Haplogrupo E (ADN-Y)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Haplogrupo E

Haplogrupo E-ADN-Y.GIF

Tempo de origem 50,000 a 55.000 anos [1]
Lugar de origem NE de África, [2] ou na Asia[3]
Ancestral Haplogrupo DE (ADN-Y)
Descendentes M33, P177, V13, M81, M123 ,
Mutações definidas L339, L614, M96, P29, P150, P152, P154, P155, P156, P162, P168,
Alta frequência Africa
Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Em genética humana, o haplogrupo E (DNA-Y) é um haplogrupo do cromossoma Y humano com inúmeras designações, a mais conhecida é E-M96 e tal como o haplogrupo D (ADN-Y), descende do Haplogrupo DE (ADN-Y) . Este haplogrupo é o mais característico em África e com menos frequência no Médio Oriente e na Europa, especialmente na área do Mediterrâneo.

Origem e dispersão[editar | editar código-fonte]

De acordo com a versão 8.75, de 6 Setembro de 2013, da Sociedade Internacional de Genealogia Genética (ISOGG), supõe-se que o haplogrupo E (ADN-Y) surgiu no norte de África com base na concentração e variedade de subclades E nessa área. Quanto às ramificações mais conhecidas considera-se que:

O E1a M33 é caracteristico de África ocidental em especial na região do Mali.[4]

O E1b P177 é a linhagem de maior distribuição geográfica através dos dois descendentes do E1b1, E1b1a e E1b1b:

  • A E1b1a é a linhagem que se originou e se expandiu de oeste ou do centro para o oriente de África.
  • A sub-linhagem E1b1b provávelmente evoluiu tanto do Nordeste de África ou do Médio Oriente e, em seguida, expandiu-se para o oeste - norte e sul do Mar Mediterrâneo. O ramo E1b1b1 está presente na Europa Ocidental, Sudeste da Europa, Médio Oriente, África do nordeste e noroeste da África. [5] Desta sub-linhagem pré-histórica são ainda conhecidas as seguintes ramificações:
  1. E1b1b1a1b V13 associado è expansão neolítica da difusão da agricultura a partir da região dos balcãs onde apresenta os valores de frequência mais elevados. [6]
  2. E1b1b1b1a M81 Provavelmente com origem no corno de África e migrou para o magreb onde apresenta valores médios de 45% entre os berberes, Muito comum na Ibéria; Extremadura (15.5%) sul de Portugal (11%) NO de Castilha (10%). A frequência mais elevada em toda a europa encontra-se em Pasiegos (30%), numa comunidade isolada das regiões montanhosas da Cantábria, no extremo norte da Peninsula Ibérica.[7]
  3. E1b1b1b2a M123 é mais frequente na Etiópia, onde parece ter sido originado e depois acompanhou a expansão comercial maritima fenícia no mediterrânio.[8]

O E2 é possivelmente de origem Central Africano e está espalhada em baixas freqüências em todo o continente.

Os artigos de Cruciani Recurrent mutation in SNPs within Y chromosome E3b (E-M215) haplogroup: a rebuttal, Tracing Past Human Male Movements in Northern/Eastern Africa and Western Eurasia: New Clues from Y-Chromosomal Haplogroups E-M78 and J-M12 são recursos indispensáveis ​​para a compreensão da estrutura deste haplogrupo complicado, mas a designação para os diferentes haplogrupos foram atualizadas por causa da descoberta recentemente de novos SNPs que se encontram mais perto da raiz do ramo E da arvore filogenética do cromossoma Y. [9]

Árvore filogenética do haplogrupo E (DNA-Y) ibérico -2013[editar | editar código-fonte]

A árvore filogenética do haplogroupo E (ADN-Y) ibérico representada em baixo[vago] ilustra a relação entre as diferentes ramificações do haplogrupo E de acordo com a classificação ISOGG de 2013 e entre parentesis indicam-se os valores em percentagem colhidos da base de dados do web site Iberian Roots incluem-se também hiper-ligações para mapas de densidade geográfica.

Haplogrupos do cromossoma Y humano

cromossoma Y comum a todos os homens
A
BT
B CT
DE CF
D E C F
G H IJK
IJ K-M9
I J LT K-M526
L T MS P NO
M S Q R N O
R1 R2
R1a R1b

Nota[editar | editar código-fonte]

Este artigo é uma tradução livre do texto original em inglês da ISOGG

Referências

  1. (2008) "New binary polymorphisms reshape and increase resolution of the human Y chromosomal haplogroup tree". Genome Research 18 (5): 830–8 pp.. DOI:10.1101/gr.7172008. PMID 18385274.
  2. (2004) "Origin, Diffusion, and Differentiation of Y-Chromosome Haplogroups E and J: Inferences on the Neolithization of Europe and Later Migratory Events in the Mediterranean Area". The American Journal of Human Genetics 74 (5): 1023–34 pp.. DOI:10.1086/386295. PMID 15069642.
  3. (2009) "Y chromosome diversity, human expansion, drift, and cultural evolution". Proceedings of the National Academy of Sciences 106 (48): 20174–9 pp.. DOI:10.1073/pnas.0910803106. PMID 19920170.
  4. Peter A. Underhill, Peidong Shen, Alice A. Lin et al., "Y chromosome sequence variation and the history of human populations," Nature Genetics, Volume 26, November 2000
  5. versão 8.75, de 6 Setembro de 2013, da Sociedade Internacional de Genealogia Genética (ISOGG)
  6. Eupédia pág. visitada a 28 de setembro de 2013
  7. Eupédia pág. visitada a 28 de setembro de 2013
  8. Eupédia pág. visitada a 28 de setembro de 2013
  9. versão 8.75, de 6 Setembro de 2013, da Sociedade Internacional de Genealogia Genética (ISOGG)