Juba I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Juba I

Juba I (c. 85 a.C. - 46 a.C.) foi rei da Numídia de 60 a.C. a 46 a.C.. Seu pai era Hiempsal II.1

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 81 a.C. , o general romano Pompeu foi mandado pelo ditador Lúcio Cornélio Sula à Numídia, para repor no trono o rei Hiempsal II, que havia sido deposto. Agradecidos por isso, tanto Hiempsal quanto seu filho Juba, tornaram-se amigos e aliados de Pompeu.

Essa aliança estreitou-se mais quando Juba I (que havia sucedido ao seu pai) visitou Roma e foi destratado publicamente por Júlio César, a quem fizera acusações em passado recente.

Juba odiava Caio Escribônio Curião, que, quando era tribuno, havia tentado tomar o seu reino.1

Durante a guerra civil (primeiro triunvirato), Juba colocou-se decididamente ao lado dos republicanos. Juba não esperou que Curião atacasse a Numídia, mas se dirigiu a Utica, que estava sendo sitiada por Curião,2 e espalhou o rumor de que estava se retirando.3 Curião atacou as tropas, mas Juba chegou inesperadamente, matando Curião.4

Juba conduziu o exército númida, comandado pelo general romano, Petreio, à Batalha de Tapso, na qual as forças pompeistas sofreram esmagadora derrota. Após a batalha, Juba e Petreio buscaram refúgio em Zama (onde havia ocorrido, mais de um século antes, a Batalha de Zama), porém foram escorraçados pelos habitantes da cidade, temerosos de uma possível vingança de Júlio César.

Não vendo outra saída senão a morte, os dois decidiram travar um duelo suicida, acertando que o sobrevivente matar-se-ia em seguida. Na luta, Juba I matou Petreio e depois dirigiu sua espada contra seu próprio corpo.

O príncipe Juba (futuro Juba II), então com cerca de seis anos, foi capturado e exibido no triunfo que Júlio César organizou em Roma.

Referências

  1. a b Dião Cássio, História de Roma, Livro XLI, 41.3
  2. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLI, 41.4
  3. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLI, 41.5
  4. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLI, 42.4

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • TOLEDO, J. - "Dicionário de Suicidas Célebres", São Paulo, Ed. Record, 1999