Duccio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maestà, de Duccio.
Cenas do verso da Maestà
O Chamamento dos Apóstolos Pedro e André (verso da Maestà)

Duccio di Buoninsegna (Siena, 1255 — Siena, 1319) foi provavelmente o mais influente artista de Siena do seu tempo, a figura mais importante da chamada Escola Sienesa. Considera-se que Duccio teve grande influência na formação do estilo chamado Gótico Internacional e que influenciou Simone Martini e os irmãos Ambrogio e Pietro Lorenzetti, entre outros. Seu grande rival na época foi Giotto, mestre da Escola Florentina.

Seus trabalhos incluem a Rucellai Madonna (1285), para a Igreja de Santa Maria Novella (atualmente na Galeria Uffizi) e a lendária Maestà para a catedral de Siena. A Maestà foi carregada pela ruas de Siena em uma cerimônia religiosa e representou um grande passo adiante na representação pictórica de narrativas.

Sua Madona e o Menino, pintada em um painel de madeira cerca do ano de 1300, foi comprada em Novembro de 2004 pelo Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque por mais de 45 milhões de dólares, no que foi talvez a mais cara compra do museu.

A Maestà[editar | editar código-fonte]

A Virgem com Vinte Anjos e Dezenove Santos é um altar composto de muitas pinturas individuais encomendado pela cidade de Siena em 1308 para Duccio. A obra fez com que a arte italiana se desviasse do estilo bizantino para representações pictóricas mais realistas. A pintura foi instalada na Catedral de Siena em 9 de Junho de 1311. Permaneceu no lugar até 1711, quando foi desmantelada para que ficasse m dois altares. As pinturas menores foram danificadas no processo e até mesmo vendidas em separado. Hoje várias partes do altar estão expostas em diferentes museus.

Madonna e o Menino[editar | editar código-fonte]

Madonna e o Menino (também conhecida como Stoclet Madonna ou Stroganoff Madonna) é um painel de Duccio feito pelo ano de 1300. Em Novembro de 2004, a pintura foi comprada pelo Metropolitan Museum of Art, de Nova York, em um leilão pela empresa Christie's, por uma soma desconhecida (acredita-se 45 milhões de dólares). Foi a primiera obra de Duccio adquirida pelo museu e talvez sua obra mais cara. Foi vendida por membros da Família Stoclet e faz parte hoje da seção renascentista do museu. Era a última peça de Duccio em mãos privadas e uma das poucas criadas pelo artista como uma pintura individual e não como parte de um conjunto.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Duccio
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.