Casével (Castro Verde)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Casével  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Bandeira de Casével
Bandeira
Brasão de armas de Casével
Brasão de armas
Casével está localizado em: Portugal Continental
Casével
Localização de Casével em Portugal Continental
37° 45' 26" N 8° 10' 56" O
Concelho primitivo Castro Verde
Concelho (s) atual (is) Castro Verde
Freguesia (s) atual (is) Castro Verde e Casével
Fundação 20 de Setembro de 1510 (foral)
1836(freguesia do concelho de Messejana)
24 de Outubro de 1855 (freguesia do concelho de Castro Verde)
Extinção 2013
Área
 - Total 33,34 km²
População (2011)
 - Total 448
    • Densidade 13,4/km2 
Orago São João Baptista

Casével foi uma freguesia portuguesa do concelho de Castro Verde, com 23,24 km² de área e 448 habitantes (2011), a vila tem 341 habitantes.[1] Densidade: 19,3 hab/km².


É vila e foi sede de concelho, formado por uma freguesia, entre 1510 e 1836. Tinha, em 1801, 400 habitantes. Pertenceu ao extinto município de Messejana entre 1836 e 1855.

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Castro Verde, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Castro Verde e Casével com a sede em Castro Verde.[2]

Dista cerca de 10 km de Castro Verde.

Recebeu foral de D. Manuel I a 20 de Setembro de 1510 e foi sede de concelho até 1836, altura em que passou a pertencer ao concelho de Messejana. Só a 24 de Outubro de 1855 foi incluído no concelho de Castro Verde.[3]

Ao nível do património artístico, São João Baptista de Casével, possui uma peça única de ourivesaria com mais de oitocentos anos, a célebre cabeça-relicário de S. Fabião. É uma cabeça em tamanho natural, toda em prata, contendo no seu interior um crânio humano que se "diz" ser do papa e mártir do Cristianismo, S. Fabião. Reza a história que esta relíquia veio para Portugal no século XIII, pela mão da princesa D. Vataça Lascaris. A peça pode ser apreciada na exposição do Tesouro da Basílica Real de Castro Verde.

Na vila de Casével existe uma boa oportunidade de contactar com o cante alentejano e a gente que lhe dá voz, graças à Associação de Cante Alentejano "Vozes das Terras Brancas", que dinamiza os grupos corais "Vozes de Casével" e "Antigas Mondadeiras" e tem aberto ao público a sede da Associação, que fica junto no Largo Central, e onde se pode ouvir cantar, petiscar e apreciar um vasto conjunto de utensílios ligados à tradição etnográfica da freguesia.

Localidade harmoniosamente encaixada na paisagem, não deixa de ser interessante um passeio a pé pelas suas ruas estreitas e frescas e admirar a extraordinária peça em ferro que ilustra a entrada da vila de Casével, homenageando os grupos corais e o cante alentejano.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Vista Panorâmica[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica de Casével

Referências

  1. Câmara Municipal de Castro Verde (PDF) Dados do INE de 2001. Cm-castroverde.pt.
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  3. Paróquia de Casével Arquivo Distrital de Viseu. Página visitada em 28 de Outubro de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.