Charles "Tex" Watson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Charles “Tex” Watson
"Tex" Watson em mugshot do sistema penitenciário da Califórnia
Nome Charles Denton Watson
Nascimento 2 de Dezembro de 1945 (68 anos)
Dallas, TX, EUA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Pseudônimo(s) Tex
Crime(s) Assassinatos Tate-LaBianca
Pena
Morte
comutada para prisão perpétua
Situação Cumpre a pena, preso desde 1970.
"Tex" Watson em foto de 2004

Charles Denton Watson (Dallas, 2 de dezembro de 1945), mais conhecido como "Tex" Watson, é um homicida norte-americano, antigo membro da Família Manson, condenado pelos assassinatos de Sharon Tate, Jay Sebring, Abigail Folger, Steven Parent, Wojciech Frykowski, Leno LaBianca e Rosemary La Bianca, acontecidos nas noites de 9 e 10 de agosto de 1969, em Los Angeles.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Watson cometeu os crimes em companhia de Susan Atkins, Leslie Van Houten e Patricia Krenwinkel, também integrantes da Família Manson, e infligiu a maior parte dos golpes que causaram a morte das vítimas,[1] num dos mais famosos casos de assassinato em massa da história criminal dos Estados Unidos.

Ele foi julgado à parte das outras acusadas pelos homicídios, sendo condenado à morte em 21 de outubro de 1971, escapando da execução quando a Suprema Corte da Califórnia aboliu a pena de morte no estado em 1972, passando a cumprir prisão perpétua.

Watson teve negados treze pedidos de liberdade condicional, permitidos após vinte anos de prisão aos condenados à prisão perpétua pelo sistema jurídico norte-americano. Depois da última negativa, na audiência realizada em 2006 e na qual ele não compareceu pessoalmente, terá o direito de nova apelação apenas em 2011, quando terá 65 anos de idade e passado dois terços da vida na cadeia.

‘Tex” Watson tornou-se um cristão regenerado na prisão e em 1979 casou-se com Kristen Svega, com quem teve quatro filhos, resultado das visitas conjugais a que tinha direito. Por influência da mãe de Sharon Tate, Doris, que por anos liderou campanhas contra a possibilidade de liberdade condicional dos assassinos de sua filha e pelo banimento das visitas conjugais a assassinos condenados à prisão perpétua na Califórnia, estas visitas foram proibidas por lei no estado. Watson e a mulher acabaram separando-se em 2003, após quase 25 anos de casamento.[2]

Abraçando a religião, Watson tem escrito em seu site na Internet sobre os crimes que cometeu, pedindo perdão por eles aos familiares das vítimas e se dizendo ‘perdoado por Deus’.[3]

Watson na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Um pedaço bastante distorcido de uma declaração sua, feita na época de sua convivência com a Família Manson, contra as pessoas bem nascidas, bonitas, ricas e felizes, pode ser ouvida na introdução da música The Beautiful People, do Marilyn Manson.
  • O filme-cult Pink Flamingos (1972), do diretor independente John Waters, é dedicado a ele. Numa cena do filme, num muro grafitado pode-se ler ‘ Free Tex Watson’. (Libertem Tex Watson).[4]
  • A famosa frase que ele teria proferido aos hóspedes de Sharon Tate, antes de cometer os assassinatos da noite de 9 de agosto, "Eu sou o Diabo e vim aqui para fazer coisas do demônio",[5] :176–184 se tornou um jargão bastante conhecido e sinistro nos Estados Unidos.

Referências

  1. Depoimento de Tex Watson
  2. Manson Family Timeline
  3. Charles D. Watson website
  4. John Waters and Charles Manson CharlesManson.com. Página visitada em 30/06/2012.
  5. Bugliosi, Vincent with Gentry, Curt. Helter Skelter — The True Story of the Manson Murders 25th Anniversary Edition, W.W. Norton & Company, 1994. ISBN 0-393-08700-X.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Família Manson Charles Manson
Charles Manson | Susan Atkins | Charles "Tex" Watson | Patricia Krenwinkel | Leslie Van Houten | Linda Kasabian | Bobby Beausoleil | Lynette 'Squeaky' Fromme | Sandra Good | Catherine 'Gipsy' Share | Steve Grogan | Mary Brunner| Bruce Davis