John Gotti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
John Gotti
John Gotti em 1990
Nome John Joseph Gotti, Jr.
Nascimento 27 de outubro de 1940
Bronx, Nova York
 Estados Unidos
Morte 10 de junho de 2002 (61 anos)
Springifield, Missouri
 Estados Unidos
Nacionalidade ItáliaEstados Unidos Ítalo-americano
Crime(s) Assassinatos, Conspiração, Extorsão, Obstrução da justiça, Exploração de jogos de azar, Agiotagem, Sonegação de impostos
Pena Prisão perpétua
Situação Morto desde 10 de junho de 2002
Afiliação (ões) Família Gambino, Salvatore Gravano

John Joseph Gotti, Jr. (Bronx, Nova Iorque, 27 de outubro de 1940Springifield, Missouri, 10 de junho de 2002) foi um gangster ítalo-americano e chefe da Família Gambino de Nova Iorque.

Gotti e seus irmãos cresceram na pobreza e entraram para a vida do crime cedo. Operando a partir do bairro de Ozone Park no Queens, Gotti rapidamente ganhou destaque tornando-se um dos maiores arrecadadores da família Gambino e sendo protegido pelo subchefe, Aniello Dellacroce.

Depois que o FBI indiciou membros da gangue de Gotti pela venda de narcóticos, Gotti aproveitou a dissidência crescente sobre a liderança da família e temendo que ele e seus homens fossem mortos pelo chefe da Família Gambino Paul Castellano, por tráfico de drogas, Gotti organizou o assassinato de Castellano em dezembro de 1985 e assumiu a família logo após. Isto deixou Gotti como o chefe de uma das famílias criminosas mais poderosas da América, e fez centenas de milhões de dólares por ano a partir da construção, sequestro, agiotagem, jogos de azar, extorsão e outras atividades criminosas. Gotti foi um dos chefes do crime mais poderosos da sua época e se tornou amplamente conhecido por sua personalidade franca e estilo extravagante, que ganhou a simpatia de grande parte do público em geral. Enquanto seus colegas evitavam chamar a atenção, principalmente da mídia, Gotti ficou conhecido como o "The Don Dapper" por suas roupas caras e por sua personalidade em frente as câmeras dos noticiários. Mais tarde, foi lhe dado o apelido de "The Teflon Don" após três julgamentos de grande visibilidade na década de 80 resultarem em sua absolvição, ainda que mais tarde fosse revelado que os veredictos foram resultado da adulteração do júri, má conduta dos jurados e intimidação das testemunhas. No entanto, as autoridades policiais não ficaram impressionadas com o seu estilo ou sua reputação, e continuaram a juntar provas contra Gotti, que posteriormente ajudaram a levar à sua queda.

O braço direito de Gotti, Salvatore "The Bull" Gravano é creditado pelo FBI como responsável por finalmente condenar Gotti. Em 1991, depois de ouvir em escutas Gotti fazer vários comentários depreciativos sobre ele e questionar sua lealdade, concordou em entregar provas ao estado e testemunhar pela acusação de Gotti. Em 1992, Gotti foi condenado por cinco homicídios, conspiração para cometer assassinato, extorsão, obstrução da justiça, exploração de jogos de azar, sonegação de impostos e agiotagem. Ele foi condenado à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional e foi transferido para Penitenciária Federal de Marion.

Gotti morreu de câncer na garganta em 10 de junho de 2002, no hospital para presos federais de Springfield, Missouri.

Segundo o ex-chefe da Família Lucchese, Anthony "Gaspipe" Casso, "o que John Gotti fez foi o começo do fim da Cosa Nostra".


Precedido por
Paul Castellano
Família Gambino
Chefe
1985-2002

Sucedido por
Peter Gotti


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.