In Flames

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
In Flames
In Flames Trondheim 2007.jpg
A banda em concerto na Noruega, 2007
Informação geral
Origem Gotemburgo
País  Suécia
Gênero(s) Death metal melódico (Desde o inicio até hoje)
Metal Alternativo (Desde 2002)
Período em atividade 1990–presente
Gravadora(s) Ferret, Nuclear Blast
Página oficial www.inflames.com
Integrantes Anders Fridén
Björn Gelotte
Peter Iwers
Daniel Svensson
Ex-integrantes Mikael Stanne
Henke Forss
Joakim Göthberg
Glenn Ljungström
Niclas Engelin
Anders Iwers
Carl Näslund
Johann Larsson
Anders Jivarp
Daniel Erlandsson
Jesper Strömblad

In Flames é uma banda sueca de Death metal melódico fundada em Gotemburgo, em 1990. Sua formação consiste de Anders Fridén (vocal), Niclas Engelin (guitarra), Björn Gelotte (guitarra), Peter Iwers (baixo), e Daniel Svensson (bateria). Já venderam mais de 5 milhões de copias.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O núcleo dos In Flames apareceu em Gotemburgo, na Suécia, em 1990. Ainda sem um nome definitivo, a banda mudou sua formação algumas vezes e em agosto de 1993 gravou as primeiras músicas. Foram três canções (In Flames, Upon an Oaken Throne e Clad in Shadows) gravadas nos "Studio Fredman", e que fizeram parte de um disco promocional chamado Promo’93. Logo depois, a editora sueca Wrong Again Records acreditou que a banda prometia, e, ainda em 1993, assinaram contrato.

Assim, em dezembro de 1993, os In Flames voltaram ao "Studio Fredman" para gravar o seu primeiro álbum. O resultado foi o disco "Lunar Strain", lançado em agosto de 1994. O line-up da banda era: Jesper Stromblad (guitarras e bateria), Johan Larsson (baixo), Carl Naslund (guitarra), Mikael Stanne (vocalista) e Glenn Ljungstrom (guitarra). O disco possui 10 excelentes músicas (entre elas, estão aquelas gravadas para o disco Promo’93). Ficam claras algumas influências clássicas – como o heavy metal e o folk (estilo típico da região) – que deu ao trabalho um toque especial.

Em dezembro de 1994 a banda grava mais 4 músicas, que foram lançadas mais tarde, em setembro de 1995, num mini álbum chamado "Subterranean". Além dessas 4 novas músicas, o disco contém uma outra faixa inédita (gravada posteriormente), totalizando assim 5 músicas. Nesse mesmo ano, sai uma versão japonesa especial de "Lunar Strain", contendo algumas das faixas de Subterranen como faixas-bônus.

No final de 1995, os In Flames entram em estúdio para gravar seu segundo álbum. A banda já contava com o vocalista Anders Fridén (ex-Dark Tranquility e Ceremonial Oath), que entrara para o lugar de Mikael Stanne, (que passou de guitarrista de ritmo para vocalista nos Dark Tranquillity) e com Bjorn Gellote na bateria e Guitarra. Com isto, em 1996, é lançado o álbum "The Jester Race". É outro excelente trabalho e que é considerado por muitos o álbum mais importante de sempre na história do Death Metal melódico. Este fez aumentar o prestígio e o número de fãs da banda, e após o lançamento do álbum, a banda foi em tour ao lado de nomes como Samael, Kreator e Grip Inc.

Em outubro de 1997, os In Flames lançam um EP chamado "Black-Ash Inheritance". O atrativo principal desse lançamento é o formato do disco, que é diferente dos discos redondos tradicionais. Possuía 3 faixas de estúdio e uma outra gravada ao vivo.

Ainda em 1997, a banda volta a estúdio para gravar um novo disco. Lançado em novembro de 1997, "Whoracle".

Logo depois da gravação de "Whoracle", Johan Larsson e Glenn Ljungstrom deixam a banda. Em seus lugares, entram Peter Iwers e Niklas Engelin. Com o novo line-up o grupo parte para uma tour de divulgação do novo disco ao lado do Dimmu Borgir (apenas na Europa), e depois vai ao Japão, onde é muito bem recebido. Mas Niklas não fica muito tempo, pois não consegue dividir o seu tempo entre os In Flames e a sua banda original, os Gardenian. Bjorn Gellote, que tocava guitarra e bateria desde o "Jester Race", passa a assumir apenas a guitarra, e Daniel Sversson (ex-Sacrilege) é convidado para a bateria.

Com este novo line-up coeso, a banda lança em 1999 um novo trabalho, chamado "Colony". E foi em suporte deste novo lançamento que a banda fez a sua primeira visita aos EUA em tour no qual um dos seus shows foi aberto pela banda também de death metal Killswitch Engage, quando esta ainda não era famosa.

O sucessor de "Colony" começa a ser preparado pela banda mesmo no final da tour de divulgação deste último disco, e é lançado na metade de 2000. "Clayman" é bastante elogiado pela imprensa, e os In Flames escrevem definitivamente o seu nome na lista de bandas de metal mais importantes da década de 90. O seu estilo bastante particular continua a arrecadar cada vez mais fãs, sejam estes originalmente fãs de metal extremo ou das vertentes mais acessíveis do metal, inclusive com o seu som agora mais modernizado que começa a atrair fãs de Metalcore.

No final da bem sucedida tour de "Clayman", a banda resolveu lançar um álbum ao vivo, "Tokyo Showdown".

Após dois anos, a banda entrou em estúdio para gravar seu 6º álbum, "Reroute To Remain", desta vez com Daniel Bergstrand como produtor. Muito diferente dos trabalhos anteriores, o álbum dividiu opiniões entre os fãs. Outra tour foi iniciada, passando pela América do Norte, Japão, Wacken Open Air em 2003 e vários outros festivais, mostrando o crescimento de popularidade dos In Flames. A banda ainda gravou um EP, intulado Trigger.

Em 2004, após quase dois anos em tour de divulgação de Reroute to Remain, a banda entra novamente em estúdio para gravar "Soundtrack To your Escape", novamente com Daniel Bergstrand produzindo. As opinões dividiram-se duma forma muito controversa neste álbum, para uns era o fim da banda, para outros, o início de uma nova era. O estilo do In Flames após uma modernizada, influenciou muitas bandas recentes ao genero em ascensão "Modern Metal". Devido experimentos com Trance e vocais limpos, In Flames serviu de inspiração para inumeras bandas de Trance Metal, Cyber Metal e principalmente Metalcore Melódico cujo qual reduzia influência do Hardcore Punk e aumentava a influencia do estilo de death metal melódico de Gothenburg. Essa mudança de estilo, no entanto, decepcionou muitos dos fãs antigos, mas ao mesmo tempo atraiu muitos novos. No final da tour de "Sountrack to your Escape", a banda começa a trabalhar em novo material, e entra em estúdio uns meses mais tarde para gravar o seu sucessor, de seu nome, "Come Clarity".

Em 2005, foi lançado um DVD intitulado "Used and Abused...In Live We Trust".

"Come Clarity", foi lançado somente em 2006 devido à problemas de lançamento com a editora. Este marcou o regresso das harmonias de guitarra e dos solos ao som da banda. Em 2008, foi lançado o álbum "A Sense of Purpose", e mais tarde lançaram o EP intitulado "The Mirror's Truth".

Em 2010, o co-fundador e guitarrista Jesper Strömblad deixou a banda para se dedicar à seu tratamento contra o alcoolismo, e o mesmo disse que é "permanente". A banda o apoiou totalmente em sua decisão, e disseram que as portas da mesma sempre estarão abertas a um futuro retorno de Jesper. Niclas Engelin (Ex-Gardenian), que já havia tocado com a banda em algumas oportunidades, foi o substituto escolhido para a vaga de Jesper.

Em junho de 2011 foi lançado o décimo álbum da banda chamado "Sounds of a Playground Fading", já com o Engelin integrado à mesma.

Siren Charms[editar | editar código-fonte]

Em 2013 foi anunciado um novo álbum da Banda e o décimo primeiro do In Flames. Depois de um tempo realizando Tour pela Europa e América do Norte, o In Flames se concentrou no Hansa Studios, em Berlim, na Alemanha para gravação.

O novo álbum se chama 'Siren Charms', (Ou 'Encantos da Sereia em Português (Brasil) ), e tem data de lançamento no mês de Setembro de 2014.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Membros[editar | editar código-fonte]

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

Vocais[editar | editar código-fonte]

Guitarras[editar | editar código-fonte]

Baixo[editar | editar código-fonte]

Bateria[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

EP[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Pinball Map" (2000)
  • "Cloud Connected" (2002)
  • "The Quiet Place" (2004)
  • "Take This Life/Leeches" (2006)
  • "Deliver us" (2011)

Videografia[editar | editar código-fonte]

DVD[editar | editar código-fonte]

The Mirror's Truth 2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]