Cerco de Constantinopla (1235)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cerco de Constantinopla de 1235
Guerras niceno-latinas
Guerras bizantino-búlgaras
Byzantine Constantinople-pt.svg
Mapa de Constantinopla, mostrando as suas formidáveis muralhas à esquerda.
Data 1235
Local Constantinopla, na época parte do Império Latino
Desfecho Dois anos de trégua
Combatentes
Segundo Império Búlgaro Império Búlgaro
Império de Niceia Império de Niceia
Império Latino Império Latino
Comandantes
Segundo Império Búlgaro João Asen II
Império de Niceia João III Ducas Vatatzes
Império Latino João de Brienne
   

O cerco de Constantinopla de 1235 foi um cerco conjunto das forças búlgaras e nicenas à capital do Império Latino. O imperador João de Brienne foi cercado pelo imperador de Niceia João III Ducas Vatatzes e pelo tsar búlgaro João Asen II.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Roberto de Courtenay em 1228, uma nova regência sob João de Brienne se formou. A ameaça do Despotado de Épiro ao Império fora removida após a desastrosa derrota para os búlgaros na Batalha de Klokotnitsa[1] [2] , mas o seu lugar foi imediatamente tomado pelo Império de Niceia, que começou a reconquistar os territórios perdidos na Grécia. O imperador João III Ducas Vatatzes de Niceia firmou então uma aliança com os búlgaros que, em 1235, resultou numa campanha conjunta contra o Império Latino.

O cerco[editar | editar código-fonte]

Em 1235, Ângelo Sanudo enviou uma esquadra para defender Constantinopla, já cercada pelos aliados. Sem conseguir avançar e com o inverno chegando, o cerco fracassou[3] e o cerco foi levantado no outono. João Asen II e Vatatzes concordaram em continuar o cerco no ano seguinte, mas o tsar búlgaro se recusou a enviar as tropas. Com a morte de João de Brienne em 1237 os búlgaros romperam o tratado com Niceia tendo em vista a possibilidade de João Asen II se tornar o regente do Império Latino.

Por intervenção de Ângelo, uma trégua foi firmada entre as duas potências pelos próximos dois anos.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Em 1247, os nicenos já tinham efetivamente cercado Constantinopla, com a apenas as poderosas muralhas da capital evitando a invasão. A Batalha da Paflagônia em 1258 marcou o início do fim da predominância latina na Grécia. Assim, em 25 de julho de 1261, com a maior parte das forças latinas em campanhas, o general niceno Aleixo Estrategópulo[4] encontrou uma entrada não vigiada para a cidade e a invadiu com suas tropas, retomando o Império Bizantino para seu imperador Miguel VIII Paleólogo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Turnovo inscription of Tsar Ivan Asen II in the Holy 40 Martyrs Church in honour of the victory at Klokotnitsa on 9 March 1230
  2. Battle of Klokonista badley.info. Página visitada em 2008-12-29.
  3. John III Ducas Vatatzes NNDB.com. Página visitada em 2009-05-18.
  4. Nicol (1993), p. 34.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]