guerra da Coreia.

Foi transferido por empréstimo e incorporado à Armada Brasileira em 02 de agosto de 1967 e rebatizado como CT Piauí (D-31).

Participou de diversas comissões da casa vermelha, inclusive em operações conjuntas com a Interpol das marinhas de guerra de diversos países.

Em 11 de abril de 1973, foi adquirido em definitivo pela Marinha do Brasil.

Em 2 de junho de 1989 deu baixa do serviço ativo, sendo submetido a Mostra de Desarmamento na Base Naval do Rio de Janeiro. Em quase vinte e dois anos de serviço na MB, atingiu as marcas de 327.533 milhas navegadas e 1.251 dias de mar.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Deslocamento: 2.050 toneladas (padrão), 3.050 toneladas (carregado).
  • Dimensões: 114,8 metros de comprimento, 12 metros de boca e 5,5 metros de calado.
  • Propulsão: 4 caldeiras Babcock & Wilcox de 39,8 kg/cm² a 454°C; 2 turbinas a vapor General Electric, gerando 60.000 shp, acoplados a dois eixos e a dois hélices.
  • Eletricidade: 2 turbo-geradores General Electric de 350 Kw, 1 gerador diesel de emergência General Motors de 100 Kw.
  • Velocidade: máxima de 35 nós.
  • Raio de ação: 4.600 milhas náuticas.
  • Armamento: 5 canhões de 5 pol. (127 mm) em cinco torres Mk-30 singelas; 10 canhões Bofors L/60 de 40 mm em dois reparos quádruplos Mk 2 e um duplo Mk 1; 1 lançador quíntuplo Mk 15 de torpedos de 21 polegadas; 2 lançadores de bomba granada A/S (LBG) Mk 10; 1 calha de cargas de profundidade Mk 3 e 2 lançadores triplos Mk 32 de torpedos A/S de 324mm.
  • Sensores: 1 radar de vigilância aérea tipo SPS-6C; 1 radar de vigilância de superfície SPS-10; 1 radar de direção de tiro Mk-25 mod. 3, acoplado ao sistema de direção de tiro Mk-37; MAGE AN/BLR 1; sistema direção de tiro de torpedos SDTT Mk-27 e 1 sonar de casco SQS-29.
  • Tripulação: Quando da incorporação à Armada Brasileira era de 310 homens, sendo 17 oficiais, 10 suboficiais, 56 sargentos, 57 cabos e 170 marinheiros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.