Defensor Sporting Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Defensor
Sim escudo.png
Nome Defensor Sporting Club
Alcunhas La Violeta, La Viola, Tuerto, La Farola, El Defe, El Fusionado[1]
Fundação 15 de março de 1913 (101 anos)
Estádio Luis Franzini
Capacidade 18.000 pessoas[2]
Presidente Uruguai Dante Prato
Treinador Uruguai Fernando Curutchet
Material esportivo Itália Mass Sport
Competição Uruguai Primeira Divisão
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Sul-Americana
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores
Website defensorsporting.com.uy
Kit left arm defensorsc14h.png Kit body defensorsc14h.png Kit right arm defensorsc14h.png
Kit shorts defensorsc14h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm defensorsc14a.png Kit body defensorsc14a.png Kit right arm defensorsc14a.png
Kit shorts defensorsc14a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

O Defensor Sporting é um clube poliesportivo da cidade de Montevidéu, Uruguai, atualmente joga o Campeonato Uruguaio de Futebol e a Liga Uruguaia de Basquetebol. Nasceu da fusão em 15 de março de 1989 entre as equipes de futebol Club Atlético Defensor (criado em 15 de março de 1913) e basquetebol Sporting Club Uruguay (criado em 14 de setembro de 1910).

Suas cores são o violeta e o branco, que lhe dão os apelidos El violeta e La viola. Costuma mandar seus jogos em seu Estádio Luis Franzini, cuja capacidade é para 20 mil torcedores. Seu maior rival no futebol é o Danubio, com quem faz o chamado "Clásico de los medianos", já que as duas equipes são consideradas intermediárias entre os grandes Peñarol e Nacional e os demais clubes pequenos do futebol local.

No futebol, foi o primeiro clube a quebrar a hegemonia de Nacional e Peñarol e vencer um campeonato nacional durante o profissionalismo.[3] Ao todo, é a terceira equipe que mais triunfou em seu país, tendo conquistando o campeonato uruguaio profissional em 4 oportunidades: 1976, 1987, 1991 e 2007-08, além de 3 torneios Apertura (1994, 2007, 2010) e 4 Clausura (1997, 2009, 2012, 2013).

No basquetebol masculino, é o maior campeão nacional, com 20 títulos, o último deles conquistado na temporada 2009-10. Detém dois títulos sul-americanos (1956 e 1957) e outros cinco do Campeonato Rioplatense (entre os campeões da Argentina e Uruguai). Foi ainda campeão intercontinental em 1965.

História[editar | editar código-fonte]

Club Atlético Defensor[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Foi fundado em 15 de março de 1913 com o nome de Defensor Football Club, no coração do bairro montevideano Punta Carretas. Decididos a jogar oficialmente e se vestir de verde, Alfredo Ghierra lhe deu o nome de Defensor, sendo Nicolás Podestá o primeiro presidente. Defensor, provinha de uma equipe formada em 1906, por trabalhadores de uma fábrica de vidro de Punta Carretas, chamado "Defensores de la Huelga". A razão da tradicional cor, foi que na Loja de Esportes de Frechou, a única cor de camiseta que se tinha e que não estava registrada por nenhuma equipe da Liga, era o Violeta.

Começou jogando na Terceira Divisão em 1913, alcançou a Segunda Divisão em 1914, e foi promovido a Primeira Divisão em 1915, finalizando sua primeira Copa Uruguaia, no quarto lugar. Sua equipe se dissolveu no campeonato uruguaio de 1917, devido ao rebaixamento, depois de terminar na última posição, em um torneio no qual foi anulada uma vitória legítima dentro de campo contra o Nacional(que buscava a tríplice coroa) o que obrigou as equipes a repetir o encontro, sendo o resultado desfavorável ao Defensor. Em 1918, a diretoria resolveu abandonar a agremiação e a maioria de seus jogadores passaram a integrar um clube chamado Universal.

Retoma as atividades como Club Atlético Defensor, estando o futebol uruguaio dividido em Federação e AUF, inscrevendo-se na primeira em 1922, retornando a segunda no ano de 1926. Até 1929 atuava no Parque Ricci, localizado em Videla y Alarcón, quando se transfere para o Parque Rodó, devido a desistência do Peñarol em construir seu estádio neste local. Suas primeiras temporadas na era amadora não foram de grande expressão.

Primeira Temporada Profissional[editar | editar código-fonte]

Durante as décadas de 30, 40 e 50, participou ininterruptamente da Primeira Divisão, com exceção do ano de 1950, quando esteve na Segunda Divisão.

Em 1937, tinha a seguinte formação: Stifanicic, Morales, Tambasco, Suárez, Mamberto e Gutiérrez; J. E. Piriz, Dos Santos, Castaldo, C. Piriz e Hernández; em partida realizada no Estádio Centenário.

No ano de 1947, se iguala no primeiro lugar do Campeonato de Honra com o Peñarol (torneio definido em 1952 com vitória do Carbonero), sendo o time titular: Barrios, Vázquez e Riobó; Young, Mañay e Chagas; De Luca, J. García, Clavarés, Sarro e Ferrés.

Posteriormente em 1957, a equipe violeta finaliza na terceira posição, já na época seguinte conquista o quadrangular dos melhores times da competição. Tendo a seguinte formação: Radiche, E. Álvarez e C. Rodríguez; Casanova, Ferreira e Miramontes; W. Piriz, Demarco, I. Aparicio, Hernández, Sacía e Ferrés, alternando Lagomarsino, Milans, Bértola, entre outros.

Segunda Temporada Profissional[editar | editar código-fonte]

Esta seria a base da equipe que em 1960 ganharia o primeiro torneio de caráter nacional na era profissional, o Campeonato General Artigas. Seu corpo diretivo era formado por: J. C. Franzini junto a don Luis Franzini, E. Duhagón, Rico, Pedro Cetrangolo, entre outros. Em 1961, realiza uma excursão pelo Pacífico e América Central, jogando 16 partidas, perdendo apenas 2, com 53 gols a favor e 15 contra. Destacando-se as vitórias sobre o Millonarios em Bogotá e o Atlético Nacional em Medellín.

Já em 1964, é rebaixado pela segunda vez na sua história (anteriormente havia declinado em 1949), porém, consegue o acesso logo no primeiro ano de disputa, e em 1966, voltou a Primeira Divisão.

Os últimos anos da década de 60, significaram um período de grande incerteza quanto ao futuro do clube na elite, fato encerrado em 1971, quando Ricardo De León e Julio Gioscia, realizam grande trabalho, lançando bases para um futuro que se prometia próspero.

Em 1976, agora com o treinador César Santos e a formação de uma esquadra de alta qualidade, que incluía nomes como o de Mario Patrón, JC Gómez Martínez, Jorge Franzini e Hugo De León, consegue pela primeira vez da sua história o título do campeonato nacional.

Tal fato é de grande relevância para a história do futebol uruguaio, pois 44 anos de hegemonia dos chamados "grandes" haviam sido quebrados, algo que parecia impossível. A comemoração seguiu a tradição com a já consagrada volta olímpica ao contrário. No campeonato de classificação para a Copa Libertadores, a Liguilla, o Defensor dirigido por Andrés Prieto, vence o Peñarol por goleada na final.

No ano seguinte, participou pela primeira vez da Copa Libertadores, em um grupo complicado que contava com Boca Juniors, River Plate e Peñarol, é eliminado logo na primeira fase.

Durante a década de 80 o Defensor seguiu ganhando Liguillas, com destaque para a equipe de 1982 que esteve perto de se tornar campeã, integrada por Daniel Oddine, Caillava, Forlán, Villazán, Miranda e Jorge Da Silva. Em 1987 voltou a escrever seu nome na história, sendo a primeira equipe, sem contar os tradicionais, a obter duas vezes o título de campeão uruguaio na era profissional. A base da titular foi: Tuja, Juan Ahuntchain, Aguirregaray, Luis Cabrera, Falero, Rivero, Sergio Martínez, Silva Cantera, Vesino, Gerardo Miranda e Carlos Larrañaga; dirigido por Raúl Møller e o Professor Tchadkijián, com participação de Raúl Fernández, Leandro Ramírez, Dalmao, Ferreira e Tejo Silva.

Defensor Sporting[editar | editar código-fonte]

Em 15 de março de 1989, se consolidou a fusão do Club Atlético Defensor (futebol) e o Sporting Club Uruguay (basquete), o que deu ao Defensor um maior crescimento em nível institucional, aumentando o número de sócios e dando um passo fundamental com vista ao futuro.

Sede Oficial do Defensor.

Em 1991, alcança pela terceira vez o título uruguaio, com a seguinte formação: Claudio Arbiza, Héctor Rodríguez, Ruben Silva (Michellini), José González, Guillermo Almada, Mario Gastán, José Chilelli, Ferreri (Silva Cantera), William Gutiérrez, Marcelo Tejera (Denis) e P. Méndez (Ricardo Dos Santos). Posteriormente obtém as Liguillas de 1992, 1996 e 2001, que o qualificou para a disputa da Copa Libertadores dos respectivos anos.

Participação internacional[editar | editar código-fonte]

Disputou a Copa Sul-americana 2005, e também a fase preliminar da Copa Libertadores de 2006, onde foi eliminado pelo Independiente Santa Fe, apesar de não ter perdido nenhum dos dos confrontos. Em 2007 foi eliminado nas quartas de final da Copa Libertadores, pelo Grêmio nos pênaltis, depois de ter ganho em Montevidéu por 2 a 0, e perder pelo mesmo placar em Porto Alegre. O desempenho foi memorável já que nunca havia conseguido chegar entre os oito melhores da maior competição de clubes das Américas, eliminando equipes como o Gimnasia y Esgrima La Plata da Argentina, o Deportivo Pasto da Colômbia e o popular Flamengo.

Em 2007 participou da Copa Sul-Americana, sendo novamente eliminado nas quartas de final, desta vez diante do River Plate, depois de empate em 2 a 2 no Uruguai e 0 a 0 na Argentina. Nesta copa havia eliminado na primeira fase o Libertad do Paraguai, e o também paraguaio Tacuary na segunda fase. Nas oitavas de final venceu o El Nacional de Quito por 3 a 0 no Estádio Centenário, derrotado no Equador, por 2 a 0, classificando-se, para as quartas de final.

Neste ano, termina os dois torneios sul-americanos na 5ª posição, sendo a equipe de maior pontuação, somando o desempenho nas competições(22), superando o Boca e a equipe do Santos. No total jogou 11 vezes a Copa Libertadores, 3 vezes a Copa Sul-americana e uma vez a Copa Conmebol.

Na Copa Sul-Americana 2010, enfrenta o Olímpia, na fase inicial, ganhando a primeira partida por 2 a 0 e empatando a segunda em 1 a 1, seguindo desta forma a segunda fase. Posteriormente, goleou o Sport Huancayo por 9 a 0, praticamente garantindo sua passagem as oitavas de final. O resultado desta partida foi histórico, por se tratar da maior goleada da história da Sul-americana; finalmente na partida de volta no Peru acabou sendo derrotado por 2 a 0, igualmente classificado para as quartas de final. Nas quartas de final, enfrentou o Independiente, ganhando o primeiro jogo em Montevidéu por 1 a 0, porém foi eliminado com um 4 a 2 em Avellaneda, o goleiro violeta Martín Silva foi vitima de uma covarde agressão fruto de projétil lançado da arquibancada, entretanto pode continuar apesar de um grave corte na cabeça.

"O Bombonerazo"[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2009, os violetas jogavam pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América, sob o comando de Jorge da Silva, contra o Boca Juniors em seu estádio. O quadro era favorável aos argentinos já que no jogo de ida em Montevidéu, os dois times haviam empatado por 2 tentos, assim como o favoritismo. Porém, o Defensor conseguiu o que nenhuma equipe uruguaia havia alcançado até então na Libertadores, vencer o Boca em La Bombonera, e foi pela diferença mínima de um gol, marcado por Diego Souza aos ´27 minutos do primeiro tempo. A notícia repercutiu o mundo todo, quebrando a invencibilidade dos donos da casa, que já durava 6 anos, além de os eliminar da Copa. O feito foi denominado pela imprensa uruguaia e alguns argentinos como El Bombonerazo, fazendo referência ao Maracanazo: Que foi a fatídica vitória da Celeste Olímpica, diante da Seleção Brasileira, no Estádio do Maracanã em 1950. Tal triunfo, permitiu ao Defensor pela segunda vez, classificar-se as quartas de final da Copa Libertadores, entretanto foi eliminado pelo Estudiantes de La Plata.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo e bandeira[editar | editar código-fonte]

Tanto a bandeira como o escudo do Denfensor Sporting são compostos pelas cores violeta e branco, incluindo a sigla "D.S.C." (Defensor Sporting Club). No escudo se destaca a imagem do farol.

Bandeira Oficial do Defensor Sporting Club
Escudo oficial do Denfensor Sporting Club

Uniforme[editar | editar código-fonte]

O primeiro uniforme do clube tinha a cor preta, com uma faixa horizontal na camiseta em Azul-celeste e bordas verdes. Para o ano de 1915, a intenção era mudar o fardamento, sendo sugeridas, as cores vermelha e verde para a camiseta, com predominância do último, por eleição. Porém no momento de registrar o uniforme na associação, o pedido foi negado, pois o verde, já vinha sendo utilizado anteriormente, pelo já extinto Belgrano de Montevidéu. Decididos a não usar mais o preto, os membros foram a uma venda local chamada Loja de Esporte de Frechou, e compraram as camisetas que estavam em oferta, sendo estas de coloração violeta, além disso, era uma das únicas cores não utilizada por nenhum outro clube.

De 2011 a 2012, seu uniforme foi produzido pela empresa brasileira Penalty. Sua atual fornecedora é a Mass Sport, da Itália.

Uniforme titular[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua o história, o Defensor teve uniformes da cor violeta, porém com algumas variações nos calções e nas meias

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1913-1914
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1915-Atualidade
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1922-1925
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1960s-80s e 1993

Uniforme alternativo[editar | editar código-fonte]

Quanto aos uniformes alternativos, tradicionalmente tem sido da cor branca, com uma faixa horizontal na camisa da cor violeta, entretanto em 1989 a cor foi o azul, em virtude da fusão com o Sporting. Posteriormente foi selado o acordo de que para o futebol, o Defensor Sporting iria utilizar somente a cor do Club Atlético Defensor: O violeta. E no basquetebol sempre o azul, cor usada pelo Sporting Club Uruguay antes da fusão em 1989. Na Liguilla de 2001, o clube enfrentou o Danubio, com uma camisa de listras horizontais em violeta e branco, utilizada apenas por apenas 45 minutos, já que o arbitro ordenou a mudança devido a dificuldade de diferenciar as duas equipes. Apesar do pouco tempo de uso, se tornou muito popular entre os torcedores violetas.

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Atualidade
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1989
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009

Estádio[editar | editar código-fonte]

O palco oficial de jogos do Defensor Sporting é o Estádio Luis Franzini, o qual está localizado no Parque Rodó, em Montevidéu. Sua inauguração data de 1963, sendo sua capacidade para 20.000 torcedores.[4] A principal competição já recebida no estádio foi o Campeonato Sul-Americano de Rugby de 2003.[2]

Prévia da partida contra o Tacuarembo, em 20 de março de 2010.

Outros Dados[editar | editar código-fonte]

  • A imprensa denomina como "petit clásico", suas partidas contra Peñarol e Nacional.[5]
  • Seu rival histórico é o Danúbio, sendo que o Defensor leva a vantagem na história dos clássicos, com 15 vitórias a mais que o rival.
  • O Defensor se encontra em terceiro, em número de títulos, atrás de Peñarol e Nacional, seguido por Montevideo Wanderers e Danubio.
  • Contando também a era amadora, o Defensor também está em terceiro, estando atrás apenas dos dois grandes.
  • Sua torcida se autodenomina Banda Marley em memória de Nicolás Olivera, jogador destacado e reconhecido por ser fã de Bob Marley.
  • Em 2005, não compareceu para jogar as finais do Campeonato Uruguaio, contra o Nacional, devido aos erros de arbitragem, que levaram o mesmo a final.
  • Em 2007 disputou a Copa Libertadores, sendo eliminado nos pênaltis diante do Grêmio. Também, em 2007 foi eliminado nas quartas de final pelo River Plate, apesar de empatar os dois encontros.
  • Já em setembro de 2007, o Defensor ocupou a 26ª colocação no ranking da IFFHS, sua melhor posição até aquele momento, sendo destacada como melhor equipe do mundo naquele mês, fato inédito entre equipes uruguaias.[6]
  • Em novembro de 2007, o clube bate seu próprio recorde, no ranking da IFFHS, quando ocupou a 18ª posição.
  • Em 2 de dezembro de 2007, ganha novamente o Torneio Apertura do Campeonato Uruguaio, com uma rodada de antecedência. Vencendo o Central Español no Estádio Parque Palermo.
  • Em 9 de Janeiro de 2008, o clube volta a subir no Ranking Mundial de clubes, chegando a posição 17.[7]
  • Segundo levantamento do jornal Últimas Noticias, no ano de 2007, foi a terceira que mais vendeu ingressos, do futebol uruguaio.
  • O jogador que mais vestiu camisa violeta, foi Heber Silva Cantera, com 338 partidas jogadas.
  • O maior goleador da história do clube foi Juan Emílio Piriz com 98 gols anotados, sendo este futebolista, também, o segundo jogador que mais vestiu a camisa do clube, com 326 partidas disputadas.
  • Sua maior goleada em partidas internacionais, foi pela segunda fase da Copa Sul-americana 2010, onde venceu o Sport Huancayo (Perú) por 9:0.
  • Sua maior goleada, no futebol uruguaio, aconteceu contra o Juventud de Las Piedras, pelo placar de 8-1, no ano de 2002.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacional
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Uruguaio - 1ª Divisão 4 1976, 1987, 1991, 2007/08[8]
Uruguai Liga Pré-Libertadores da América 8 1976, 1979, 1981, 1989, 1991, 1995, 2000, 2006
Uruguai Campeonato Uruguaio (Apertura) 3 1994, 2007, 2010
Uruguai Campeonato Uruguaio (Clausura) 4 1997, 2009, 2012, 2013
Uruguai Campeonato Uruguaio - 2ª Divisão 2 1950, 1965
Uruguai Torneo de Honor 1 1947
Uruguai Torneo Cuadrangular 1 1957
Uruguai Campeonato Nacional General Artigas 1 1960
Uruguai Liga Mayor 1 1978
Uruguai Copa Montevideana 8 1976,1979,1982,1987,1991,1994,1995,1997

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]

Última atualização: 18 de janeiro de 2012

Goleiros
Jogador
Uruguai Yonatan Irrazabal
Uruguai Fernando Rodríguez
Uruguai Dario Silva
Defensores
Jogador Pos.
Uruguai Mario Risso Z
Uruguai Martin Varini Z
Uruguai Federico Platero Z
Uruguai Ramon Arias Z
Uruguai Néstor Moiraghi Z
Uruguai Walter Ibañez Z
Uruguai Robert Herrera Z
Uruguai Juan Fernandez Z
Uruguai Agustin Curbelo Z
Uruguai Bernando Laureiro Z
Uruguai Matias Malvino Z
Uruguai Matias Soto Z
Meio-campistas
Jogador Pos.
Uruguai Jordan Palacios M
Uruguai Diego Rodriguez M
Paraguai Federico Pintos M
Uruguai Sasha Aneff M
Uruguai Christian Perez M
Uruguai Fernando Arismendi M
Uruguai Pablo Caballero M
Uruguai Diego Ferreira M
Uruguai Andrés José Fleurquin M
Uruguai Diego M. Rodríguez M
Uruguai Juan Amado M
Uruguai Diego Laxlt M
Atacantes
Jogador
Uruguai Ignacio Risso
Uruguai Brahian Alemán
Uruguai Maximiliano Callorda
Uruguai Matias Britos
Uruguai Diego Rolan

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Outras modalidades[editar | editar código-fonte]

Basquetebol[editar | editar código-fonte]

O Defensor Sporting é a equipe mais vencedora do basquetebol uruguaio, tendo conquistado 20 edições do torneio nacional (mais do dobro do segundo colocado em quantidade de títulos, o Welcome). É também o clube com mais campeonatos federais ganhados, com dezoito no total: Nos anos de 1918, 1922, 1924, 1926, 1927, 1930, 1932, 1933, 1934, 1936, 1938, 1949, 1950, 1951, 1955, 1980 e 1985, sendo o último campeão do torneio federal em 2003. Nesse mesmo ano se inicia a disputa da Liga Uruguaia de Basquetebol, também ganha pelo Defensor Sporting, além disso, é uma das 2 equipes que jogou todas as ligas desde 2003. Na temporada 2009-10, voltou a obter o título .

Conta também com reconhecimento em nível internacional, ganhando o campeonato rioplatense nos anos de 1924, 1926, 1930, 1932 e 1934, o Campeonato Sul-americano de Clubes Campeões nos anos 1956 e 1958 e é o único sul-americano que foi campeão intercontinental de clubes, glória alcançada em 1965, contra a equipe do Real Madrid na capital espanhola.

Em 2007-08 disputou a primeira edição da Liga das Américas terminando entre as oito melhores equipes do Continente depois de derrotar na primeira fase o: Boca Juniors e o Flamengo. Nas quartas de final foi derrotado pelo Peñarol de Mar del Plata, depois de ganhar o primeiro jogo em Motevidéu e perder os outros dos dois na Argentina.

Atletismo[editar | editar código-fonte]

Campeão de 1970 à 1986, de 1988 a 1997.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Basquete[editar | editar código-fonte]

  • Intercontinental de Clubes: 1 (1965)

Atletismo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Con o nombre Defensor Football Club.
  2. a b Estadio Luis Franzini (em espanhol). yotufutbol.com. Página visitada em 7 de junho de 2013.
  3. Defensor Sporting Club (em português). Página visitada em 7 de junho de 2013.
  4. Stadiums in Uruguay (em inglês). WorldStadiums.com. Página visitada em 7 de junho de 2013.
  5. La Web Deportiva Uruguaya La Web Deportiva Uruguaya (em espanhol). futbol.com.uy. Página visitada em 7 de junho de 2013.
  6. El Club del Mes del Mundo (em espanhol). iffhs.de. Página visitada em 7 de junho de 2013.
  7. Clasificación Mundial de los Clubes (em espanhol). iffhs.de. Página visitada em 7 de junho de 2013.
  8. Uruguay - List of Champions (em inglês). futbol.com.uy. Página visitada em 7 de junho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de UruguaiSoccer icon Este artigo sobre clubes de futebol uruguaios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.