Caroline Aigle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caroline Aigle
Comandante
Nascimento 12 de Setembro de 1974
 França
Morte 21 de Agosto de 2007 (32 anos)
 França
País França
Força Força Aérea da França
Anos em serviço 2000 - 2007
Condecorações Medalha da aeronáutica (2007, a título póstumo).

Caroline Aigle (Montauban, 12 de setembro de 1974 - 21 de agosto de 2007) foi uma militar francesa. Foi a primeira mulher piloto de caça do Exército do ar da França a ser escalada para num esquadrão de combate[1] [2] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e estudos[editar | editar código-fonte]

Originária de Bergerac, nasceu em Montauban. Caroline Aigle viajou por uma grande parte de África onde o seu pai era médico do exército antes de entrar, com 14 anos, para o lycée militaire de Saint-Cyr[3] .

Mais tarde vai para a Escola politécnica. Caroline faz o seu serviço militar obrigatório de 1994 a 1995 no 13.º batalhão de caçadores alpinos. Durante os seus estudos na Escola politécnica, decide escolher a Força Aérea. Em setembro de 1997, inicia a sua formação como piloto.

Piloto de caça[editar | editar código-fonte]

A 28 de maio de 1999 Caroline Aigle torna-se piloto de caça[2] [4] . Em 2000, é colocada na Base aérea 115 de Orange, no esquadrão de caça 2/5 Île-de-France, utilizando um Mirage 2000. Mais tarde passa para o esquadrão de caça 2/2 Côte-d'Or na Base aérea 102 Dijon-Longvic (BA102), e torna-se comandante de esquadrilha a partir de 2005.

Em setembro de 2006, é encarregue da «segurança em voo» do comando das forças aéreas da Base aérea 128 Metz-Frescaty (BA 128) de Metz.

Desportista[editar | editar código-fonte]

Caroline Aigle foi campeã militar da França de triathlon (1997), campeã do mundo militar de triatlo por equipas (1997) e vice-campeã do mundo militar de triathlon por equipas (1999). Praticava outra de suas paixões: a queda livre e o paraquedismo no geral[5] .

Caroline Aigle estava para ser seleccionada como astronauta pela Agência Espacial Europeia[6] . Mas, doente, a sua última grande participação foi como madrinha do meeting aéreo Airexpo-Toulouse. Morre a 21 de agosto de 2007, com 32 anos, vítima de um cancro (um melanoma)[7] descoberto apenas alguns meses antes.

Vida privada[editar | editar código-fonte]

Caroline Aigle, casada e mãe de um filho (Marc), toma conhecimento da sua doença quando está grávida do segundo. Indo contra os conselhos médicos em não manter a criança para preservar a sua saúde, ela escolhe, juntamente com o seu marido, manter a criança[8] . Gabriel nasceu assim por cesariana, com cinco meses e meio. Caroline Aigle morre alguns dias mais tarde[9] .

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Cyrille Louis (30 de agosto de 2007). L'armée de l'air pleure Caroline Aigle, sa légende Le Figaro. Página visitada em 29 de agosto de 2011.
  2. a b « (...) Mas não foi a primeira mulher a ser piloto de caça. Foi Élisabeth Boselli (...) ». Cf. Le piège, Revue des anciens élèves de l'École de l'air, "Femmes pilotes militaires", número 191, dezembro de 2007, pág. 5.
  3. Journal L'Aiglon, dezembro de 2007, n.° 112-113, p.4.
  4. Biografia na página dos AET.
  5. Caroline Aigle était la chevalière du ciel La Provence (23 de agosto de 2007). Página visitada em 29 de agosto de 2011.
  6. Point presse de David Martinon (30 de agosto de 2007). Página visitada em 29 de agosto de 2011.
  7. Gabriel, le dernier combat de Caroline Aigle. Página visitada em 29 de agosto de 2011.
  8. Caroline Aigle a voulu mener à bien sa grossesse malgré la maladie, a confié son époux Agence France-Presse (5 de setembro de 2007). Página visitada em 29 de agosto de 2011.
  9. Entrevista com o seu marido na RTL a 5 de setembro de 2007; e homélie de sa messe d'enterrement, Armée de l'air, 29 de agosto de 2007.