Grand Prix Masters

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Grand Prix Master (GP Masters ou, simplesmente, GPM) foi uma categoria disputada apenas por ex-pilotos da Fórmula 1, todos correndo em carros idênticos e em igualdade de disputa. O intuito da categoria era de reviver as grandes disputas do passado, reavivar a memória dos mais velhos e dar a oportunidade aos mais novos de ver grandes nomes do automobilismo de várias eras em ação.

Quem pôde participar?[editar | editar código-fonte]

Para o piloto poder participar da GP Masters, ele deveria ter 45 anos (ou mais), ter competido por duas ou mais temporadas na F-1 e estar completamente aposentado das corridas de monopostos. A ideia dos organizadores era trazê-los novamente à ativa quem parou definitivamente, ou quem competem apenas em categorias de Protótipos ou de Gran Turismo, e fazê-los novamente competirem entre si.

O carro[editar | editar código-fonte]

Um carro da GP Masters de 2005.

Como o ideal da categoria era a competição apenas entre grandes pilotos, sem a influência de um grande orçamento ou de equipamentos ultra-avançados (como é a base da Formula 1), todos os competidores usavam exatamente o mesmo carro.

O monoposto foi desenvolvido pela Delta Motorsport, tendo como base os carros da Reynard feitos para a antiga CART. Já o motor era também o mesmo que foi usado na categoria norte-americana, o Cosworth XB, só que com a capacidade cúbica ampliada para 3,5 litros e sem o turbocompressor. Todas as unidades de força são preparadas pela Nicholson McLaren e produzem mais de 600 cavalos, o que empurrava os monopostos da GPM para além dos 320 km/h.

O peso máximo do carro era de 650 kg, excluindo o piloto, mas foram adicionados lastros para que no final o conjunto carro-piloto tenha o mesmo peso. A medida é para que nenhum competidor tire vantagem da forma física do adversário (ou da falta dela). A força G (que é a força da gravidade que “joga” o piloto ao sentido contrário ao da curva) estimada nesses carros é de 2,5G. Nenhuma ajuda ao piloto, como controle de tração e câmbio automático é permitida. Os freios não são de fibra de carbono, e sim de aço.

Os pneus são slicks (lisos), da marca Avon.

Patrocínio[editar | editar código-fonte]

As empresas interessadas em colocar suas marcas nos carros da categoria eram obrigadas a tratar diretamente com a organização do campeonato. Quem pagasse mais, tinha o direito a batizar uma equipe.

Corrida inaugural[editar | editar código-fonte]

A primeira corrida ocorreu no dia 13 de novembro de 2005 e foi disputada em Kyalami, na África do Sul. Foi disputada a título de demonstração, sem valer pontos.

Pilotos inscritos[editar | editar código-fonte]

A corrida teve 14 participantes, incluindo os campeões mundiais de F-1 Emerson Fittipaldi e Nigel Mansell. Outro campeão, o australiano Alan Jones, seria o 15º piloto, mas decidiu não correr após sofrer com dores no pescoço durante os treinos. Em seu lugar correu o chileno Eliseo Salazar, um piloto com muito menos conquistas. Alain Prost também estava inscrito, porém desistiu, segundo rumores, por estar insatisfeito com quanto receberia.

A seguir, a lista de pilotos e equipes (os números são referentes à F1):

Team Phantom

2- Stefan Johansson (sueco, 79 GPs disputados, 88 pontos no total). 14- Hans-Joachim Stuck (alemão, 73 GPs, 29 pontos).

Team Altech

5- Nigel Mansell (inglês, 187 GPs, 31 vitórias, 482 pontos; Campeão Mundial de 92). 9- Eliseo Salazar (chileno, 37 GPs, 3 pontos). 17- Eddie Cheever (norte-americano, 143 GPs, 70 pontos).

Team Goldpfeil

6- Riccardo Patrese (italiano, 256 GPs, 6 vitórias, 281 pontos).

Team LG

7- Emerson Fittipaldi (brasileiro, 144 GPs, 14 vitórias, 281 pontos; Campeão mundial de 72 e 74). 9- Jan Lammers (holandês, 23 GPs).

Team Unipart

11- Christian Danner (alemão, 35 GPs, 4 pontos). 22- Andrea De Cesaris (italiano, 208 GPs, 59 pontos).

Team Lixxus

14- Derek Warwick (inglês, 162 GPs, 30 pontos). 25- Patrick Tambay (francês, 120 GPs, 2 vitórias, 103 pontos).

Team GMF

26- Jacques Laffite (francês, 178 GPs, 6 vitórias, 228 pontos).

Team Golden Palace

28- René Arnoux (francês, 149 GPs, 7 vitórias, 181 pontos).

Resultado[editar | editar código-fonte]

A classificação final da primeira corrida foi o seguinte:

1) Nigel Mansell (ING), 30 voltas em 50min55s154

2) Emerson Fittipaldi (BRA), a 0s408

3) Riccardo Patrese (ITA), a 20s662

4) Andrea de Cesaris (ITA), a 21s700

5) Derek Warwick (ING), a 21s853

6) Hans Joachim Stuck (ALE), a 23s201

7) Christian Danner (ALE), a 24s118

8) Eddie Cheever (EUA), a 32s205

9) Jan Lammers (HOL), a 32s778

10) Eliseo Salazar (CHI), a 43s419

11) Patrick Tambay (FRA), a 1min11s584

12) René Arnoux (FRA), a 1min12s736

13) Jacques Laffite (FRA), a 17 voltas

14) Stefan Johansson (SUE), a 28 voltas

Temporada 2006[editar | editar código-fonte]

29 de Abril, Losail (Qatar).

18 de Junho, Monza (Itália - cancelado).

13 de Agosto, Silverstone (Reino Unido).

12 de Novembro, Kyalami (África do Sul - cancelado).

Participaram desta temporada:

René Arnoux (França)

Eddie Cheever (EUA)

Christian Danner (Alemanha)

Andrea de Cesaris (Itália)

Emerson Fittipaldi (Brasil)

Stefan Johansson (Suécia)

Jan Lammers (Holanda)

Nigel Mansell (Reino Unido)

Pierluigi Martini (Itália)

Eliseo Salazar (Chile)

Hans-Joachim Stuck (Alemanha)

Riccardo Patrese (Itália)

Patrick Tambay (França)

Eric van de Poele (Bélgica)

Derek Warwick (Reino Unido)

Transmissão[editar | editar código-fonte]

No Brasil, as corridas eram transmitidas pelo SPORTV e também pelo SBT, com comentários do piloto Raul Boesel.

Falência[editar | editar código-fonte]

Em 18 de setembro de 2007, a GPM teve suas atividades encerradas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]