Escola hipermoderna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Escola Hipermoderna)
Ir para: navegação, pesquisa
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 torre preta em a8 cavalo preto em b8 bispo preto em c8 dama preta em d8 rei preto em e8 bispo preto em f8 cavalo preto em g8 torre preta em h8 8
7 peão preto em a7 peão preto em b7 peão preto em c7 peão preto em e7 peão preto em f7 peão preto em g7 peão preto em h7 7
6 6
5 peão preto em d5 5
4 peão branco em c4 4
3 cavalo branco em f3 3
2 peão branco em a2 peão branco em b2 peão branco em d2 peão branco em e2 peão branco em f2 peão branco em g2 peão branco em h2 2
1 torre branca em a1 cavalo branco em b1 bispo branco em c1 dama branca em d1 rei branco em e1 bispo branco em f1 torre branca em h1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
Abertura Réti ou Sistema Réti, um dos principais sistemas de abertura hipermodernos, criado por Réti.

Escola Hipermoderna, também conhecida como Escola Neorromântica, é uma escola de pensamento enxadrístico que preconiza o controle à distância do centro do tabuleiro com peças no lugar do uso ortodoxo de peões, ao mesmo tempo em que convida o oponente para que o faça com seus peões, os quais se converterão em alvo constante de ataques posteriores.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Howard Staunton e outros enxadristas do Século XIX já tinham entrado em contato com estas novas ideias que agora são consideradas como hipermodernas, entretanto a Escola Hipermoderna de enxadrismo ficou em evidência somente na década de 1920, graças aos esforços de seus principais teóricos: Nimzowitsch, Réti, Tartakower e Breyer, todos provenientes da Europa Central. Eles acreditavam que a prática do xadrez estava se tornando enfadonha, lenta e sem valor. Postulavam ainda que a teoria enxadrística não poderia ser resumida por um simples conjunto de regras e princípios imutáveis, tais como aquelas divulgadas por Tarrasch.

Suas novas ideias se configuraram então em uma contestação à escola de pensamento ortodoxa, popularizada por Tarrasch na década de 1890. Esta ortodoxia é uma dogmática derivação dos conceitos desenvolvidos primeiramente por Steinitz, sendo ele o primeiro a demonstrar cabalmente a superioridade do jogo posicional em contraposição à Escola Romântica de enxadrismo. O jogo posicional enfatiza a importância de vantagens “estáticas”, tais como: evitar a formação de estruturas fracas de peões, postos avançados para os cavalos, não permitir o aparecimento do bispo mau em detrimento do bispo bom em posições fechadas de peões, dentre outras.

Entretanto, em 1922, Réti publicou a obra-prima New Ideas in Chess, um estudo aprofundado sobre a evolução do pensamento enxadrístico, indo deste a era de Paul Morphy até o início da pensamento hipermoderno. Hyper-modernist Chess Play, o tratado de Tartakower, foi publicado em 1924. O famoso livro de Nimzowitsch, My System, foi publicado também em 1924 e inclui elementos do hipermodernismo, sendo, entretanto, uma obra predominantemente posicional.

Embora nenhum dos primeiros expoentes da Hipermodernismo tenha se tornado campeão do mundo, eles estavam entre os enxadristas mais fortes de sua época. De qualquer forma, o campeão do mundo Alekhine se declarava como partidário dos hipermodernistas, muito embora o seu estilo de jogo possuísse muitos elementos da escola clássica.

Na atualidade, o Grande Mestre e ex-campeão mundial Garry Kasparov é um expert na Defesa Índia do Rei, tendo-a utilizado com êxito nos principais embates envolvendo a coroa de campeão mundial.

Características[editar | editar código-fonte]

De um modo geral, as defesas que iniciam com 1.d4 Cf6 (as assim chamadas Defesas Índias), que não transpõe para defesas do tipo 1.d4 d5, são consideradas como hipermodernas. Por exemplo, os lances 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cc3 d5 caracterizam uma transposição da defesa 1.d4 Cf6 para o Gambito da Dama Declinado (ou Recusado), um tipo de abertura de natureza ortodoxa.

É importante ressaltar que certos lances iniciais, tais como 1.a3, não se constituem em aberturas ou defesas hipermodernas, uma vez que, embora posterguem o controle do centro pelos peões, provocam, na verdade, o atraso no desenvolvimento normal das peças e não efetuam o controle à distância do centro, o que não se harmoniza com os princípios do hipermodernismo.

Principais aberturas e defesas hipermodernas[editar | editar código-fonte]

Na Escola Hipermoderna, podemos citar como as principais aberturas:

Como principais defesas:

Como gambitos:

Referências[editar | editar código-fonte]

  • BATISTA, Gérson P. e BORGES, Joel C. O Espírito da Abertura. São Paulo : Ciência Moderna, 2004.
  • D’AGOSTINI, Orfeu. Xadrez Básico. São Paulo : Ediouro, 1954.
  • FILGUTH, Rubens. Xadrez de A a Z: dicionário ilustrado. Porto Alegre : Artmed, 2005.
  • REINFELD, Fred. Hypermodern chess: as developed in the games of its greatest exponent Aron Nimzovich. Dover Publications, 1948. ISBN 0-486-20448-0.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo
Ícone de esboço Este artigo sobre enxadrismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.