Francisco Tárrega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

[1]

Francisco Tárrega
Francisco de Asís Tárrega
Francisco Tárrega (1852-1909)
Informação geral
Nome completo Francisco de Asís Tárrega Eixea
Nascimento 21 de Novembro de 1852 Vila-real, CastellóFlag of Spain.svg Espanha
Data de morte 15 de dezembro de 1909 (57 anos) Barcelona, CatalunhaFlag of Spain.svg Espanha
Gênero(s) Música erudita
Ocupação(ões) compositor, violonista, pedagogo
Instrumento(s) Guitarra clássica, piano

Francisco de Asís Tárrega Eixea (Vila-real, 21 de Novembro de 1852 - Barcelona, 15 de Dezembro de 1909) foi um compositor, pianista, violonista e professor de música espanhol do Período Romântico. Sua obra marca uma nova era da música espanhola e da prática violonistíca.

Vida

Francisco Tárrega nasceu em Vila-real, província de Castelló, em 21 de Novembro de 1852, filho de Francisco Tárrega Tirado e de Antonia Eixea Broch, em uma casa próxima ao Santuário de San Pascual Baylón. Seus genitores trabalhavam como caseiros das Madres Clarissas. Devido isso, ficava sobre os cuidados de uma babá. Um dia, decidiu fugir e acabou por cair em um riacho perto de sua morada; tal fato prejudicou-lhe a visão permanentemente. Com medo dele ficar cego, seu pai mandou-o aprender um instrumento, para assim conseguir um meio de sobreviver. Seus primeiros mestres, Eugeni Ruiz e Manuel González, eram cegos, sendo este último chamado de "O Cego de Marina".

Em 1862, o famoso concertista Julián Arcas ouviu o jovem Tárrega tocar e impressionado, aconselhou seu pai a mandá-lo para Barcelona melhorar sua técnica. Trabalhou por um tempo como pianista em Casino de Burriana para custear as despesas familiares. Lá, um rico negociante chamado Antonio Canesa subsidia sua viagem a Madri para estudar no Conservatório Nacional de Música, e ao chegar na capital espanhola adquiri seu primeiro violão de qualidade, fabricado por Antonio Torres, de Sevilha, o qual se torna seu favorito.

Abandona em seguida sua carreira de pianista e dedica-se exclusivamente ao violão, realizando concertos e transcrições de obras famosas. Sua fama cresce rapidamente e, a partir do final da década de 1870 passa a dar aulas, tendo como aprendizes Emilio Pujol e Miguel Llobet, que se tornaram famosos violonistas, entres outros. Um dia, durante o inverno de 1880, substitui seu amigo Luis de Soria em uma apresentação na cidade de Novelda, onde conhece sua esposa Maria José Rizo, que na época aprendia guitarra. Em 1881 viaja para a França, tocar no bicentenário de Pedro Calderón de la Barca, e depois foi para a Inglaterra. Retorna para casar-se com Maria, em Novelda, no dia de Natal de 1882. Tiveram uma filha, a qual morrera pouco após o parto, chamada Maria Josefa de los Angeles. Por fim passam a viver em Barcelona em 1885, conhecendo artistas renomados, tais como Isaac Albéniz, Enrique Granados, Joaquín Turina e Pablo Casals. Nesse período passa a dar turnês por toda a Espanha. Esse foi seu período mais criativo e produtivo. Teve mais três filhos coom Maria: Francisco, Maria Rosália e Conceição.

Com 50 anos, em 1902, passa a cortar as unhas e começa a tocar com a polpa dos dedos, criando uma nova maneira de interpretar ao violão. Devido seu jeito simples e tímido, passa a dar aulas e concertos à poucas pessoas. No ano de 1906 teve um derrame que o deixou paralisado do lado esquerdo do corpo. Após recuperar-se lenta e dolorosamente, retorna a Castelló em 1908. Termina sua última obra, Oremus, em 2 de Dezembro de 1909. No dia seguinte, sente-se mal e parte para Bacelona onde viera a falecer no dia 15 de Dezembro, pela madrugada.

Estilo musical

Tárrega opós-se a prática convencional de tocar-se violão com as unhas. Afirmava que o uso da polpa dos dedos e da mão em uma angulação reta (90º), pemitiam maior carga emotiva e aumentava o domínio sobre o instrumento.

Suas composições, baseadas na música popular, trazem alta carga técnica e interpretativa. É evidente a presença de ritmos árabes em suas obras, além de serem influenciadas pelo nacionalismo e emotividade do Período Romântico. Sua música mais conhecida, apesar de não sê-lo de forma inteira, é Gran Vals (Grande Valsa), devido seu refrão ser o tema musical da Nokia.

Seu virtuosismo levou a ser conhecido como Sarasate do violão. Ele também preferia tocar em recitais fechados do que em grandes palcos.

Compôs 78 músicas e fez 120 transcrições - para uso próprio.[2] [3]

  1. [en.wikipedia.org/wiki/Francisco_Tárrega Francisco Tárrega wikipédia inglesa].
  2. Francisco Tárrega biografia.
  3. Francisco Tárrega.