Huayna Capac

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Huayna Capac

Huyna Cápac (também Huynakapak ou Huaina Ccapac) assumiu o título de supa inca ou imperador supremo do Império Inca, e iniciou seu governo como todos os imperadores, com uma grande visita aos seus domínios que durou vários anos.

Ele foi o décimo-segundo Inca, sucedendo a Tupac Yupanqui.[1] Ele era filho de Tupac Yupanqui, mas não foi o escolhido por seu pai para a sucessão, que preferia um filho de outra esposa, Ccapac-Huari.[2]

Huayna Cápac tornou-se inca em 1493, quando tinha cerca de vinte e dois anos.[2] Seu reino foi pacífico, marcado por melhorias administrativas e obras de engenharia, mas mantendo o controle dos povos selvagens vizinhos do império.[2]

Casando-se jovem, o Supa Inca teve seu primeiro primogênito chamado Inti Cusi Huallpa mais conhecido como Huascar Inca Yupanqui. Inti Cusi Huallpa significa O Sol traz felicidade, e ele era, segundo os conquistadores espanhois, filho de uma meia-irmã de Huayna Cápac; Lewis Spence defende que Huascar era filho de uma esposa de Huayna Cápac.[3] Alguns anos após, recrutou um grande exército e empreendeu uma campanha de conquista contra a confedeção Quitu-Cara na região de Quito, atual capital do Equador.

Uma vez conquistando Quito, teria conhecido uma filha do rei deposto que tomara como concubina com muito agrado, tendo com ela o primeiro filho Atahualpa [3] além de vários outros já que, estabelecendo-se em Quito, de lá prosseguiu em sua empresa conquistadora sobre Chacma, Pacasmayu, Zaña, Collque, Cintu, Tucmi, Sayanca, Mutupi, Pichiu e Sullana, que uma por uma cairam sob o seu poder sendo anexadas ao Império Inca.

Ele favoreceu a colônia do norte, reconstruiu Tumipampa, mas residiu em Quito.[2]

Depois disto, ainda residindo em Quito, lá permaneceu por dois anos até quanto vieram-lhe novas tropas de Cuzco, com as quais prosseguiu a conquista dos povos de Túmpis, Chumana, Chintut, Collonche, Yácuall, mantendo-se aquartelado em Sullana.

Huayna Cápac morreu de uma epidemia que afetou o Peru.[2] Ele era muito temido por seus súditos, e foi o último inca que teve domínio indisputado durante seu reino.[2] Ele tentou estabelecer o culto de apenas um deus no Peru, em detrimento dos outros huacas.[2]

Antes de morrer, ele dividiu o reino entre seus filhos Huascar e Atahualpa, que disputaram o trono; Atahualpa porque era herdeiro do chefe de Quito, e Huascar porque era filho de uma esposa legítima.[3]

Precedido por
Tupac Yupanqui
Imperador Inca
Sucedido por
Huascar Inca Yupanqui

Referências

  1. John Bathurst Deane, The Worship of the Serpent (1833), Capítulo VII, The decline of serpent-worship, 15 [em linha]
  2. a b c d e f g Lewis Spence, The Myths of Mexico and Peru, Chapter VI, The Civilization of Old Peru, Huaina Ccapac [em linha]
  3. a b c Lewis Spence, The Myths of Mexico and Peru, Chapter VI, The Civilization of Old Peru, The Inca Civil War [em linha]
Ícone de esboço Este artigo sobre Mitologia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.