Gotemburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gotemburgo
Göteborg
Brunnsparken Göteborg.jpg
Göteborg vapen.svg
Flag of Göteborg 2.jpg
Localização
Göteborg in Sweden.png
País  Suécia
Província histórica Västergötland vapen.svgVästergötland
Condado Västra Götaland vapen.svgVästra Götaland
Região histórica Götaland
Fundação 1621
Área 448,58 km²
População 513 338 (2010)
Número de freguesias 10 (2011)
Sítio oficial www.goteborg.se/
Gothenburg montage.png
Município da Suécia

Gotemburgo ou Goteburgo[1] (em sueco Göteborg; AFI[jøːtə'bɔrj]) é uma grande cidade da Suécia. É a capital do condado de Västra Götaland, a capital da província histórica da Västergötland e a sede da comuna de Gotemburgo.
Com cerca de 513 000 habitantes [2] na cidade, e 879 000 na área metropolitana, é a segunda maior cidade sueca depois de Estocolmo.
A cidade situa-se na foz do rio Göta älv, que desagua no estreito de Kattegat. O rio divide a cidade em duas partes, sendo a margem norte a ilha Hisingen. O local é apropriado para a presença de um porto: a cidade expandiu o seu porto marítimo, tornando-se no maior dos países nórdicos.
A cidade é conhecida como Gothenburg em inglês, alemão e neerlandês e Gothenbourg em francês. Estas formas tradicionais estão sendo substituídas pela forma sueca Göteborg.

História[editar | editar código-fonte]

Götaplatsen, em Gotemburgo.

Nos séculos XVI e XVII, a situação fronteiriça da Suécia tornou imperativa a presença de um posto na costa oeste para controlar a área exposta entre os rivais Dinamarca e Noruega. A fundação bem sucedida de Gotemburgo ocorreu em 1621, pelo rei Gustavo II Adolfo. O brasão da cidade foi baseado no leão do brasão do país, simbolicamente segurando um escudo com o emblema nacional, as Três Coroas, defendendo a cidade dos seus inimigos.

Pelo Tratado de Roskilde, em 1658 as províncias dinamarquesa Halland (no sul) e norueguesa Bohuslän (no norte) foram entregues à Suécia. Com uma situação menos exposta, Gotemburgo pôde crescer, tornando-se num importante porto comercial na costa oeste.

A estrutura arquitectónica surgiu do trabalho de arquitectos neerlandeses contratados pelo rei sueco. O plano dos canais de Gotemburgo é por isso idêntico ao usado para a construção de canais em Jacarta (Indonésia).

No século XVIII, a indústria pesqueira era a mais significativa da cidade. No entanto, em 1731 foi fundada a Companhia Sueca das Índias Orientais, e a cidade prosperou devido ao volume de negócios originados por lucrativas expedições a países asiáticos.

O porto desenvolveu-se até se tornar o principal porto na Suécia para trocas comerciais no Oeste. Com a massiva emigração de suecos para a América do Norte, Gotemburgo tornou-se também o principal ponto de saída do país. Por esta razão, é possível encontrar cidades norte-americanas com nomes suecos, incluindo Gothenburg no Nebraska (Estados Unidos).

Gotemburgo desenvolveu-se como cidade industrial moderna no século XIX, uma tendência que se estendeu ao século XX. A população aumentou dez vezes nesse período, de 13 000 (em 1800) até 130 000 (em 1900). No século XX, importantes indústrias estabeleceram-se na cidade, como a SKF (empresa de produtos de aplicação industrial, estabelecida em 1907) e a Volvo (empresa fabricante de veículos comerciais, estabelecida em 1927).

Mais recentemente, a indústria sofreu uma recessão, impulsionando o desenvolvimento de áreas ligadas ao comércio, educação e cultura. Enquanto muitas das indústrias ligadas à navegação marítima fecharam nos anos 80, a indústria ligada à tecnologia floresceu. A Volvo é a maior empregadora neste ramo, existindo também diversos ramos comerciais de companhias de software.

Divisões administrativas e políticas[editar | editar código-fonte]

Prefeitura de Gotemburgo.

A cidade - na sua totalidade - é governada pelo Conselho Municipal (Kommunfullmäktige), que possui 81 deputados municipais[3] , eleitos pela população da cidade por quatro anos. O conselho nomeia uma Comissão Executiva (Kommunstyrelse), com 13 vereadores e 5 vice-vereadores[4] , liderada pelo presidente do município (Ordförande i kommunstyrelsen).

No ano de 2011, a presidente é Anneli Hulthén (Partido Social Democrata), que sucedeu em 2008 ao político veterano Göran Johansson, e o vice-presidente e líder da oposição é Jonas Ransgård (Partido Moderado).

Em 2010 foi decidido fazer uma reforma administrativa que modificou a configuração das freguesias administrativas de Gotemburgo a partir de 2011.
Presentemente, a cidade está dividida em 10 freguesias, responsáveis pela educação básica e serviços culturais, sociais e lúdicos dentro das respectivas áreas de jurisdição:

Em 1998, as freguesias de Askim, Torslanda e Älvsborg realizaram referendos locais para formar municípios autónomos, mas as suas petições foram recusadas pelo governo sueco.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Gotemburgo está situada na Costa Oeste da Suécia, no condado da Västra Götaland, sendo banhada pelo Kattegat (um estreito do Mar do Norte) e pela foz do rio Göta älv.
Graças à corrente do Golfo, a cidade possui um clima ameno, além de grande pluviosidade.
O arquipélago de Gotemburgo consiste de ilhas com uma constituição rochosa agreste, típica de toda a costa do condado de Bohuslän.
A Área Metropolitana de Gotemburgo estende-se aos municípios de Ale, Härryda, Kungälv, Lerum, Mölndal, Partille, Stenungsund, Tjörn e Öckerö (no condado de Västra Götaland) e Kungsbacka (no condado de Halland).

Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Estação Central de Gotemburgo.
Aeroporto de Gotemburgo-Landvetter.
O porto de Gotemburgo
O Túnel de Göta
Um elétrico/bonde em Gotemburgo.
A Ponte de Älvsborg.

O principal aeroporto da cidade (Göteborg Landvetter) situa-se em Landvetter, a 20 km a leste de Gotemburgo. Um segundo aeroporto (Gotemburgo-City), de menores dimensões, situa-se a 14 km a norte da cidade.

A estação central (Centralstationen) e o terminal Nils Ericson são outros importantes centros de comunicação da cidade, com autocarros e comboios comunicando com diversos pontos da Suécia, assim como com ligações a Oslo e Copenhaga.

Diversas linhas de ferry-boat ligam a cidade a Frederikshavn, Kiel, Kristiansand e Newcastle. O porto registou um movimento de mais de 2,2 milhões de pessoas em 2005.

Gotemburgo é um centro logístico, com transporte de mercadorias por comboio e camião de toda a Suécia e também da Noruega, até ao porto. Este é o maior da Escandinávia, com um volume bruto de cerca de 156 milhões de toneladas/ano (dados de 2005).

A rede de linhas de elétrico/bonde é a maior do Norte da Europa, com mais de 150 km de extensão.

Estradas[editar | editar código-fonte]

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Gotemburgo é servida por cinco linhas ferroviárias:

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

Portos[editar | editar código-fonte]

Gotemburgo tem o maior porto marítimo da Escandinávia:

Existem ligações marítimas regulares para Frederikshavn na Dinamarca, Kiel na Alemanha e para a Noruega.

Pontes[editar | editar código-fonte]

Túneis[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Tal como a maioria das áreas metropolitanas na Suécia, Gotemburgo tem uma larga população imigrante. De acordo com o Centro de Estatísticas da Suécia (Statistiska centralbyrån) em 2005, existem 93 965 imigrantes na cidade, o que representa cerca de 20% da sua população. Destes, 10% provêm do Irão e 9% da Finlândia. A população de proveniência iraniana, assim como a população originária de outros países do Médio Oriente e também da ex-Jugoslávia, encontra-se concentrada na área de Angered e outros subúrbios no nordeste da cidade. Esta concentração de população tem sido alvo de críticas por parte do Comité Sueco de Integração (Integrationsverket), já que estas áreas são cada vez mais alvos de discriminação.

Economia[editar | editar código-fonte]

Fábrika da SKF em Gotemburgo

Gotemburgo é um importante pólo económico da Escandinávia, devido à sua localização central em relação a Estocolmo, Copenhaga e Oslo, e igualmente devido ao seu peso industrial e comercial. [6]

Através do Porto de Gotemburgo – o maior dos Países Nórdicos - são exportados carros e camiões da Volvo, rolamentos de esferas da SKF e papel.[7]
A Companhia de navegação Stena Line tem ligações permanentes com a Dinamarca, a Alemanha, a Noruega, a Polónia, a Grã-Bretanha, a Irlanda e a Holanda.[8]

Algumas das maiores empresas da Escandinávia estão sediadas em Gotemburgo: Volvo, SKF, ESAB, Hasselblad. Outras indústrias muito dinâmicas são a farmacêutica e bio-tecnológica - AstraZeneca e NobelBiocare – e as tele-comunicações – Ericsson.[9]

Educação[editar | editar código-fonte]

Existem duas universidades em Gotemburgo: a Universidade de Gotemburgo e a Universidade Técnica Chalmers. Ambas foram fundadas no século XIX através de doações privadas. A cidade alberga hoje em dia mais de 60 000 estudantes universitários.

Hvitfeldska gymnasiet.

Entre outras faculdades, a Universidade de Gotemburgo inclui:

A Universidade Técnica Chalmers inclui:

  • A Faculdade Chalmers Lindholmen
  • A Universidade IT de Gotemburgo.

Existem também quatro "escolas superiores populares" - Arbetarrörelsens Folkhögskola (em Gotemburgo), Folkhögskolan (em Angered), Göteborgs Folkhögskola e Kvinnofolkhögskola.

Gotemburgo tem cerca de 25-30 gymnasieskolor, escolas secundárias de nível superior (correspondem ao 10-12º anos em Portugal e ao Ensino Médio no Brasil). Algumas das mais notáveis são Hvitfeldska gymnasiet (fundada em 1647), LM Engströms gymnasiet (de orientação cristã) e Sigrid Rudebecks gymnasiet (fundada em 1869).

Cidades gémeas e irmãs[editar | editar código-fonte]

Gotemburgo tem quatro cidades gémeas e duas cidades irmãs:

Cidades gémeas[editar | editar código-fonte]

Cidades irmãs[editar | editar código-fonte]

A colaboração com Port Elizabeth (estabelecida em 1998) é uma parceria de desenvolvimento de áreas de interesses comuns, como a gestão de resíduos sólidos, bibliotecas públicas, desporto e turismo.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A influência da história da cidade é evidente na vida cultural de Gotemburgo. O parque de diversões Liseberg é o maior centro lúdico da cidade. Muitas das instituições culturais, como o Museu Röhsska, assim como hospitais e a universidade, foram criadas graças às doações de comerciantes e industriais abastados.

A Exposição Industrial de Gotemburgo de 1923 originou a criação do museu de arte, entre outras instituições culturais e desportivas.

Gotemburgo tem uma cena musical activa. A Orquestra Sinfónica de Gotemburgo é o expoente máximo da música clássica na cidade. Bandas como Ace of Base e Soundtrack of Our Lives são representativas da música pop. Além de ser um centro da música pop, possui também uma cena indie bastante activa. A cidade é também conhecida como sendo o centro do death metal melódico, um estilo tipicamente usado na Suécia, sendo o berço de bandas como At The Gates, Dark Tranquility, The Haunted, In Flames, Soilwork e Arch Enemy.

Existem diversos grupos teatrais de actuação livre na cidade, além de instituições como o Teatro Municipal de Gotemburgo, o teatro Backa (para jovens) e o Teatro Popular de Gotemburgo.

A cidade alberga o maior festival anual cinéfilo do país, o Festival de Cinema de Gotemburgo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Poucas casas do século XVII permaneceram até hoje, pois à exceção das casas reais e militares, as construções eram feitas em madeira. Um exemplo é a Skansen Krona. O mais antigo período arquitectônico de interesse é o século XVIII, quando a Companhia da Índia Oriental tornou Gotemburgo numa cidade mercantil importante. Imponentes casas em pedra de estilo clássico foram erigidas em torno dos canais. Um exemplo deste período é a Casa da Índia Oriental, que alberga hoje o Museu da Cidade de Gotemburgo.

A moderna Kungsportsavenyn.

No século XIX, a burguesia abastada começou a construir fora das muralhas que protegeram a cidade quando a Noruega e a Dinamarca ainda eram ameaças. O estilo passou a ser eclético, acadêmico e um tanto decorado, favorecido pela classe média. A classe trabalhadora residia principalmente na sobrepopulada cidade distrito de Haga, em casas de madeira.

Uma remodelação no plano da cidade no século XIX levou à construção de Kungsportsavenyn, a principal rua. Foi criada na década de 60 e 70 desse século em resultado de uma competição internacional. A que é talvez a mais significativa casa representativa desse período, a Landshövdingehusen, foi construída no final do século XIX. Possui três pisos, dos quais o primeiro andar é em pedra e os restantes em madeira.

O início do século XX foi muito importante para a arquitetura da cidade, no qual dominou o estilo romântico nacional. A igreja Masthugget é um dos diversos edifícios erigidos nessa época. No início dos anos 20, quando a cidade celebrou o seu 300º aniversário, a praça Götaplatsen, de estilo neoclássico, foi construída.

Depois desta era, o estilo de construção em Gotemburgo, assim como no resto da Suécia, seguiu o Funcionalismo. Este estilo dominou especialmente os subúrbios de Västra Frölunda e Bergsjön. Nos anos 50, o estádio Ullevi foi erigido aquando do Campeonato Mundial de Futebol de 1958, que teve a Suécia como anfitriã.

A arquitetura moderna da cidade tem tomado forma pelas mãos de arquitetos como Gert Wingårdh, que iniciou o Pós-Modernismo nos anos 80.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Devido à sua localização junto ao Mar do Norte, Gotemburgo possui diversos restaurantes especializados em peixe e marisco. Vários dos prémios de "Cozinheiro Sueco do Ano" foram ganhos por nativos da cidade. O local mais popular para a compra de peixe é o Feskekörka, um mercado interior que obteve o seu nome ("Igreja do peixe") devido ao seu aspecto gótico. Quatro restaurantes têm uma estrela no Guia Michelin (dados de 2006): 28+, Basement, Fond e Sjömagasinet.

Gotemburgo é uma das cidades com maior concentração de cafés na Suécia. Impulsionado por uma grande população estudantil e pela presença de cafés mais tradicionais, o número de cafés aumentou consideravelmente nos anos 90.

Existe também um grande número de pubs, bares e discotecas, muitos destes localizados na rua principal, Kungsportsavenyn.

Desporto[editar | editar código-fonte]

Estádio Ullevi.

Eventos disputados na cidade[editar | editar código-fonte]

Campeonato Mundial de Tênis de Mesa
Final da Taça Davis em ténis
Campeonato Mundial de Dança Latino-Americana
Campeonato Mundial de Hóquei no gelo
Volvo Ocean Race (Corrida Marítima Volvo)
Campeonato Mundial de Patinação em Pista Curta
Final da Taça da UEFA
Volvo Ocean Race

Eventos anuais[editar | editar código-fonte]

Locais[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Locais de interesse[editar | editar código-fonte]

Museu Röhsska.

Gotemburgo possui uma larga gama de estabelecimentos culturais de interesse. Uma nova ópera, a Ópera de Gotemburgo, foi inaugurada em 1994. A cidade possui vários museus exibindo obras de arte - Museu de Arte de Gotemburgo, Konsthall e Museu Röhsska, assim como museus mostrando exposições relacionadas com o mar e a pesca - Museu de História Marítima, com a natureza - Museu de História Natural de Gotemburgo, com a ciência - Universeum, com a arqueologia e a história regional - Museu da Cidade de Gotemburgo. Mais recentemente, foi inaugurado em 2004 o Museu da Cultura Mundial.

Kungsportsavenyn, também comummente chamada apenas Avenyn ("A avenida"), é a principal via da cidade. Com uma extensão total de 2 km, estende-se entre o antigo fosso na orla da parte antiga de Gotemburgo e a praça Götaplatsen, onde se situam diversas instituições culturais. Inclui o Grande Teatro (Stora teatern), um edifício em estilo neo-renascentista construído em 1859, e diversos pubs, discotecas e restaurantes.

O Jardim Botânico de Gotemburgo (Botaniska trädgården) é considerado um dos mais impressionantes da Europa.

O maior parque de Gotemburgo, Slottsskogen, inclui o Museu de História Natural de Gotemburgo (Naturhistoriska Museet), um parque animal tropical (Tropikhuset), um jardim zoológico infantil (Barnens Zoo), um parque animal familiar (Djurgårdarna) e o mais antigo observatório astronómico da cidade - o Observatório de Slottsskogen. É um local popular para pique-nique, banhos de sol e passeios.

Vista de Liseberg sobre Gotemburgo.

O parque de diversões Liseberg, situado no centro da cidade, é o maior da Escandinávia, e a atracção popular mais visitada do país (mais de 3 milhões de pessoas por ano). Junto ao parque situa-se o centro de descoberta científica Universeum.

O centro da cidade e o o porto podem ser vistos do edifício GötheborgsUtkiken.

Perto da Ópera de Gotemburgo, foi erigida em 2010 a Roda de Gotemburgo - uma roda-gigante com 60 metros de altura.

O arquipélago de Gotemburgo é uma das principais atracções turísticas. A ilhas Älvsborg, Vinga e Styrsö são locais populares.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Gotemburgo
Murkrona.svg Gotemburgo é uma das 134 cidades com o status histórico de cidade na Suécia.