Escrita oráculo em ossos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escrita oráculo de ossos
Falado em: Dinastia Shang
Região: China
Total de falantes: Extinta, precursora da Escrita Chinesa
Família: (Proto-escrita)
 Escrita oráculo de ossos
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
Zhou-inscription.png
Escrita de Oráculo de Ossos em escápula bovina, Museu de Linden, Stuttgart, Alemanha. Foto - Dr. Meierhofer
Várias maneiras de escrever 寅, o terceiro Ciclo Sexagenário Chinês (um sistema numérico Chinês – combinação de diversos ciclos)
Grafos da escrita Oráculo em ossos girados em 90º: Partindo da esquerda, 馬/马 mǎ ‘cavalo’, 虎 hǔ ‘tigre’, 豕 shĭ ‘suíno’, 犬 quǎn ‘cão’, 鼠 shǔ ‘rato e camundongo’, 象 xiàng ‘elefante’, 豸 zhì ‘rapinantes’, 龜 guī ‘tartaruga’, 爿qiáng ‘leito’ (hoje 床 chuáng), 為/为 wèi ‘liderar’ (hoje ‘fazer’), and 疾 jí ‘doença.

As mais antigas inscrições que são reconhecidas com plena certeza como chinesas datam de algo por volta de 1.200 a.C. e foram encontradas em 1895 em Anyang, capital da Dinastia Shang (商朝 - 1600-1046 a.C). Trata-se de textos curtos escritos em escápulas de bovinos e em plastrões de tartarugas, conhecidos como Oráculo de Ossos (甲骨 - jiǎgǔ) e a escrita relacionada é a Escrita Oráculo em ossos. (甲骨文 - jiǎgǔwén).

Características[editar | editar código-fonte]

Oráculo da Dinastia Shang - escrita em ossos: 虎 'tigre'
Oráculo da Dinastia Shang - escrita em ossos: 目 'olho'

Esses Oráculos eram usados para adivinhação, num processo que envolvia em escrever uma pergunta com um estilete de bronze sobre uma peça de osso, depois aquecer o osso e, inspecionando as rachas produzidas, adivinhar as respostas às perguntas de alguém. A maioria dessas questões se referia a caça, guerras, meteorologia e escolha de dias auspiciosos para cerimônias.

Estruturalmente os logogramas do oráculo em ossos se assemelham aos modernos caracteres chineses considerando que alguns deles são formados pela combinação de dois mais caracteres básicos e que há um alto grau de abstração nos mesmos. Isso faz supor que a escrita chinesa foi criada bem antes da Dinastia Shang.

História[editar | editar código-fonte]

Já foram encontrados cerca de 400 mil fragmentos com inscrições na Escrita Oráculo em Ossos, vários milhares de ossos e plastrões foram reconstruídos e milhares de textos foram estudados. Nesses textos foram identificados mais de 30 caracteres diferentes, que seriam variantes formadas por cerca de quatro mil caracteres individuais, básicos. Desses, algo entre 1500 e 2000 já foram entendidos e decifrados por especialistas. Deve haver da ordem de 5 mil caracteres individuais que são usados nos Oráculos em Ossos, sem incluir as formas variantes e cerca de duas vezes isso teria sido usado na vida diária das pessoas.

A Escrita Oráculo de Ossos foi largamente utilizada num periodo que estendeu entre 1300 e 1100 a.C., de acordo com alguns pesquisadores. Outras acreditam que seu uso se deu num período mais amplo, entre 1500 e 1000 a.C.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

A escrita Oráculo em Ossos foi usada pela língua chinesa antiga, na Idade do Bronze da região; dela se originaram escritas como as Incrições Chinesas em Bronze, a dos Selos Reai, a Clérica, mais tarde as escritas Kaishu, Kanji, Kana, Hanja, Zhuyin, Chinês simplificado, Chu Nom, Khitan, Jurchen, Tangut.

Amostras[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em língua inglesa

  • Boltz, William G. (1994; revised 2003). The Origin and Early Development of the Chinese Writing System. American Oriental Series, vol. 78. American Oriental Society, New Haven, Connecticut, USA. ISBN 0-940490-18-8
  • Keightley, David N. (1978). Sources of Shang History: The Oracle-Bone Inscriptions of Bronze Age China. University of California Press, Berkeley. Large format hardcover, ISBN 0520029690 (out of print); A 1985 ppbk 2nd edition also printed, ISBN 0-520-05455-5.
  • Keightley, David N. (2000). The Ancestral Landscape: Time, Space, and Community in Late Shang China (ca. 1200–1045 B.C.). China Research Monograph 53, Institute of East Asian Studies, University of California – Berkeley. ISBN 1-55729-070-9, ppbk.

Em língua chinesa

  • Chen Zhaorong (陳昭容) (2003) 秦系文字研究 ﹕从漢字史的角度考察 Research on the Qin (Ch'in) Lineage of Writing: An Examination from the Perspective of the History of Chinese Writing. 中央研究院歷史語言研究所專刊 Academia Sinica, Institute of History and Philology Monograph. ISBN 957-671-995-X.
  • Gao Ming (高明) (1996) 中国古文字学通论 (Zhongguo Guwenzi Xuetonglun). 北京大学出版社 Beijing University Press. ISBN 7-301-02285-9
  • Liu Xiang et al. (刘翔,陈抗,陈初生, 董琨,编者 李学勤 审订) (1989, 3rd reprint 1996) 商周古文字读本 Reader of Shang-Zhou Ancient Characters. 语文出版社 Yuwen Publishers. ISBN 7-80006-238-4
  • Qiu Xigui (裘錫圭) Chinese Writing (2000). Translation of 文字學概要 by Gilbert L. Mattos and Jerry Norman. Early China Special Monograph Series No. 4. Berkeley: The Society for the Study of Early China and the Institute of East Asian Studies, University of California, Berkeley. ISBN 1-55729-071-7.
  • Thorp, Robert L. "The Date of Tomb 5 at Yinxu, Anyang: A Review Article," Artibus Asiae (Volume 43, Number 3, 1981): 239–246.
  • Woon, Wee Lee (雲惟利) (1987). Chinese Writing: Its Origin and Evolution (漢字的原始和演變), originally published by the University of East Asia, Macau (no ISBN).
  • Zhao Cheng (趙誠) (1988) 甲骨文簡明詞典 – 卜辭分類讀本 Jiǎgǔwén Jiǎnmíng Cídiǎn – Bǔcí Fēnlèi Dúbĕn. 中華書局 Zhōnghúa Shūjú, ISBN 7-101-00254-4/H•22

Externas[editar | editar código-fonte]